Marielle

Bombeiro é preso por suspeita de envolvimento no assassinato de Marielle

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu na manhã desta quarta-feira (10) o sargento do Corpo de Bombeiro Maxwell Simões Correa, também conhecido como Suel, por suspeita de participação no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes, em março de 2018.

Suel é um dos alvos da Operação Submersus 2, deflagrada pela Polícia Civil em parceria com o Ministério Público do Rio. Também estão sendo cumpridos outros mandados de busca e apreensão em dez endereços na capital fluminense. A operação foi autorizada pela 19ª Vara Criminal da Capital.

LEIA TAMBÉM:
Helder Barbalho é alvo de operação da Polícia Federal sobre compras de respiradores

Cidade Alerta da TV Record explora a morte e revolta redes sociais

Regina Duarte termina “casamento” com Bolsonaro: “Deu-se! #ufa”

O bombeiro, que foi detido em casa em um condomínio de luxo no bairro Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, é apontado como o braço-direito do Policial Militar reformado Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos que mataram Marielle e Anderson. Segundo as investigações, ele ajudou a sumir com as armas usadas no crime, que foram jogadas no mar.

A primeira fase da operação, Submersos 1, ocorreu em outubro de 2019. Na época, quatro pessoas foram presas, entre elas Elaine Lessa, esposa de Ronnie Lessa.