Por 4 votos a 3, TSE decide reabrir cassação da chapa Bolsonaro e Mourão

O presidente Jair Bolsonaro e o vice Hamilton Mourão tiveram uma amarga derrota na noite desta terça-feira (30) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A corte decidiu, por 4 votos a 3, reabrir o processo de cassação da chapa por ataque cibernético o grupo virtual “Mulheres unidas contra Bolsonaro”, que passou a se chamar “Mulheres com Bolsonaro #17” durante a campanha de 2018.

O julgamento de hoje reabriu a fase de coleta de provas de duas ações contra a chapa Bolsonaro-Mourão, propostas elas campanhas dos então candidatos à Presidência da República Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (PSOL).

De acordo com as ações no TSE, a campanha do então candidato do PSL ao Palácio do Planalto em 2018 hackeou no Facebook o grupo “Mulheres unidas contra Bolsonaro”, que reunia 2,7 milhões.

Segundo o Estadão, o entendimento do TSE frustrou o governo, que esperava o arquivamento imediato dessas ações, consideradas menos perigosas para o mandato do presidente da República.

O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, deu o voto de desempate que selou a sorte do julgamento. Ele considerou o ataque cibernético nas eleições passadas como um fato grave, que deve ser investigado, sim.

“Isso é quase um sequestro, um assalto, você admitir que alguém possa invadir um site. É você invadir o site alheio e desvirtuar a manifestação legítima que na política deve haver para todos os lados. A ideia de que alguém possa não suportar o adversário a ponto de violar o seu espaço de liberdade de expressão para deformá-lo, usar para coisa completamente oposta”, disse o magistrado.

“Eu penso que, independentemente de ter tido qualquer repercussão no resultado da eleição, o hackeamento é um fato grave, se evidentemente a campanha adversária estiver envolvida”, afirmou ainda Barroso.

O ex-candidato do PSOL à Presidência, Guilherme Boulos, pelo Twitter, comemorou a decisão do TSE. “VITÓRIA! TSE acabou de acolher nosso pedido e decidiu reabrir investigação da cassação da chapa Bolsonaro/Mourão”, vibrou.

Resumo da ópera: Bolsonaro vai dormir hoje um pouco menos presidente; e Mourão um pouco menos vice.

LEIA TAMBÉM

  • A chapa Bolsonaro e Mourão está longe de escapar da cassação no TSE
  • Líder do PT defende a cassação da chapa Bolsonaro-Mourão para País superar a crise
  • Com medo de cassação, Bolsonaro pede para TSE não usar provas do inquérito das fake news
  • Cassação da chapa Bolsonaro e Mourão ganha velocidade de cruzeiro no TSE