China diz que apoia a OMS na busca pelo COVID-19 e denuncia ‘mentiras’ dos EUA

A China disse nesta quinta-feira (7) que apoia a Organização Mundial da Saúde (OMS) na tentativa de identificar as origens da pandemia do COVID-19 e acusou o secretário de Estado americano Mike Pompeo de contar uma mentira após a outra em seus ataques a Pequim.

O vírus matou mais de 255.000 pessoas em todo o mundo, incluindo mais de 70.000 nos Estados Unidos, o país mais afetado, desde que foi identificado pela primeira vez na cidade de Wuhan, no centro da China, em dezembro.

Pompeo acusou a China de reter amostras de vírus que, segundo ele, eram necessárias para a pesquisa global de vacinas, e exigiu transparência. A maioria dos especialistas acredita que o COVID-19 se originou em um mercado de venda de animais selvagens e pulou de animais para pessoas, mas Pompeo e o presidente dos EUA, Donald Trump, disseram que há evidências de que ele veio de um laboratório, sem dar detalhes.

LEIA TAMBÉM:
Justiça obriga Bolsonaro a mostrar resultado de exame para Covid-19

Argentina diz que epidemia no Brasil põe região em risco

40% dos brasileiros tiveram perda total ou parcial da renda na pandemia, diz pesquisa

Pompeo também acusou a OMS de ser muito lenta para responder à doença e disse que “ainda precisa exigir que haja uma investigação” na China.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China Hua Chunying, dirigindo-se a repórteres em Pequim nesta quinta-feira, disse que a China apoia os esforços da OMS para investigar a origem da pandemia.

“Estamos sempre abertos a cooperar com a OMS em questões, inclusive na questão de origem”, disse Hua ao citar estudos da França, da Suécia e dos Estados Unidos que sugerem que o vírus pode não ter surgido na China.

“Embora os cientistas não tenham chegado a uma conclusão, por que o secretário Pompeo está tirando apressada conclusão de que o vírus veio de um laboratório de Wuhan? Onde está a prova dele? Mostre-nos a prova”, desafiou.

A OMS instou os países a investigar quaisquer casos suspeitos precoces e chamou comentários anteriores sobre uma possível fonte laboratorial de Pompeo “especulativos”.

Hua disse que Pompeo se contradiz em entrevistas sobre o vírus. “A razão pela qual ele se contradiz é porque ele está sempre inventando uma mentira para encobrir outra mentira”.

“Pior ataque”
Em um evento da Casa Branca ontem (6), Trump, que está buscando a reeleição em novembro, classificou o vírus como o pior “ataque” que os Estados Unidos já haviam experimentado, e culpou a China por não detê-lo.

“Isso é pior que Pearl Harbor. Isso é pior que o World Trade Center ”, disse Trump. “E isso nunca deveria ter acontecido. Poderia ter sido parado na fonte. Poderia ter sido parado na China. Deveria ter sido parado na fonte, e não foi.

Ele acusou a OMS de ser “centrado na China” e de agir muito lentamente para combater a doença, e ameaçou retirar fundos, enquanto muitos cientistas disseram que agora é a hora de aumentar o financiamento e a cooperação global para encontrar uma vacina.

O Japão atacou Pearl Harbor no Havaí em 1941 e militantes da Al Qaeda levaram aviões sequestrados para o World Trade Center em Nova York em 11 de setembro de 2001.

Hua disse que o único inimigo era o vírus.

“Como esse é o inimigo comum de toda a humanidade … Diante dessa batalha da humanidade contra o vírus, a China deveria ser (a) camarada de armas dos EUA, não inimigo”.

Ela também disse que governos e empresas locais chinesas doaram 9,6 milhões de máscaras, 500.000 kits de teste, 305.000 pares de luvas e 133.500 pares de óculos de proteção para 55 cidades em 30 estados dos EUA na terça-feira (5).

Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA e membro da Força-Tarefa de Coronavírus de Trump, disse em entrevista publicada na segunda-feira (4) que as melhores evidências mostram que o vírus não foi produzido em laboratório, mas parece ter “evoluído em natureza e depois mudou de espécie”.

Da Agência Reuters