Bolsonaro estuda proibir ‘molhar o bico’ e sexo antes do casamento

No futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL) pensa-se proibir o sexo antes do casamento e ‘molhar o bico’, isto é, tomar bebida alcoólica.

A tarefa de deixar o povo de ‘bico seco’ seria do ex-juiz Sérgio Moro, futuro ministro da Justiça. A revelação foi feita n’O Globo pelo próximo ministro da Cidadania, Osmar Terra.

LEIA TAMBÉM
Pela 1ª vez, desde a redemocratização, não haverá indulto de Natal para presos

“Se reduzir o horário de venda de bebidas alcoólicas em restaurante, em bar (…) podemos fazer junto com o [Sergio] Moro, na Justiça, uma política de redução da violência”, afirmou Terra.

“O Moro vai me deixar de bico seco…. Fora, Moro!”, reagiu de imediato um internauta — e com razão.

Embora os londrinos sejam conhecidos como beberrões, na capital do Reino Unido houve apenas 55 homicídios desde o começo deste ano de 2018. Desses, a polícia (Scotland Yard) matou apenas 5 pessoas. No ano passado, em Londres, morreram 177 por mortes violentas intencionais.

A título de comparação, ocorreram 63.880 homicídios no Brasil em 2017. Estimam-se para este ano 70 mil mortes violentas intencionais.

Dito isto, é mais um fetiche de Moro e Bolsonaro atribuir à sagrada ‘birita’ a culpa pela violência no Brasil. Ademais, nos Estados Unidos, a Lei Seca (Prohibition) que vigorou entre 1920 e 1933 só aumentou a violência e estimulou o tráfico da bebida alcoólica.

A verdadeira origem da matança nesta Terra de Santa Cruz está na concentração de renda, na deliberada política estatal de eliminação de pobres e pretos, na guerra às drogas e às pessoas, dentre outras mazelas próprias do capitalismo.

Por fim, conclamamos pelo sexo livre antes do casamento e por Cuba Libre [o drink]. Abaixo, Bozo! Fora, Moro!

Comentários encerrados.