Curitiba e BH registram aumento da carga do novo coronavírus em seus esgotos

► Entre 1º e 19 de maio as duas capitais registraram a elevação simultânea da carga viral em seus esgotos e o aumento do número de novos casos de COVID-19

A Rede Monitoramento COVID Esgotos publicou Notas de Alerta sobre a detecção do aumento da carga do novo coronavírus nos esgotos das cidades de Belo Horizonte (MG) e Curitiba (PR) em 20 de maio. O crescimento foi avaliado nas semanas epidemiológicas 18 a 20 deste ano, no período de 1º a 19 de maio. O estudo aponta que a elevação da carga viral nos esgotos das capitais, mineira e paranaense, acompanha os números de novo casos nesses estados.

Em Belo Horizonte, nas semanas epidemiológicas 18 (03/05) e 19 (10/05) foi observado o crescimento da carga viral da COVID-19 nos esgotos, a partir de coletas de duas Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs) monitoradas, que atendem 70% da população da capital mineira e da cidade de Contagem. Vale destacar que o valor encontrado na semana epidemiológica 19 foi quase cinco vezes superior registrado na última semana de abril.

No dia 5 de maio foi publicada uma Nota de Alerta para Curitiba, que tinha registrado um aumento considerável nas cargas virais do novo coronavírus nos esgotos da capital paranaense. Devido ao crescimento contínuo, a Rede publica outra Nota para alertar a população e órgãos competentes sobre a elevação das cargas virais no período de 10 a 20 de maio. Os dados foram obtidos a partir da soma das cargas das cinco ETEs monitoradas, que juntas atendem toda população de Curitiba e uma fração da população da região metropolitana da capital paranaense.

Os valores encontrados nas redes de esgotos analisadas em Curitiba e região metropolitana são duas vezes maiores que a última Nota de Alerta, na semana epidemiológica 18 (03/05). O número de novos casos de COVID-19 em Curitiba também teve aumento de aproximadamente três vezes na semana epidemiológica 20 (17/05), comparado à semana 18 (03/05). Para mais informações sobre o tema, confira as Notas de Alerta para Belo Horizonte e Curitiba (PR) na íntegra.

Veja também  Candidato a reitor derrotado na UFPR recebe mensagem: "Retira, Horácio"

Sobre a Rede Monitoramento COVID Esgotos

A Rede Monitoramento COVID Esgotos foi criada com intuito de ampliar a disponibilidade de informações para o enfrentamento da pandemia de Covid-19 por meio do monitoramento do SARS-CoV-2 nos esgotos de seis capitais brasileiras: Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro. A Rede é coordenada pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações de Tratamento de Esgotos Sustentáveis (INCT ETEs Sustentáveis) e pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Em Curitiba, especificamente, o projeto é coordenado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e conta com o apoio da Companhia de Saneamento do Paraná (SANEPAR). Já em Belo Horizonte a ação é coordenada pela Universidade Federal de Minas Gerais em articulação com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA).