16 de novembro de 2015
por admin
15 Comentários

Coluna do Luiz Cláudio Romanelli: Conhecimento e libertação

Download

Luiz Cláudio Romanelli*

“Navegar é preciso, viver não é preciso”
Fernando Pessoa

Li e recomendo o artigo “Parabéns, atingimos a burrice máxima”, da jornalista e escritora Eliane Brum no El País do último dia 12 (leia aqui).

E “pensar” é mercadoria em falta no Brasil. No caso dos sofismas conservadores contra Simone de Beauvoir, Eliane Brum prova o ridículo de seus detratores e conclui: “o confronto atual não é entre direita e esquerda, mas entre os que pensam e os que não pensam”.

Acredito como ensinou o educador e filósofo Paulo Freire, que a educação liberta e transforma e que se “a educação sozinha não muda a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda”.

Ensinar a pensar, a compreender, a conscientizar, a questionar é tarefa da escola. Universalizar o acesso à educação, em todos os níveis, mas especialmente no ensino médio e superior, mais do que necessário e urgente, é o instrumento para reverter o vazio de pensamento.

O Paraná tem feito um grande esforço para democratizar o conhecimento. É o Estado com maior número de instituições de ensino superior estaduais em todo o país e investe mais de R$ 2 bilhões por ano.

O sistema de ensino superior público do Paraná é formado por sete universidades estaduais com 8 mil professores, cerca de 9 mil agentes universitários e 104 mil estudantes nos cursos presenciais e a distância.

Juntas as universidades ofertam 341 cursos de graduação (presenciais e a distância), 291 de especialização (presencial e a distância), 162 mestrados e 67 doutorados. As escolas apostam na qualidade da formação. Nos últimos cinco anos houve um aumento de cerca de 70% na oferta de novos cursos de pós-graduação. Em 2010 eram 110 cursos de mestrado, número que passou para 162 em 2015. Já os de doutorado eram 41 e hoje são 67.

O Governo do Paraná é o que, proporcionalmente, mais investe no ensino superior. O estado, digo e repito, é o único no país que mantém sete universidades com recursos do Tesouro do Estado e que se destacam entre as melhores do país nas avaliações do MEC.

É um investimento  elevado demais, ainda mais se levarmos em conta que cabe a União a competência pelo investimento e custeio do ensino superior no país.

Minas Gerais, por exemplo, tem 15 universidades federa Leia mais

1 de setembro de 2015
por Esmael Morais
5 Comentários

Beto Richa dá golpe em professores até no Conselho Estadual de Educação; a perseguição segue em frente

Deputado Nereu Moura, líder do PMDB, autor de projeto que proíbe secretários ocuparem cargos em conselhos de estatais e órgãos de fiscalização do governo do estado critica nomeação de Ana Seres (SEED) e João Carlos (SETI) para o Conselho Estadual de Educação (CEE); "O governo continua inovando ao colocar as raposas para cuidar do galinheiro", criticou o parlamentar ao Blog do Esmael; "Depois do auxílio-moradia, Beto Richa acha que pode tudo", completou.

Deputado Nereu Moura, líder do PMDB, autor de projeto que proíbe secretários ocuparem cargos em conselhos de estatais e órgãos de fiscalização do governo do estado critica nomeação de Ana Seres (SEED) e João Carlos (SETI) para o Conselho Estadual de Educação (CEE); “O governo continua inovando ao colocar as raposas para cuidar do galinheiro”, criticou o parlamentar ao Blog do Esmael; “Depois do auxílio-moradia, Beto Richa acha que pode tudo”, completou.

O governador Beto Richa (PSDB) extrapolou mais uma vez os limites do estado democrático de direito ao nomear dois secretários de Estado para integrarem o Conselho Estadual de Educação (CEE). Os secretários são Ana Seres Trento Comin, da Educação (SEE), e João Carlos Gomes, da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI), que a partir de agora podem se ‘autofiscalizarem’. Seria como o zagueiro cruzasse a bola para ele mesmo fazer o gol de cabeça. ... 

Leia mais

7 de maio de 2015
por Esmael Morais
8 Comentários

Universidades seguem em greve contra Richa; UEPG faz enterro dos “inimigos da educação”

estaduaisQuem apostava no enfraquecimento da mobilização dos professores e servidores estaduais depois da aprovação na Alep e a sanção relâmpago pelo governador Beto Richa (PSDB), do confisco da previdência, apostou errado.

Após a decisão pela continuidade da greve dos professores e servidores da educação básica, aprovada na assembleia da APP-Sindicato, realizada na terça (5) em Curitiba, agora são os professores e servidores das universidades estaduais que fortalecem as greves e o enfrentamento ao governo Richa.

Os professores da Universidade Estadual de Londrina (UEL), decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir desta quinta-feira (7). Eles já estavam paralisados desde segunda-feira (4). Leia mais

4 de maio de 2015
por Esmael Morais
27 Comentários

Base governista defenestra Fernando Xavier; novo secretário da Educação será João Carlos Gomes

xavier_joao_beto ... 

Leia mais

27 de março de 2015
por Esmael Morais
8 Comentários

Palácio Iguaçu sonda João Carlos e Silvio Barros II para a Secretaria de Educação

joao_xavier_barrosDefinitivamente, o titular da Secretaria de Estado da Educação (SEED), Fernando Xavier, entrou (e ficou) na marca do pênalti, pois, até os ascensoristas do Palácio Iguaçu sabem que sua permanência no cargo está por um fio.

Abertamente, os palacianos sondam dois nomes para a Educação. O primeiro é o atual secretário de Ensino Superior, João Carlos Gomes, da região de Ponta Grossa.

O segundo cogitado para a SEED é Silvio Barros II, ex-prefeito de Maringá, secretário do Planejamento e cunhado da vice-governadora Cida Borghetti (PROS).

Durante a greve na educação, o secretário de Assuntos Estratégicos, Flávio Arns (PSDB), chegou a entrar no aquecimento com o objetivo de substituir Xavier na Educação. Não prosperou, mas o Palácio Iguaçu ainda busca um nome para a troca. Leia mais

7 de abril de 2014
por Esmael Morais
9 Comentários

Secretário de Richa se arrepende de exoneração e quer voltar ao cargo

Governo Richa tem "dois" secretários e uma cadeira na Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; na sexta (4), tucano exonerou, a pedido, João Carlos Gomes (PSDB), que disputaria a Assembleia; entretanto, ex-secretário se "arrependeu" e quer voltar ao cargo depois que STF melou nova eleição no Tribunal de Contas; Plauto Miró, que é de Ponta Grossa, base política de Gomes, anunciou que disputará a reeleição devido à  decisão judicial que devolveu cadeira de conselheiro a Fábio Camargo; o 1!º Secretário da Assembleia seria o favorito ao TCE.

Governo Richa tem “dois” secretários e uma cadeira na Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; na sexta (4), tucano exonerou, a pedido, João Carlos Gomes (PSDB), que disputaria a Assembleia; entretanto, ex-secretário se “arrependeu” e quer voltar ao cargo depois que STF melou nova eleição no Tribunal de Contas; Plauto Miró, que é de Ponta Grossa, base política de Gomes, anunciou que disputará a reeleição devido à  decisão judicial que devolveu cadeira de conselheiro a Fábio Camargo; o 1!º Secretário da Assembleia seria o favorito ao TCE.

Exonerado na sexta-feira (5) pelo governador Beto Richa (PSDB), o ex-secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes (PSDB), tenta retornar ao cargo após a decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que reconheceu o direito à  cadeira do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) ao conselheiro Fábio Camargo.  ... 

Leia mais