16 de agosto de 2016
por esmael
12 Comentários

A máfia dos radares em Curitiba

fruet_radar_marceloO advogado Marcelo Araújo, especialista em multa e trânsito, destaca em sua coluna desta terça (16) a máfia dos radares que atravessou incólume durante toda a gestão do prefeito Gustavo Fruet (PDT), em Curitiba. “Sem que houvesse nova licitação”, denuncia. Abaixo, leia, ouça, comente e compartilhe a íntegra do texto:

16 de Fevereiro de 2016
por admin
13 Comentários

Coluna do Marcelo Araújo: Marechal Floriano é o culpado

Download áudio

Marcelo Araújo*

Notícias recentes dão conta de que, num período de dois meses, apenas dois radares instalados na Marechal Floriano fizeram 13 mil autuações, o que daria uma média mensal de 6,5 mil.

Em artigo publicado aqui no Blog do Esmael datado de 29/12/15 eu já alertava da manipulação dos números de autuações ocorridas na área calma, e o que merece ser relembrado é o ofício do prefeito tanto ao vereador Professor Galdino (PSDB) quanto ao Presidente da Câmara, vereador Ailton Araújo (PSC), informando das autuações mensais de TODOS equipamentos entre janeiro e julho de 2015, cuja variação foi entre 21 e 28 mil. Dessa vez o vereador Tico Kuzma (PROS) demonstra sua indignação e pede explicações.

Então significa que agora apenas dois equipamentos geraram o equivalente a ¼ da média de autuações mensais do ano passado. Sem contar o que já foi analisado em relação à área calma? Na reportagem acima a prefeitura ainda chama a Marechal de ‘Via Calma’ de 40Km/h quando o termo ‘Via Calma’ iniciou o uso na Sete de Setembro com velocidade de 30Km/h, e ‘Área Calma’ é um polígono centrar de velocidade de 40Km/h. A intenção realmente é dar um nó na cabeça do cidadão e ainda qualificá-lo de desobediente às leis. Cavar a falta na área (calma?) para ganhar no pênalti?

Voltando ao velho assunto do pátio. Em outubro de 2015 eu já denunciava o descaso em relação ao pátio que foi alugado emergencialmente, e cuja segurança estava sendo feita informalmente pela Guarda e por Agentes, cuja função não é esta.

Pois bem, além de ter sido extinto o serviço de remoção de veículos que obstruem saídas, entre outras, os veículos recolhidos não possuem segurança, e estão sendo constantemente depredados, peças furtadas, e toda sorte de práticas decorrentes da invasão do pátio da Marechal Floriano. Significa que quem for reaver seu carro, e ele tiver sofrido qualquer dano, depreciação ou furto de peças, isso se o carro inteiro não sumiu, tem direito a ser indenizado material e moralmente pela prefeitura.

Naquela oportunidade eu já pedia postura dos Vereadores, Ministério Público e Tribunal de Contas contra esses desmandos. Parece que alguns edis até então fiéis ao alcaide já começam a pesar a conveniência da conivência, avaliando a saída à francesa. Tomando por base o histórico de culpar o passado do nosso ‘Prefeito Sabatina’ podemos sugerir que culpe o Marechal Flori

17 de novembro de 2015
por esmael
9 Comentários

Indústria da multa e ‘vias calmas’ puxam críticas a Fruet na internet

radar_fruetO prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), virou alvo de críticas nas redes sociais.

Nesta terça-feira (17), por exemplo, circula “meme” com uma foto do pedetista com a inscrição “Olá curitibano. Como posso atrapalhar a sua vida hoje?” (sic).

A bronca dos moradores da capital com Fruet tem a ver com a implantação das ‘vias calmas’, locais em que a velocidade máxima foi reduzida para 40 km/h.

Além da redução do limite da velocidade, o prefeito instalou dezenas de novos radares fixos e opera outros móveis, verdadeiros caça-níqueis.

Detalhe da indústria da multa gustavista: esses equipamentos operam sem contrato, via Consilux — aquela empresa das propinas no Fantástico.

6 de outubro de 2015
por admin
5 Comentários

Coluna do Marcelo Araújo: ‘Área Calma’ humanizada com rodízio ou pedágio urbano?

Download

Marcelo Araújo*

A partir de 16 de novembro está programado o início da fiscalização eletrônica na ‘Área Calma’ de Curitiba, através de uma dúzia de radares fixos que estão sendo instalados, e mais radares estáticos (com tripés) que podem ser montados em qualquer ponto.

Esse número representa 10% do total de equipamentos instalados na cidade, mas ainda parece não ter ficado claro se serão relocados de outros lugares que não contarão mais com a fiscalização, ou se serão acrescidos aos já existentes. Isso implicaria numa matemática complexa para reajustar o valor pago pela ocupação dos atuais equipamentos, que em vez de nova licitação, se eterniza algo que era para ser momentâneo. Por mais absurdo que pareça, já se falou em desapropriar os equipamentos atuais, lembrando que a obsolescência é o maior fator de desvalorização de dispositivos eletrônicos. Merece esclarecimento!

São Paulo também faz um controle mais efetivo de velocidade no que resolveu chamar de Área 40, que se dá em vários bolsões. Mas, segundo a prefeitura, Curitiba quer ir além do mero controle da velocidade, quer sim humanizar a área.

Humanizar, segundo reportagem da Folha de São Paulo, significa oferecer mais espaço ao ser humano desnudo de um veículo, aumentando áreas de calçadas, pracinhas, etc. Bastariam obras como essas para a velocidade reduzir naturalmente, mas o pulo do gato estaria no desestímulo ao uso do automóvel, que tem um péssimo índice de ocupação de pessoas por veículo, e dessa forma havendo menor número de veículos passaria a ter mais sentido a fiscalização da velocidade.

