Deltan Dallagnol surta com TCU que cobra dele R$ 2,8 milhões por farra na Lava Jato

O ex-procurador Deltan Dallagnol, pré-candidato a deputado federal pelo Podemos do Paraná, publicou um vídeo surtado contra o Tribunal de Contas da União (TCU), que cobra dele e dos demais ex-integrantes Lava Jato R$ 2,8 milhões por farra na época da força-tarefa em Curitiba.

Segundo o TCU, Dallagnol e o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot fizeram uma farra por meio de gastos com passagens e diárias para servidores que atuaram na força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba, entre 2014 e 2021. O tribunal pede o ressarcimento do valor, cujo relatório aprovado por unanimidade coube ao ministro Bruno Dantas.

Surtado, Deltan desinforma ao partir para cima do TCU e do senador Renan Calheiros.

– O TCU quer colocar na minha conta, quer cobrar de mim e de outros procuradores da Lava Jato, o dinheiro que foi investido para recuperar R$ 15 bilhões para sociedade. Para recuperar isso, a gente trouxe procuradores especialistas de todo o país, pessoas especializadas em lavagem de dinheiro, em combate à corrupção para trabalhar aqui. Para isso, como qualquer empresa paga, foram pagas passagens aéreas para essas pessoas virem trabalhar, dinheiro para eles pagarem hotel, alimentação, como qualquer empresa pagaria – disse o ex-procurador da Lava Jato, que tentará uma vaga na Câmara.

Ele e os ex-procuradores da força-tarefa de Curitiba não estão sendo cobrados pelo combate à corrupção, pelo contrário, mas sim pela farra com diárias que soma quase R$ 3 milhões – segundo o TCU.

Dallagnol ainda afirma que Bruno Dantas, do TCU, age em conluio com Calheiros.

– Agora o ministro Bruno Dantas, que estava lá no jantar de lançamento da pré-candidatura do ex-presidiário, ex-presidente Lula, ele, que é apadrinhado de Renan Calheiros, manda esse ofício querendo botar na minha conta quanto? Eu vou falar agora para você qual que é o custo. A gente vai recorrer disso aqui, eu vou levar para a Justiça, para 1ª instância, porque a 1ª instância é uma instância técnica do judiciário. Então eu tenho a expectativa de que vai revisar e haja conta aqui – acusou.

Veja também  Ratinho pode privatizar hoje a Copel Telecom; ação popular pede anulação

Deltan Dallagnol jura que paga um preço alto pelo combate à corrupção.

– E ele [Bruno Dantas] querendo cobrar isso de mim que não sou administrador do Ministério Público, não mandei pagar diária, não recebi essas diárias, não autorizei, e ele deu um jeito de me incluir lá. E olha o que ele quer cobrar de mim: R$ 2,8 milhões. Esse é o preço de quem quer combater a corrupção no Brasil. O sistema reage, o sistema contra-ataca, o sistema quer parar você, mas se vocês querem me parar, eu não vou ser parado. Eu vou seguir em frente, eu não vou desistir do meu país – disse.

Além de Deltan, o ex-juiz Sergio Moro (União-SP) também é cobrado para ressarcir os cofres públicos por conta de prejuízos causados à sociedade durante a Lava Jato.

A Justiça Federal do DF transformou Moro em réu numa ação popular proposta por deputados federais do PT, que acusam o ex-juiz de produzir mais de 4 milhões de desempregados no País e prejuízos de R$ 170 bilhões durante atuação na força-tarefa.

Assista ao vídeo com o surto de Deltan Dallagnol