Pesquisa BTG/FSB palmilha as mesmas pegadas da “DataBozo”

► Instituto FSB possui uma teta de R$ 11 milhões na SECOM do governo Jair Bolsonaro

De acordo com o levantamento da FSB, a soldo do banco BTG, Lula lidera com vatagem de nove pontos sobre Bolsonaro

As empresas de pesquisas estão se ajustando rumo à bolsonarização, depreende-se.

A sodagem da FSB, contratada pelo banco BTG, palmilhou as pegadas da “DataBozo“, a famigerada Paraná Pesquisas, que também vê a distância entre Lula e Bolsonaro se estreitar.

Segundo a pesquisa BTG/FSB, Lula está na frente com 41% enquanto Bolsonaro tem 32%.

O Instituto FSB ouviu, por telefone, 2.000 pessoas entre os dias 8 e 10 de julho.

A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR-09292/2022.

Custou R$ 128.957,83 ao contratante BTG.

O BTG pertence ao “cidadão de bem” André Esteves – conhecido especulador financeiro.

Ainda de acordo com o BTG/FSB, num eventual 2º turno, Lula oscilou de 52% para 53% e Bolsonaro permaneceu em 37% em relação à pesquisa anterior.

Além de comprar as pesquisas do FSB, o BTG também controla a revista Veja.

A publicação requentou na semana passada temas do Mensalão e tentou ligar o ex-presidente Lula ao PCC – indicando que a baixaria já começou.

As coincidências da FSB com a Paraná Pesquisas vão além da torcida que as duas empresas fazem pela reeleição do presidente cessante Jair Bolsonaro (PL).

Se a DataBozo tem contrato de R$ 1,6 milhão com o governo Bolsonaro, o Instituto FSB possui uma teta de R$ 11 milhões na SECOM [Secretaria Especial de Comunicação Social  da Presidência da República].

A maioria das empresas de pesquisa, que está sondando a corrida presidencial, tem “interesse cruzado” com o governo de Jair Bolsonaro.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.

Clique aqui para ler a íntegra do relatório da pesquisa BTG/FSB.