Aí de duas uma, ou as duas!!! Rodízio ou Pedágio Urbano. E para isso o aparato eletrônico tem uma ferramenta sublime, que é o OCR (Optical Character Recognition), ou leitor ótico de caracteres, que permite ao próprio equipamento ‘ler’ a placa dos veículos sem a necessidade de um ser humano para isso.

São Paulo já controla o rodízio, a circulação de vans para fretamento e veículos pesados exatamente dessa forma. Por coincidência a Lei 12.587/12, conhecida por Lei da Mobilidade Urbana em seu Art. 23, III abre a possibilidade para essa cobrança.

Vê-se que nosso Rei (figura decorativa) tem um primeiro ministro bem perspicaz. Sabemos que na monarquia o Rei é o chefe de Estado, enquanto o premier é o Chefe de Governo (no caso Secretário) e um deles (o ator ou o ventríloco) poderia abrir o jogo da tal humanização proposta. É rodízio ou pedágio urbano?

De multa eu entendo!

*Marcelo Araújo é advogado, presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas terças-feiras para o Blog do Esmael.

21 de julho de 2015
por esmael
26 Comentários

Coluna do Marcelo Araújo: Fruet busca “imunidade divina” com o papa Francisco; conseguirá?

fruetpapaMarcelo Araújo*

“Sobreviverá à eleição quem ficar à margem de escândalos”

Essa frase extraída de uma entrevista do prefeito Gustavo Fruet, mas já proferida em outras oportunidades como no discurso/palestra apolítico (ah! Político) proferido no aniversário do Instituto dos Advogados no dia 10/06 já dá indicativos que ele não deposita suas fichas em realizações, e sim em ficar longe de confusões. Nesse caso, o lugar mais seguro realmente é embaixo da cama rezando para o tempo passar logo, e cada minuto não demorar mais que 30 segundos, como tem feito.

O prefeito parece que ainda se vê envolto num manto sagrado da pureza, imaculado, acho até que espera que no Vaticano o Santo Papa se ajoelhe e peça sua bênção.

Se entendermos que ‘escândalos’ decorrem apenas de corrupção já falei que eu realmente não acredito que seja corrupto, até porque não fazendo nada as portas de entrada ficam estreitas. Entendo que isso não seria um motivo de tranquilidade, vez que seus principais concorrentes também não mostraram indícios que escândalos por corrupção sejam atrapalho ao repouso, apenas não se acham missionários livres do pecado.

Escândalo na verdade é aquilo que alguns colunistas e redes de comunicação dão a máxima repercussão e a mínima oportunidade de resposta, a qual é neutralizada. Você quer pior escândalo que uma tentativa de fraudar mais de 60 mil multas ter ficado sem explicação?

9 de junho de 2015
por esmael
14 Comentários

Coluna do Marcelo Araújo: “Fruet e o discurso bumerangue”

bumerangMarcelo Araújo*

Muitos leitores têm a impressão que sou muito rigoroso com nosso querido prefeito nos meus comentários, e que eu teria alguma inimizade com ele. Muito pelo contrário, o conheço desde os tempos da faculdade na UFPR e já fui seu eleitor. Mas devo admitir que aprendi com ele que por uma eleição ele faz qualquer coisa, diz qualquer coisa, não respeita amigos.

Gosto dele como pessoa e creio na sua honestidade, mas como chefe de Poder Executivo (de qualquer esfera) ele não é digno de confiança. Ele também ensinou como ser rigoroso com os outros, e no caso do seu antecessor qualificou-o de omisso, incompetente, estagnado, etc. Parece até que ele colocou tudo discurso num bumerangue e o lançou, e o objeto voltou e escalpelou seu couro… (des)cabeludo!

Vamos a dois exemplos que podem ser rememorados.

19 de Maio de 2014
por esmael
32 Comentários

Coluna do Marcelo Araújo: Cérebro! da Prefeitura de Curitiba só comunica com o intestino

Marcelo Araújo, em sua coluna desta segunda, critica a Urbs e a Setran, órgãos da Prefeitura de Curitiba, pela falta de comunicação entre si; o especialista de multa e trânsito aponta perseguição aos motoristas de ônibus devido à  alta incidência de atropelamentos na Travessa da Lapa ao comentar que a Prefeitura vai licitar a compra de novos radares; Pedestres desatentos, falando ao celular ou nas redes sociais enquanto caminham por vezes

Marcelo Araújo, em sua coluna desta segunda, critica a Urbs e a Setran, órgãos da Prefeitura de Curitiba, pela falta de comunicação entre si; o especialista de multa e trânsito aponta perseguição aos motoristas de ônibus devido à  alta incidência de atropelamentos na Travessa da Lapa ao comentar que a Prefeitura vai licitar a compra de novos radares; Pedestres desatentos, falando ao celular ou nas redes sociais enquanto caminham por vezes “atropelam” os veículos. Mas nessa corrente de culpados os eleitos para condenação são os motoristas!; colunista afirma que, se a gestão de Gustavo Fruet fosse um corpo humano, o “cérebro! enviaria mensagem direta ao intestino, que retribui com belos resultados!; leia o texto e compartilhe.

Marcelo Araújo*

Na semana passada, a Prefeitura de Curitiba anunciou que nos próximos dias estará fiscalizando a velocidade desenvolvida pelos coletivos na Travessa Lapa devido à  alta incidência de atropelamentos, vislumbrando ainda licitação para aquisição de novos radares para essa finalidade. Estaria também sendo desenvolvido um trabalho educativo com os motoristas. Simples assim! Leia mais