PT, PSOL e Rede pedem no Conselho de Ética do Senado cassação de Flávio Bolsonaro

Os partidos PT, PSOL e Rede Sustentabilidade ingressaram na noite desta segunda-feira (18) com uma representação por quebra de decoro parlamentar contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), no Conselho de Ética do Senado. As legendas pedem a cassação do mandato do senador.

Flávio se tornou peça central em uma apuração da Polícia Federal (PF) que vai investigar o relato do empresário Paulo Marinho ao jornal Folha de S.Paulo sobre suposto vazamento de uma operação da PF. O Ministério Público Federal também instaurou um procedimento para analisar o caso.

LEIA TAMBÉM:
A vital, delicada e perigosa interdição

Esquerda e as eleições 2020: Buscar a unidade possível

O Brasil já é o 3º país com mais casos de Coronavírus no mundo

Em entrevista à Folha no último domingo (17), o empresário disse que, segundo ouviu do próprio filho do presidente, um delegado da PF antecipou a Flávio em outubro de 2018 que a Operação Furna da Onça, então sigilosa, seria realizada.

Além de apurar o vazamento, a pedido Procuradoria-Geral da República (PGR), a PF vai ouvir o depoimento de Marinho em inquérito já aberto para investigar, com base em acusações do ex-ministro da Justiça Sergio Moro, se o presidente Bolsonaro tentou interferir indevidamente na corporação.

Na representação, os partidos também pedem que o senador seja afastado do cargo de secretário da Mesa do Senado enquanto durar o processo no Conselho de Ética.

Com informações da Folha.