29 de agosto de 2017
por esmael
31 Comentários

APP-Sindicato: Educadores prometem cerco ao Palácio Iguaçu nesta quarta

Em clima de campanha eleitoral interna, a APP-Sindicato vai marchar nesta quarta-feira, 30 de agosto, da Praça Santos Andrade (Centro) até o Palácio Iguaçu (Centro Cívico).

29 de julho de 2017
por esmael
11 Comentários

Richa e Alvaro serão alvos de protestos de educadores em 30 de agosto

A assembleia geral da APP-Sindicato deste sábado (29), em Curitiba, organizará a megamanifestação do próximo dia 30 de agosto contra o senador Alvaro Dias (Phodemos) e o governador Beto Richa (PSDB).

25 de junho de 2016
por esmael
65 Comentários

Por unanimidade, professores aprovam ‘estado de greve’ contra Beto Richa

richa_professoresCerca de 600 educadores aprovaram em assembleia extraordinária, neste sábado (25), em Curitiba, estado de greve a partir de hoje contra o governo do Paraná de Beto Richa (PSDB).

24 de Abril de 2015
por esmael
16 Comentários

Na quarta, professores podem sentir saudades de Álvaro Dias?

30agostoAvizinha-se uma verdadeira batalha campal na região do Centro Cívico, em Curitiba.

Na quarta-feira (29), servidores públicos e professores das universidades e educação básica votarão em frente à Assembleia Legislativa do Paraná, que foi palco da histórica ocupação em 12 de fevereiro.

Lá também estarão 4 mil policiais com o intuito de manter o povo distante do parlamento. As forças repressivas foram orientadas a descer a borduna nos manifestantes, sem dó nem piedade.

Na quarta, se tudo correr como planejado pelo governador Beto Richa (PSDB), os deputados votarão em regime de urgência confisco mensal de R$ 150 milhões da poupança previdenciária — ou R$ 2 bilhões ao ano, acrescidos os juros e correções.

Mas a pergunta que se faz no Centro Cívico é a seguinte: será que os professores sentirão saudades do senador Álvaro Dias (PSDB) na próxima quarta-feira?

10 de Fevereiro de 2015
por esmael
13 Comentários

Coluna do Enio Verri: Um novo “30 de agosto” para Richa chamar de seu!

enio_30agosto_richaEnio Verri*

O trágico 30 de agosto de 1988 parece se repetir. O incidente que marcou o descaso com os professores, por parte do ex-governador àlvaro Dias (PSDB), reconfigura-se pelas mãos do também tucano Beto Richa. O pacote de maldades que vai a Assembleia Legislativa pode reduzir os direitos do funcionalismo público. Leia mais

7 de novembro de 2014
por esmael
65 Comentários

Atacados pelo governo Richa, professores podem deflagrar nova greve no Paraná

app_greve.jpg24 horas depois de serem massacrados fisicamente na Assembleia Legislativa do Paraná, durante votação de lei que pôs fim à  eleição direta para diretor de escola, continua o ataque do governo Beto Richa (PSDB) contra professores, pedagogos e funcionários dos estabelecimentos de ensino da rede pública do estado. Leia mais

2 de setembro de 2014
por esmael
29 Comentários

Veja essa: Contra àlvaro, candidato propõe fim do horário eleitoral gratuito

O candidato ao Senado pelo PCdoB, Ricardo Gomyde, defendeu ontem à  noite (1) o fim do horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão porque, segundo ele, está sendo desvirtuado da finalidade. “Está sendo usado para falar mentiras”, justifica. Leia mais

30 de agosto de 2014
por esmael
19 Comentários

30 de Agosto: Justiça Eleitoral nega direito de resposta a àlvaro Dias no horário de Ricardo Gomyde

O juiz Leonardo Castanho Mendes, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), neste sábado (30), negou ao senador àlvaro Dias (PSDB) direito de resposta no programa exibido no horário eleitoral do adversário Ricardo Gomyde (PCdoB).

