Ao vivo: CPI realiza hoje sessão de "aquecimento" para depoimento do Véio da Havan

Véio da Havan, Carlos Wizard e Ricardo Barros são personagens na CPI da Pandemia; ao vivo

Três personagens reais se destacam na CPI da Pandemia, nesta terça-feira (24/08), durante depoimento de Emanuel Catori da farmacêutica maringaense Belcher. O empresário Luciano Hang, conhecido com Véio da Havan, o líder o governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), e o especulador Carlos Wizard.

A CPI reproduziu uma live de março passado, entre Emanuel Catori, Véio da Havan, Alan Eccel e Wizard, anunciando a intenção de comprar vacinas. No vídeo, Hang critica a Lei 14.125, de 2021, que disciplinou a importação de imunizantes pela iniciativa privada.

Randolfe Rodrigues (Rede-AP) apontou uma contradição entre a declaração de Hang e a fala inicial do depoente, segundo a qual o processo de compra fora possibilitado exatamente por essa lei. Catori não soube explicar essa contradição, limitando-se a dizer que nunca teve relação comercial com Hang.

Randolfe afirmou na comissão que os quatro se uniram para bombardear a lei e garantir que laboratórios privados dominassem a distribuição de vacinas de forma privada, cobrando, vendendo, e que esse atraso contribui para o aumento de mortes. Segundo o senador, graças à lei a imunização pôde avançar no País, mas poderia estar muito melhor e vidas poderiam ser poupadas.

CPI da Pandemia ao vivo

Sócio da Belcher diz que Ricardo Barros marcou reunião no Ministério da Saúde

Emanuel Catori confirmou ter sido levado pelo deputado Ricardo Barros, líder do governo na Câmara, para reunião no Ministério da Saúde. Humberto Costa (PT-PE) chamou a atenção para o fato de não existir ata da reunião e o encontro só ter sido revelado por conta de uma foto publicada nas redes sociais. Omar Aziz (PSD-AM) questionou o motivo de um prefeito ter participado, já que a reunião seria destinada a empresários.

Leia também

Ao vivo: CPI ouve sócio de farmacêutica em reduto eleitoral de Ricardo Barros

Ricardo Barros tem o sigilo quebrado pela CPI, mas luta para reverter no STF

CPI da Pandemia prepara pizza sabor “Ricardo Barros” no relatório final