Sanções ocidentais anti-russas podem minar a confiança no dólar, diz Financial Times

As sanções ocidentais anti-russas podem minar a confiança no dólar. A preocupação correspondente foi expressa pelo jornal britânico Financial Times.

A publicação observou que apenas a “coalizão liderada pelo Ocidente” adere ao curso anti-russo, o que pode ter “consequências importantes para o futuro das finanças internacionais”.

O FT também expressou preocupação com os “planos de longo prazo” da China para aumentar o papel do yuan nos acordos globais.

Mais cedo, o secretário de imprensa do presidente da Rússia, Dmitry Peskov, anunciou a aceleração da “erosão” das moedas de reserva mundial devido às sanções ocidentais.

O economista, analista financeiro Anton Smirnov, em entrevista à FBA “Economy Today” comentou sobre a situação do mercado de câmbio.

EUA impõem sanções a oito indivíduos e 29 empresas da Rússia

Os Estados Unidos impuseram novas sanções a vários indivíduos e empresas da Rússia.

Isso foi relatado no Departamento do Tesouro dos EUA.

A lista de sanções inclui várias empresas de construção naval, incluindo os Estaleiros do Almirantado e a fábrica de Yantar.

Também foram introduzidas restrições em relação aos escritórios de design Almaz e Rubin.

Anteriormente, os Estados Unidos anunciaram a imposição de sanções contra vários funcionários russos, incluindo o ministro das Finanças, Anton Siluanov, o enviado presidencial ao Distrito Federal do Cáucaso do Norte, Yuri Chaika, e o prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin.

Também sob as novas sanções dos EUA estavam o vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia Dmitry Medvedev e o primeiro-ministro Mikhail Mishustin.

Além disso, os EUA estão impondo sanções de bloqueio total contra o Sberbank e o Alfa Bank.