Gomyde, após apresentar sua plataforma, conclui dizendo que “jogar cavalo em cima de professor, comigo nunca”, referindo-se ao confronto entre professores e cavalaria no dia 30 de agosto de 1988, quando Dias era governador do Paraná (clique aqui para assistir ao vídeo).

“O protesto existiu, o enfrentamento com policiais da cavalaria existiu e o representante era, à  época, Governador do Estado”, registrou o magistrado ao julgar improcedente o pedido do tucano.

“O mais são interpretações de quem viveu aqueles fatos, de quem se disse agredido por ordem do titular do Governo, que repercutiram ao longo dos anos, tanto que a cada aniversário do protesto novamente se revivem as acusações”, continuou o juiz.

Castanho Mendes ainda sugeriu ao indeferir a liminar de àlvaro Dias:

“Se o representante de fato deu a ordem para que ocorresse o enfrentamento, para que os cavaleiros avançassem sobre os protestantes, cuida-se de fato que não pode ser considerado sabidamente verídico, nem inverídico”.

Leia a íntegra da decisão judicial:

REPRESENTAà‡àƒO n!º 3029-20.2014.6.16.0000

Representante : àlvaro Fernandes Dias e Coligação “Todos Pelo Paraná”

Advogados : Paulo Roberto Ferraz e outros

Representada : Coligação “Paraná Olhando Pra Frente”

Representado : Ricardo Crachineski Gomyde

Representado : José Elizeu Chociai

Representado : Paulo Edson Pratinha Alves

DECISàƒO LIMINAR

Trata-se de representação eleitoral formulada àlvaro Fernandes Dias e Coligação “Todos Pelo Paraná” em face de Coligação “Paraná Olhando Pra Frente” , Ricardo Crachineski Gomyde, José Elizeu Chociai e Paulo Edson Pratinha Alves, visando à  obtenção de direito de resposta, considerada a propaganda eleitoral na televisão.

A representação menciona afirmações feitas por professores, em que se alude aos fatos ocorridos em Curitiba em 30 de agosto de 1988, onde o estado interveio em um manifesto de professores no Centro Cívico da Cidade, inclusive com envio de forças da cavalaria, quando era Governador do Estado o ora representante. Há também a manifestação do candidato Ricardo Gomyde, que, após apresentar sua plataforma, conclui dizendo que “jogar cavalo em cima de professor, comigo nunca” , em clara referência aos fatos históricos antes mencionados.

O protesto existiu, o enfrentamento com policiais da cavalaria existiu e o representante era, à  época, Governador do Estado. Esses são fatos incontroversos. O mais são interpretações de quem viveu aqueles fatos, de quem se disse agredido por ordem do titular do Governo, que repercutiram ao longo dos anos, tanto que a cada aniversário do protesto novamente se revivem as acusações. Se o representante de fato deu a ordem para que ocorresse o enfrentamento, para que os cavaleiros avançassem sobre os protestantes, cuida-se de fato

30 de agosto de 2014
por esmael
12 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: 30 de Agosto – A cavalaria contra a educação

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, relembra do trágico confronto da cavalaria com professores que protestavam em frente ao Palácio Iguaçu; era 30 de agosto de 1988, portanto, há exatos 26 anos educadores foram atacados com cavalos, bombas e balas de borracha; Abaixo a repressão! Senhor comandante, não toque em nenhum professor, somos pacíficos! Vocês têm filhos na escola!!, diziam, segundo o colunista, que acompanhava sua mãe, dona Neusa, na Batalha do Centro Cívico; Nesta data tão marcante para a educação no Paraná, devemos, além de protestar para que a insanidade repressiva de 1988 não caia no esquecimento... A educação de qualidade é o eixo do desenvolvimento do país!, destaca Gomyde, que ontem participou da marcha em Curitiba; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, relembra do trágico confronto da cavalaria com professores que protestavam em frente ao Palácio Iguaçu; era 30 de agosto de 1988, portanto, há exatos 26 anos educadores foram atacados com cavalos, bombas e balas de borracha; Abaixo a repressão! Senhor comandante, não toque em nenhum professor, somos pacíficos! Vocês têm filhos na escola!!, diziam, segundo o colunista, que acompanhava sua mãe, dona Neusa, na Batalha do Centro Cívico; Nesta data tão marcante para a educação no Paraná, devemos, além de protestar para que a insanidade repressiva de 1988 não caia no esquecimento… A educação de qualidade é o eixo do desenvolvimento do país!, destaca Gomyde, que ontem participou da marcha em Curitiba; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde*

Algumas coisas valem mais pelo simbolismo que encerram do que por qualquer outra coisa. à‰ o caso da manifestação dos professores paranaenses que relembra, anualmente, o fatídico 30 de agosto de 1988 quando, atacados com bombas e balas de borracha, enfrentaram a cavalaria. Abaixo a repressão! Senhor comandante, não toque em nenhum professor, somos pacíficos! Vocês têm filhos na escola!!, diziam. A lembrança simboliza o descontentamento histórico com o tratamento dispensado à  educação, uma questão que toca fundo a alma do país. Leia mais

28 de agosto de 2014
por esmael
40 Comentários

30 de Agosto: Professores marcham contra àlvaro Dias nesta sexta-feira

Milhares de educadores deverão marchar nas ruas centrais de Curitiba nesta sexta-feira (29); O Blog do Esmael vai transmitir ao vivo a manifestação a partir das 9 horas; movimento vai relembrar o "massacre" promovido pela cavalaria durante o governo àlvaro Dias, 1988; "Ainda menino, eu estive lá na passeata com minha mãe, Neusa, em que os professores foram massacrados pela cavalaria do àlvaro Dias", disse ao Blog do Esmael Ricardo Gomyde, que hoje disputa o Senado com o tucano. "Nunca vou me esquecer daquele dia", completou; abaixo, assista a trechos da manifestação ocorrida há 26 anos.

Milhares de educadores deverão marchar nas ruas centrais de Curitiba nesta sexta-feira (29); O Blog do Esmael vai transmitir ao vivo a manifestação a partir das 9 horas; movimento vai relembrar o “massacre” promovido pela cavalaria durante o governo àlvaro Dias, 1988; “Ainda menino, eu estive lá na passeata com minha mãe, Neusa, em que os professores foram massacrados pela cavalaria do àlvaro Dias”, disse ao Blog do Esmael Ricardo Gomyde, que hoje disputa o Senado com o tucano. “Nunca vou me esquecer daquele dia”, completou; abaixo, assista a trechos da manifestação ocorrida há 26 anos.

O senador àlvaro Dias (PSDB) será o principal alvo de educadores que nesta sexta-feira (29), em Curitiba, realizam uma marcha para relembrar o massacre dos grevistas. Eles se encontrarão à s 9 horas, na Praça Santos Andrade (UFPR), e partirão em passeata até o Centro Cívico, onde fica a sede do governo estadual. A manifestação foi antecipada em um dia, este ano, porque a data 30 de agosto cai no sábado. O Blog do Esmael vai transmitir ao vivo o tradicional protesto. Leia mais

25 de agosto de 2014
por esmael
47 Comentários

Eleição na APP-Sindicato põe em xeque a política do cafezinho!

Cerca de 70 mil educadores estão aptos a votar no próximo dia 10 de setembro para escolher a nova direção da APP-Sindicato (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Paraná), a maior entidade sindical do estado, que tem cerca de 100 mil trabalhadores na base. A expectativa é que ao menos 35 mil associados compareçam à s urnas eletrônicas que serão instaladas nas 2,1 mil escolas da rede pública.

Portanto, daqui a duas semanas professores, pedagogos, funcionários e aposentados das escolas vão dizer se querem interromper ou continuar a política do cafezinho! da atual gestão da APP, cujo grupo está no poder! há 21 anos. O mandato na entidade é de três anos.

