Internet pede #CoragemMaia a favor do impeachment de Bolsonaro

Compartilhe agora

Entre apoio e pressão, internautas levantaram na manhã desta segunda-feira (1º) a hashtag #CoragemMaia –a favor do impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cogitou na noite deste domingo (31) aceitar todos os 62 pedidos de impeachment protocolados na Câmara.

O parlamentar ficou magoado com Bolsonaro, que, por meio de ACM Neto, tirou ontem à noite o DEM do apoio à candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP) na disputa pela presidência da Câmara.

Oito candidatos concorrem à sucessão de Maia, cuja eleição dar-se-á a partir das 19h com transmissão ao vivo pelo Blog do Esmael.

Pela Constituição Federal, é o presidente da Câmara quem tem a discricionariedade para abrir o processo de impeachment do presidente da República.

Câmara elege nova Mesa Diretora hoje a partir das 19h

A Câmara dos Deputados realiza hoje, a partir das 19 horas, a eleição da Mesa Diretora que vai conduzir as atividades da Casa no biênio 2021-2022. Conforme decisão da Mesa, a eleição será totalmente presencial, com urnas dispostas no Plenário e nos salões Verde e Nobre, espaços que ficarão restritos aos parlamentares, de forma a evitar aglomerações e manter o distanciamento.

Segundo ofício enviado na quinta-feira (28) passada aos deputados pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o prazo limite para a formação de blocos parlamentares termina ao meio-dia. Os cargos da Mesa são distribuídos aos partidos na proporção do número de integrantes dos blocos partidários.

Às 14 horas, terá início da reunião de líderes, para a escolha dos cargos da Mesa pelos partidos, conforme o critério de proporcionalidade.

Às 17 horas, termina o prazo para registro das candidaturas. Terminado esse prazo, haverá o sorteio da ordem dos candidatos na urna eletrônica. Oito deputados são candidatos, sendo dois de blocos partidários, dois de partidos políticos e o restante avulso.

A Mesa é composta pelo presidente, dois vice-presidentes, quatro secretários e seus suplentes. Os votos para os cargos da Mesa só são apurados depois que for escolhido o presidente.

De acordo com o Regimento Interno, a eleição dos membros da Mesa ocorre em votação secreta e pelo sistema eletrônico, exigindo-se maioria absoluta de votos (metade mais um) no primeiro turno e maioria simples no segundo turno.

Conforme questões de ordem respondidas em 2009 e 2011 pelos ex-presidentes Arlindo Chinaglia e Henrique Eduardo Alves, respectivamente, a maioria absoluta se refere ao total de votantes e não ao total de integrantes da Casa. No cálculo são computados eventuais votos em branco. A decisão diz que são excluídos os votos nulos, mas não há essa opção no sistema eletrônico de votação.