Blog do Esmael 7 x 0 parente ‘distante’ de Richa

O Tribunal de Justiça do Paraná desconsiderou recurso do primo do governador Beto Richa (PSDB), o lobista Luiz Abi Antoun, contra o Blog do Esmael. Até agora, o placar é de 7 x 0 a favor do titular desta página ante a tentativa frustrada de lawfare da parentela tucana.

O parente ‘distante’ tentou utilizar-se do lawfare (palavra inglesa que representa o uso indevido dos recursos jurídicos para fins de perseguição política) visava censurar conteúdo do Blog do Esmael, mas, como se percebe no acórdão do TJPR, ele se deu muito mal.

O TJPR confirmou que:

1. A notícia abrange a narrativa de um fato ou elemento, sem que haja a emissão de juízo de valor, limitando-se à exposição de um fato de forma objetiva.

2. A crítica, por sua vez, possui conteúdo subjetivo, visto se tratar da interpretação realizada por seu formulador em face de determinada situação ou fato.

3. O elemento que torna a crítica ilícita é a dissociação do fato objetivo, quando então se evidencia a intensão de violar a honra do indivíduo a ser examinada em cada caso, o que, conforme dito, não se verifica no caso em questão.

Luiz Abi Antoun, o primo ‘distante’ de Beto Richa, reclamou na Justiça que ficou ‘abalado emocionalmente’ com as postagens do Blog do Esmael. Elas [as matérias] versavam sobre sua prisão; condenação a 13 anos de prisão no âmbito da Operação Voldemort, do Gaeco; além de repercutir informações de que Indícios apontam que o primo de Beto Richa, Luiz Abi Antoun, seria o elo entre os desvios na Receita Estadual e o doleiro Youssef, que teria a função de ‘lavar’ os recursos desviados para que pudessem ser usados na campanha do tucano.

“Entre o direito à honra e o direito de informar, devemos concluir que, no caso telado, este último prepondera, eis que as informações veiculadas não contém cunho eminentemente inverídico, e em seu teor não decreta a culpa do autor, mas explicita a existência de indícios, tão somente, de que haveria a lavagem de dinheiro”, diz um trecho da sentença do juiz Paulo Roberto Ciola de Castro cuja decisão foi confirmada pelo TJPR.

Veja também  PGR questiona normas estaduais sobre foro por prerrogativa de função

O Blog do Esmael foi defendido pelo escritório Vernalha Guimarães & Pereira Advogados (VGP Advogados).

Clique aqui para ler a íntegra do acórdão do TJPR

Comments are closed.