Disputam a poderosa APP-Sindicato três chapas que são encabeçadas pelos seguintes professores: Hermes Silva Leão, da Chapa 1, ligado à  ex-presidente Marlei Fernandes, que concorre à  secretaria de Finanças e, concomitantemente, a uma vaga de deputada federal pelo PT; Professor Paixão, da Chapa 2, que se diz oposição à  atual direção; e professora Marcia Farherr, ligada ao PSTU, que lidera a Chapa 3.

Devido ao racha na CUT (Central Única dos Trabalhadores), que apresentou as chapas 1 e 2, a hegemonia da política do cafezinho! ficou em xeque. Professor Paixão se coloca como oposição, prometendo modernizar a gestão da APP, valorizar os aposentados e os professores PSS (não efetivo).

A política do cafezinho! ficou consagrada na atual gestão da APP-Sindicato, liderada pela Professora Marlei, que, em várias oportunidades, titubeou diante de sucessivos calotes do governo Beto Richa (PSDB) na categoria. Além disso, o fato de o gabinete do ex-secretário da Educação, vice-governador Flávio Arns (PSDB), ter sido palco de intermináveis reuniões regadas a bons cafezinhos, por mais de três anos, que se provaram improdutivas para o conjunto dos educadores paranaenses. Foi preciso uma greve para que houvesse alguns poucos avanços.

Por outro lado, a Chapa da Marlei!, como é conhecida a Chapa 1! entre os educadores, defende a permanência no comando da APP prometendo mais condições de trabalho e mais respeito aos trabalhadores da educação!.

Na próxima sexta-feira, dia 29, os educadores vão à s ruas para comemorar antecipadamente o 30 de Agosto!, que este ano cai no sábado. Mais do que dar uma sapecada! no senador àlvaro Dias (PSDB), que luta pela reeleição, as três chapas farão um teste de popularidade de seus líderes nas ruas de Curitiba. A marcha sairá da Praça Santos Andrade (UFPR), à s 9 horas, rumo ao Palácio Iguaçu.

Abaixo, veja quem é quem nas três chapas inscritas:

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2014/08/chapas_app_sindicato.pdf

19 de agosto de 2014
por esmael
61 Comentários

Na TV, Gomyde vai mostrar cavalaria da era àlvaro Dias contra professores

Em 30 de agosto de 1988, quando àlvaro governava o Paraná, o Batalhão de Choque e a Cavalaria da PM foram utilizados para dispersar educadores em greve que protestavam em frente ao Palácio Iguaçu (sede do governo estadual). A partir desse confronto, todos os anos, profissionais da educação fazem eventos para relembrar o massacre! atribuído ao tucano.

Em 30 de agosto de 1988, quando àlvaro governava o Paraná, o Batalhão de Choque e a Cavalaria da PM foram utilizados para dispersar educadores em greve que protestavam em frente ao Palácio Iguaçu (sede do governo estadual). A partir desse confronto, todos os anos, profissionais da educação fazem eventos para relembrar o massacre! atribuído ao tucano.

O ex-deputado Ricardo Gomyde (PCdoB), candidato ao Senado pela coligação de Gleisi Hoffmann (PT), foi convencido por correligionários a mostrar no horário eleitoral imagens da cavalaria avançando sobre professores em greve durante a gestão do então governador àlvaro Dias (1986-1989). Leia mais

22 de novembro de 2013
por esmael
12 Comentários

Depois de 25 anos, APP-Sindicato e àlvaro Dias se reencontram nesta sexta

Professores e àlvaro Dias têm reencontro histórico daqui a pouco, à s 17 horas, em Curitiba; há 25 anos, a APP-Sindicato vem acusando o tucano de ter ordenado a PM lançar bombas contra grevista em 30 de agosto de 1988, quando ele era governador do Paraná; senador sempre negou qualquer relação com o incidente; nesta sexta, àlvaro e representantes da categoria discutir proposta para o PNE (Plano Nacional de Educação), projeto relatado por ele no Senado, que prevê 10% do PIB na educação.

