Moro desautoriza Bolsonaro

Publicado em 4 outubro, 2019
Compartilhe agora!

Após um freio de arrumação entre ambos, o ministro da Justiça Sérgio Moro desautorizou nesta sexta-feira (4) o presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Na noite de ontem (3), durante uma live no Facebook, Bolsonaro surtou com o prefeito de Cariacica (ES), Juninho do PPS, que criou um dique denúncia para apurar abusos de autoridade cometidos pela Força Nacional.

As tropas subordinadas a Moro estão experimentalmente no município capixaba há um mês na cota no projeto-piloto “Em Frente Brasil”.

“Não existe nenhum problema com a fiscalização da atuação das forças policiais, sejam elas locais, sejam das forças nacionais”, declarou Moro hoje durante uma coletiva de imprensa em São José dos Pinhais (PR), na região metropolitana de Curitiba.

LEIA TAMBÉM
#LulaNobelDaPaz quebra a internet nesta sexta

Em carta, Lula agradece título de cidadão honorário de Paris

Alexandre de Moraes: origem da facada na juíza está nas fake news

Para Bolsonaro, no entanto, o disque denúncia para receber denúncia de abusos de autoridade da Força Nacional é “coisa de comunista” porque o telefone 162 foi criado pelo prefeito “Juninho do PPS”, do antigo PCB, o Partido Comunista.

“Bem, se é o que eu tô pensando, vou falar com o Moro. Se começar a denunciar policiais, a gente troca de município. Deixa Cariacica lá sem esse programa, que não é apenas a Força Nacional de Segurança, são outras medidas também do estado, da União. E vamos para outro município”, surtou ontem Bolsonaro.

Hoje, em contradição com o chefe, Moro disse que não tem problema a fiscalização.

Moral do história: o rabo balançou o cachorro.

PS: Moro e Bolsonaro se “acertaram” porque ambos estão mais enrolados no mundo do crime que a vã filosofia pode supor; trata-se de proteção mútua.

Compartilhe agora!