Maia, o Botafogo, rebaixado na Câmara: ‘Não vou deferir impeachment’

Compartilhe agora

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o Botafogo, foi rebaixado nesta segunda-feira (1º) ao afirmar que não vai deferir o impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

“Não vou deferir impeachment”, disse um lacônico Maia, após ameaçar aceitar todos os 62 pedidos de impeachment protocolados na Câmara.

No início da tarde de hoje, Maia tinha informado ao líder do PT na Câmara, Enio Verri (PR), que iria abrir o processo de impeachment contra Bolsonaro. A informação divulgada pelo UOL, no entanto, foi mais tarde desmentida pelo petista.

Rodrigo Maia disse à jornalista Andreia Sadi, da GloboNews, que não vai aprovar o impeachment.

Na Câmara, a conversa é a seguinte: o mercado financeiro, que manda no passe de Maia, o impede de abrir o impeachment de Bolsonaro.

“Melhor serviço que Rodrigo Maia pode prestar ao Brasil como saldo de sua estada na presidência da Câmara é abrir processo de impeachment de Bolsonaro”, disse a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR).

Segundo a dirigente petista, cresce o clamor na sociedade e confusões sobre a eleição para a mesa, com compra de votos e interferência de Bolsonaro, exigem posição corajosa [de Maia].

Resumo da ópera: Rodrigo Maia, o Botafogo, foi rebaixado hoje na Câmara.