1 de Março de 2016
por admin
Comentários desativados em Coluna do João Arruda: PMDB é porto seguro para candidatos

Coluna do João Arruda: PMDB é porto seguro para candidatos

João Arruda*

Para quem pretende ser candidato em 2016, com a expectativa concreta de conquistar um mandato para interferir positivamente na realidade do seu município, a melhor alternativa é se filiar ao PMDB. Nenhum outro partido estão tão fortalecido no Paraná como o nosso, como prova a história recente do estado. Aos fatos:

1) O PMDB é o mais afinado com o sentimento popular em relação ao governo desastroso de Beto Richa (PSDB) e lidera a oposição. Nosso partido já denunciava, em 2014, o retrocesso que a reeleição do atual governador significaria – e foi ainda pior, com repressão a movimentos sindicais, aumento de impostos e corrupção.

2) O PMDB tem a liderança do senador Roberto Requião, um político respeitado no Congresso Nacional, apontado como franco favorito para voltar ao governo em 2018 e retomar os programas que marcaram época no Paraná, com crescimento econômico e proteção social.

3) O PMDB tem uma capilaridade cobiçada – ou sonhada – por todos os partidos, com diretórios espalhados pelas maiores e menores cidades do Paraná, condição que permite alcançar todas as regiões do estado e lançar candidatos nos 399 municípios paranaenses.

4) O PMDB tem o maior tempo de propaganda eleitoral

10 de outubro de 2014
por esmael
31 Comentários

Dilma defende valorização do salário mínimo e critica propostas do PSDB

via Agência Brasil

A candidata do PT à  reeleição, presidenta Dilma Rousseff, defendeu na quinta-feira (9) os atuais programas sociais e a política de valorização do salário mínimo. Sobre o último tema, ela citou o coordenador da área econômica da campanha do candidato Aécio Neves (PSDB), Armínio Fraga, a quem atribuiu conceito de que para resolver outros problemas da economia é preciso reduzir o salário mínimo.

Eles implicam com salário mínimo. Implicar com o salário mínimo é a maior característica desse senhor [Armínio Fraga] que foi presidente do Banco Central durante o [governo de] Fernando Henrique e que agora é aquele que aparece como sendo o eventual futuro ministro da Fazenda, que não vai ser. Ele acha que para resolver os problemas, eles têm que diminuir o salário mínimo. Isso é um escândalo. à‰ a típica proposta que fez com que esse país quebrasse três vezes!, disse em discurso durante ato político em Salvador.

Ao lado do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), do governador eleito, Rui Costa (PT), e de outras lideranças do estado, Dilma disse que os governos do partido adversário nunca tiveram políticas para o desenvolvimento da Região Nordeste. Eles nunca tiveram um projeto para essa região. Nunca olharam para ela, deixaram anos e anos a fio sem investimento em infraestrutura, sempre usaram e abusaram da indústria da seca e não tentaram resolver o problema de fundo, que era garantir água, não de emergência, mas fazer com que o Nordeste convivesse com a seca, como nós estamos fazendo!.

A candidata também criticou declarações de lideranças do PSDB que associaram os votos no primeiro turno a candidatos do PT, principalmente nas regiões Norte e Nordeste, a eleitores pobres e menos informados!. Quando querem atribuir a minha votação e o primeiro lugar que obtive, falam: ‘Ah, votaram nesse projeto porque as pessoas que votaram não são qualificadas, são desinformadas, não sabem o que estão fazendo’. Não só agradeço, mas respeito extremamente essas pessoas, esses cidadãos que votaram em mim!.

A candidata disse que, no próximo dia 26 de outubro, estarão em confronto dois projetos distintos para o país e que o do PT diz que o Brasil tem que ser governado para todos os brasileiros, olhando com prioridade, com cuidado, para aqueles que mais precisam!. Dilma criticou o adversário por apontar ter sido o criador das ideias em que se bas

8 de outubro de 2014
por esmael
36 Comentários

à‰ dando que se recebe: Aécio oferece comando do Itamaraty à  Marina em troca de apoio no 2!º turno

via Luiz Nassif/GGN

O jornalista Kennedy Alencar (SBT) cravou em seu blog que assessores de Aécio Neves (PSDB) foram enviados até a ex-ministra Marina Silva (PSB) para convidá-la a ser a futura titular do Ministério das Relações Exteriores. A oferta faz parte da negociação de Aécio pelo apoio de Marina no segundo turno da eleição presidencial contra Dilma Rousseff (PT).

Kennedy destacou que Marina é conhecida internacionalmente, o que lhe daria legitimidade para comandar o Itamaraty. Além disso, ambos compartilham de algumas ideais sobre a política exterma. “Com Aécio e Marina, o Itamaraty daria menos foco ao Mercosul, e tentaria negociar mais com os Estados Unidos e a União Europeia”, analisa o jornalista.

à‰ destaque na imprensa escrita nesta terça-feira (7) que Marina acenou a Aécio, mas em contrapartida, quer que o tucano assuma o compromisso de acabar com a reeleição. Na visão de Kennedy Alencar, Aécio pode até mexer alguns pauzinhos pela medida, mas será “complicado” ver o senador não querer tentar a reeleição. “Uma vez na cadeira, com a possibilidade de ser candidato à  reeleição, é difícil abrir mão”.

8 de setembro de 2014
por esmael
18 Comentários

Justiça mantém condenação a helicóptero eleitoral de Richa

O juiz auxiliar Leonardo Castanho Mendes, da Justiça Eleitoral do Paraná, ! negou o! recurso apresentado pela defesa do candidato a reeleição ao cargo de governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), no caso do helicóptero usado no programa eleitoral. Richa foi condenado há duas semanas por usar imagens captadas no hangar de helicópteros da Polícia Militar do Estado. Como o local não é de acesso livre, ficou caracterizado o uso de serviço público em favor da sua candidatura.

O Juiz destacou na sentença que durante a exibição da propaganda foram ouvidos um comandante da aeronave e um médico do SAMU. Ou seja, a rigor tem-se um servidor público, no exercício de sua função, pago com dinheiro público, louvando o programa criado pelo governador candidato à  reeleição. Isso constitui-se uso de serviço público, em favor de uma candidatura, o que não é admissível.!

Para o juiz, Beto usou do cargo para ter acesso a espaço restrito. O comportamento fere o disposto no art. 86 da Resolução 23.404 do TSE, em que se veda o uso de serviço público em favor de candidatura. Não se tratando de local de acesso irrestrito, inclusive por questões óbvias de segurança, é evidente que a eles o governador teve acesso em razão das funções por ele desempenhadas!, afirma o magistrado.

O candidato está sujeito ao pagamento de multa de R$ 20 mil por veiculação, já que a promoção pessoal com dinheiro público é proibida pela Constituição Federal (art. 37, !§1!º) , agravada pelo caráter de favorecimento eleitoral.