Professores e àlvaro Dias têm reencontro histórico daqui a pouco, à s 17 horas, em Curitiba; há 25 anos, a APP-Sindicato vem acusando o tucano de ter ordenado a PM lançar bombas contra grevista em 30 de agosto de 1988, quando ele era governador do Paraná; senador sempre negou qualquer relação com o incidente; nesta sexta, àlvaro e representantes da categoria discutir proposta para o PNE (Plano Nacional de Educação), projeto relatado por ele no Senado, que prevê 10% do PIB na educação.

Uma comitiva oficial da APP-Sindicato vai se reunir daqui a pouco, à s 17h, em Curitiba, com o senador àlvaro Dias (PSDB). O tucano é relator do Plano Nacional da Educação (PNE) que prevê, dentre outras coisas importantes, 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação brasileira. Leia mais

16 de setembro de 2013
por esmael
71 Comentários

Professores paranaenses convocam greve contra calote de Beto Richa

APP-Sindicato convoca assembleia, no próximo dia 28, que poderá deflagrar greve por tempo indeterminado na educação do Paraná; Richa e Arns deram calote de R$ 50 milhões nos educadores; ao estilo do Velho Oeste norte-americano, professores e funcionários das 2,1 mil escolas do estado espalham nas redes sociais cartazes com a foto do governador com a inscrição: Procura-se!; vem aí nova temporada de protestos contra o tucanato; Palácio Iguaçu se apega à  Resolução Conjunta 02/2013, de 2 de setembro, para justificar o tombo que deu no magistério paranaense; acordo foi fechado dia 30 de agosto, data que antes era lembrada pela truculência física contra professores e funcionários das escolas da rede pública, agora se transformou no Dia do Calote.

APP-Sindicato convoca assembleia, no próximo dia 28, que poderá deflagrar greve por tempo indeterminado na educação do Paraná; Richa e Arns deram calote de R$ 50 milhões nos educadores; ao estilo do Velho Oeste norte-americano, professores e funcionários das 2,1 mil escolas do estado espalham nas redes sociais cartazes com a foto do governador com a inscrição: Procura-se!; vem aí nova temporada de protestos contra o tucanato; Palácio Iguaçu se apega à  Resolução Conjunta 02/2013, de 2 de setembro, para justificar o tombo que deu no magistério paranaense; acordo foi fechado dia 30 de agosto, data que antes era lembrada pela truculência física contra professores e funcionários das escolas da rede pública, agora se transformou no Dia do Calote.

Cerca de 100 mil educadores paranaenses deverão entrar em greve por tempo indeterminado, a partir de 1!º de outubro, Mês do Professor, contra calote aplicado pelo governo de Beto Richa (PSDB). Os leitores deste blog souberam desse “tombo” em primeira mão na sexta (clique aqui para relembrar). Leia mais

13 de setembro de 2013
por esmael
139 Comentários

Confirmado. Richa deu novo calote nos professores do Paraná

Richa e Arns fizeram de bobos os educadores paranaenses, que no último dia 30 de agosto marcharam em todo o estado com uma ampla pauta de reivindicações; a promessa dos tucanos era de folha complementar nesta sexta, 13, mas não foi cumprida; o calote tucano ultrapassa os R$ 50 milhões.

Richa e Arns fizeram de bobos os educadores paranaenses, que no último dia 30 de agosto marcharam em todo o estado com uma ampla pauta de reivindicações; a promessa dos tucanos era de folha complementar nesta sexta, 13, mas não foi cumprida; o calote tucano ultrapassa os R$ 50 milhões.

O governador Beto Richa (PSDB) e seu vice, Flávio Arns (PSDB), secretário da Educação, fizeram de bobos a APP-Sindicato e os educadores que marcharam em várias cidades do Paraná, no último dia 30 de agosto. Leia mais