18 de novembro de 2015
por Esmael Morais
3 Comentários

Em baixa nas vésperas das eleições, Gustavo Fruet vai às “compras”

fruet_comprasO prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), de olho na reeleição, começou se mexer visando reverter os números das intenções de votos que lhe são desfavoráveis, segundo todos os institutos de pesquisas.

De acordo com fontes do Blog do Esmael, o pedetista foi às “compras” nos últimos dias. Ele sonda marqueteiro, produtora, candidatos a vereador, partidos, lideranças comunitárias, pesquisadores, enfim, tudo que uma campanha eleitoral majoritária oficialista precisa.

Os adversários de Fruet temem que essa corrida às “prateleiras” inflacione esse nicho de mercado chamado eleições.

Quanto aos números das pesquisas, a um ano da disputa, os adversários do prefeito Gustavo Fruet somam, juntos, 73% das intenções de voto (DataPicler divulgado esta semana aqui no Blog do Esmael).

Nesta quarta-feira (18), levantamento da IRG Consultoria & Pesquisa, feito com exclusividade para o Portal Bem Paraná, também mostrou maioria folgada da oposição. De acordo com essa pesquisa realizada entre os dias 12 e 16 de novembro, os adversários somam juntos 71% das intenções de voto ante 17% do prefeito Gustavo Fruet.

Abaixo, confira os números da IRG na estimulada: Leia mais

6 de agosto de 2014
por Esmael Morais
13 Comentários

Pagamento à  vista no comércio poderá ter desconto

via Agência Senado

O Plenário do Senado aprovou, nesta quarta-feira (6), o projeto de decreto legislativo (PDS) 31/2013 susta efeitos da Resolução 34/1989, do Conselho Nacional de Defesa do Consumidor, que proibia ao comerciante estabelecer diferença de preço de venda quando o pagamento ocorresse por meio de cartão de crédito. Com a medida aprovada, o comerciante poderá voltar a estabelecer preços diferentes para o mesmo produto, no caso de o pagamento ser feito à  vista ou no cartão. De autoria do senador Roberto Requião (PMDB-PR), o projeto tramitava em regime de urgência, já tendo sido aprovado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) em abril de 2014.

A proibição do desconto, incorporando o preço do cartão a todos os custos do país, foi feita de forma ilegal. Quem pode decidir uma questão dessa ordem é o Congresso Nacional.! Disse Requião, que acusou parlamentares contrários à  proposta “de servir ao deus Mamon”, ou ao dinheiro, conforme a advertência de Cristo no Sermão do Monte.

Requião e Lídice argumentaram que o Conselho Nacional de Defesa do Consumidor não tem competência para instituir normas que criem obrigações a particulares. Com a resolução, sublinharam os parlamentares, o órgão exerceu poder normativo inexistente, ao proibir a cobrança de preços diferentes por parte dos fornecedores na hipótese de pagamento por meio de cartão de crédito. A relatora disse ainda que a resolução viola direitos individuais ao estabelecer, sem base em qualquer fundamento jurídico válido, restrição à  atividade econômica.

Parlamentares como Romero Jucá (PMDB-RR) e Ana Amélia (PP-RS) defenderam o adiamento da votação do PDS, com requerimentos prevendo a análise do projeto também pelas comissões de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) e de Assuntos Econômicos (CAE).

Segundo Ana Amé Leia mais