30 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em G20: Buenos Aires ‘tremeu e parou’ nesta sexta-feira

G20: Buenos Aires ‘tremeu e parou’ nesta sexta-feira

O início da reunião de cúpula do G20, encontro dos chefes de estado das principais economias do mundo nesta sexta-feira (30), e os protestos populares deixaram convulsionada e caótica a capital argentina, que teve até um tremor de terra de baixa magnitude, 3,8 na Escala de Richter, na manhã de hoje. A região central de Buenos Aires, aeroportos, trens e ônibus (parcialmente) estão paralisados. O governo de Macri decretou feriado na tentativa de esvaziar as manifestações. ... 

Leia mais

26 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Trabalhadores da Aerolíneas Argentinas em greve; companhia cancela voos

Trabalhadores da Aerolíneas Argentinas em greve; companhia cancela voos


Os trabalhadores da estatal Aerolíneas Argentinas iniciaram uma greve com a paralisação completa das atividades da companhia nesta segunda-feira (26) reivindicando o pagamento de Cláusula de Compensação Inflacionária, um gatilho de proteção salarial, que deveria ser pago no mês de setembro. A Aerolíneas cancelou todos os voos, o que afeta as rotas para o Brasil. O sindicato da categoria não informou um prazo para o fim do movimento. ... 

Leia mais

30 de agosto de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em ‘Efeito Tango’ eleva dólar acima de R$ 4,20 no Brasil

‘Efeito Tango’ eleva dólar acima de R$ 4,20 no Brasil

O desastre da política neoliberal do governo Mauricio Macri, na Argentina, já impacto no valor do dólar no Brasil. A moeda norte-americana foi comercializada hoje (30) a R$ 4,21. ... 

Leia mais

23 de maio de 2018
por Redacao
Comentários desativados em Marcha nacional e paralisação dos professores contra o desmonte de Macri na Argentina

Marcha nacional e paralisação dos professores contra o desmonte de Macri na Argentina

Milhares de professores argentinos e de outras categorias de trabalhadores promovem nesta quarta-feira (23) uma Marcha Federal em Defesa da Educação. O  protesto tomou as  principais avenidas de Buenos Aires. Os professores protestam contra a lei da paridade etária e mudanças no financiamento educativo. Além disso, denunciam o desmonte na Educação provocado pela política neoliberal do governo de Mauricio Macri. ... 

Leia mais

12 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
8 Comentários

Coluna do Bruno Meirinho: ¿Feliz año nuevo?

Bruno Meirinho*

Hoje quero falar sobre a situação política na Argentina. Agradeço à preciosa contribuição do brasileiro-argentino Rodolfo Jaruga, que acaba de voltar daquele país, para as informações contidas no texto.

A eleição de Maurício Macri além de representar, obviamente, um retrocesso social na Argentina, modifica radicalmente o mapa geopolítico latinoamericano. Do ponto de vista político, nunca tinha havido, na Argentina, um alinhamento dos governos federal com os da Província de Buenos Aires (a mais rica) e da Cidade de Buenos Aires.

Mas o partido político de Macri, PRO, líder da correlação de forças denominada CAMBIEMOS, governa essas três instâncias, o que representa um certo acirramento da geografia política da Argentina, com o centro portenho alinhado com Macri contra a Krchnerismo hegemônico nas periferias e no interior.

Mesmo controlando poder na maior cidade e na província mais rica, Macri e seu partido não têm maioria no Congresso Federal, onde o peronismo tem ampla representação. Esse peronismo, ancorado sobretudo no partido justicialista, é disputado por Cristina Kirchner (que apoiou Daniel Scioli) e por Sergio Massa, que obteve um quinto dos votos para presidente.

Ou seja, a oposição a Macri ocorrerá no legislativo federal e os primeiros movimentos do presidente eleito mostram, de entrada que a relação não será republicana. Dentre os primeiros atos institucionais, dois revelam singular relevância, ambos praticados por decreto: a designação de dois ministros para a Corte Suprema e a destituição do titular da Autoridad Federal de Servicios de Comunicación Audiovisual (AFSCA), cujo mandato havia sido instituído por lei.

A primeira medida foi revogada, já que membros do próprio governo se escandalizaram com o decreto. A segunda foi levada a cabo e se trata do primeiro passo para reverter as conquistas populares da reconhecida Ley de Medios, que democratizou as Leia mais