Roberto Requião cogita ‘subir o muro’ nas eleições de Curitiba

O ex-senador Roberto Requião (MDB-PR), ao Blog do Esmael, disse nesta quinta-feira (16) que estuda ‘subir o muro’ acerca das eleições municipais de Curitiba.

O velho emedebista revelou que pode não apoiar nenhum candidato à Prefeitura de Curitiba, nem mesmo do “MDB de guerra”, que é dirigido por seu sobrinho João Arruda e pelo deputado Anibeli Neto.

Requião afirmou ainda que não apoiará candidaturas de outras legendas na disputa da capital paranaense para não arrumar desavenças familiares.

O emedebista publicou esta semana uma charge de 1985, quando era prefeito de Curitiba, animando correligionários e aliados, mas, ao Blog do Esmael, ele disse hoje que cogita não apoiar ninguém nestas eleições de 2020.

Privatização da Copel Telecom

Roberto Requião, que já foi governador do Paraná três vezes, classificou como “canalhice” a aprovação pelo Conselho de Administração da Copel (Companhia Paranaense de Energia) 100% de desinvestimento na subsidiária Copel Telecom.

Segundo o emedebista, tal manobra visa enfraquecer a Copel Telecom para privatizá-la.

Requião recorda que, em seu governo, a subsidiária foi responsável pela universalização do acesso à internet de boa qualidade nas escolas, nas universidades e nas prefeituras dos 399 municípios do Paraná.

O ex-senador pediu para que entidades representativas dos usuários e dos trabalhadores reajam ao início da privatização da Telecom, que, de acordo com o emedebista, começou com a aprovação do desinvestimento de 100% na subsidiária da Copel.

Na prática, disse Requião, a empresa de internet terá os serviços precarizados por falta de investimentos públicos e, ato contínuo, buscar-se-á a justificativa para a venda da Copel Telecom. “É um crime”, denunciou o ex-senador do MDB.

LEIA TAMBÉM