Operação policial conjunta no Rio de Janeiro deixa 22 mortos

A segunda operação mais letal da história do Rio de Janeiro.

Uma operação policial na Vila Cruzeiro, na Penha, na Zona Norte do Rio, resultou em 22 pessoas mortas nesta terça-feira (24/05).

A mais letal tinha ocorrido em maio de 2021, quando 28 pessoas morreram numa operação no Jacarezinho.

A operação foi desencadeada hoje pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) e pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Entidades de direitos humanos questionam a eficácia dessas matanças.

Por exemplo, elas querem saber o que melhorou na segurança do Jacarezinho depois que 28 pessoas morreram há um ano.

A PM e a PRF já tinha realizado uma operação conjunta em fevereiro deixando 8 mortos na mesma Vila Cruzeiro.

Na operação de hoje, as forças terrestres do Bope e da PRF contaram com o apoio de helicóptero blindado.

Segundo as forças policiais, foram apreendidos 13 fuzis, quatro pistolas, doze granadas e uma quantidade grande de drogas.

Quem são os mortos com identidade divulgada; confira:

Ao menos 19 pessoas mortas foram identificadas pela PM do Rio.

A maioria dos mortos era jovem e, pelas primeiras imagens, preta.

A polícia garante que ao menos 14 mortos eram suspeitos de integrar o tráfico de drogas.

Gabrielle Ferreira da Cunha, 41 anos, vítima de bala perdida dentro de casa, na entrada da Chatuba, ao lado da Vila Cruzeiro. Segundo o porta-voz da PM, Ivan Blaz, o mais provável é que ela tenha sido atingida por um disparo de arma de longo alcance.

Patrick Andrade da Silva, o PT, nasceu em Duque de Caxias, e completou 22 anos no último dia 4. Segundo a Polícia Civil, ele tinha uma passagem pela delegacia, em 2021, por suspeita de tráfico de drogas e associação ao tráfico.

Veja também  Freixo critica Carluxo pela compra de tríplex aos 20 anos e vira alvo de fake news bolsonarista

Eraldo de Noves Ribeiro, apontado como chefe de tráfico no Pará, morto em confronto, segundo a PM.

Geovane Ribeiro dos Anjos (“ Pinguim Ou Do Gelo”), 27 anos, teve três passagens pela polícia. Em 2014, foi preso suspeito de tráfico de drogas e associação criminosa. Três anos depois, em 2017, outra prisão por suspeita de tráfico de drogas. Já em 2018, Geovane foi detido por suspeita de “ofender a integridade corporal ou a saúde” de outra pessoa, além de resistência à prisão e tráfico de drogas.

Maycon Douglas Alves Ferreira da Silva (“Maiquim”), 29 anos, teve quatro passagens pela polícia. Em uma delas, em 2019, ele foi preso em flagrante por tráfico de drogas e associação criminosa. Maycon acabou condenado em junho de 2021 à pena de 6 anos e três meses de reclusão em regime fechado.

Marcelo da Costa Vieira, 33 anos, acumulou três passagens pela polícia, sendo a primeira delas em 2008, por suspeita de violência contra mulher. O processo foi arquivado. Morador de Petrópolis, na Região Serrana, Marcelo também foi preso em 2014, por suspeita de tráfico de drogas. Contudo, a Justiça absolveu Marcelo dessas acusações. Já em 2019, Marcelo voltou a ser preso por suspeita de ameaça e injúria real. Ele aguardava pelo julgamento do processo em liberdade.

Sebastião Teixeira dos Santos, 40 anos, morto em confronto, segundo a PM.

Carlos Henrique Pacheco da Silva, 23 anos, morto em confronto, segundo a PM.

Leonardo dos Santos Mendonça, 29 anos, morto em confronto, segundo a PM.

André Luiz Filho (Sdq), morto em confronto, segundo a PM.

Veja também  Eleições 2020 já tem um derrotado: Jair Messias Bolsonaro

Roque De Castro Pinto Junior, nascido no Amazonas, morto em confronto, segundo a PM.

Adriano Henrique Rodrigues Xavier, de 17 anos. Segundo a polícia integrava grupos de assaltantes, era conhecido como Playboy e morreu em confronto. Era natural do Pará.

Marlon da Silva Costa, 35 anos, conhecido como Déo. Segundo a polícia atuava no tráfico local, era natural do Pará e morreu em confronto.

► Homem não identificado que, segundo a polícia, era criminoso.

Eraldo de Novaes Ribeiro, segundo a polícia chefe do tráfico na cidade de Moju, no Pará

Izaias Victor Marques Nóbrega, de 22 anos.

Anderson Souza Lopes, de 18 anos.

Diego Leal de Souza, de 32 anos.

Nathan Weneck Borges Lopes, de 20 anos.

Feridos na operação

Edson Ferreira da Costa, conhecido como Chapoca, de 41 anos, que segundo a PM tem passagem por tráfico e é evadido do sistema prisional.

Kleber do Prado, de 23 anos.

Karla Karoline da Silva Rua, de 18 anos, segundo a polícia é mulher de Deo, morto na operação.

Luiz Adelino dos Santos Filho, de 42 anos.

Sérgo Silva do Rosário, de 47 anos.