O estranho sumiço de Paulo Guedes

Publicado em 8 outubro, 2019
Compartilhe agora!

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem um quê da ficção 1984, de George Orwell, obra publicada em 1949, qual seja, há 70 anos. Senão vejamos, as pessoas “vaporizam”, somem sem deixar vestígios. Cadê o Paulo Guedes?

O ministro da Economia, outrora chamado de Posto Ipiranga pelo presidente da República, desapareceu depois de alguns eventos:

1- A economia entrou em recessão técnica;

2- O desemprego continua altíssimo e a informalidade idem;

3- Aumentou o número de empresas falidas;

LEIA TAMBÉM
Adeus PSL: Bolsonaro pode ingressar na nova UDN

Senado convoca ministro do Turismo para explicar ‘laranjal’ do PSL

Manifestantes invadem a Assembleia Nacional do Equador; assista

4- Bolsonaro o abandonou como conselheiro econômico; e

5- A Globo perdeu a paciência com Paulo Guedes, dedicando-lhe um quatro no dominical Fantástico sobre suas promessas.

Segundo a novilíngua orwelliana, o verbo “vaporizar” significava que as pessoas somem sem deixar registro de sua existência. A pessoa é cancelada, aniquilada, etc.

Paulo Guedes foi defenestrado. Virou um zumbi. Motivo de chacotas no governo, nas redes sociais e na velha mídia que dá suporte ao neoliberalismo econômico –esse diabólico modelo que retira direitos dos trabalhadores e joga milhões do povo na miséria absoluta.

Se tivesse dignidade, Guedes já teria pedido a conta. Porém, não se trata de dignidade. Se trata de interesse.

Em tempo: cadê o Paulo Guedes? Cadê o Queiroz? Cadê o Hélio Negão?

Compartilhe agora!