Ciro Gomes derrubou o Ibope do Jornal Nacional; confira os números

Segundo dados da Kantar Ibope para a Grande São Paulo, o candidato do PDT Ciro Gomes derrubou a audiência do Jornal Nacional na noite de terça-feira (23/08), em comparação ao dia anterior, quando a bancada formada pelos jornalistas William Bonner e Renata Vasconcellos recebeu o presidente cessante Jair Bolsonaro (PL).

A presença do pedetista no principal telejornal da Globo foi 10% menos vista que a do adversário, se a comparação for entre as prévias de cada programa, e, 15% na relação com os dados consolidados do primeiro sabatinado [Bolsonaro].

A presença de Ciro rendeu ao Jornal Nacional a média de 28,1 pontos, com participação de 40%. Isso significa dizer que, na região, a cada 100 televisores ligados, 40 estavam sintonizados na Globo para assistir a entrevista do candidato com Bonner e Renata.

Ao comparar as duas prévias, Bolsonaro havia conquistado 31,4 de média, o que significa que o pedetista derrubou em 10% a média do jornal durante a entrevista. Mas a participação do presidente consolidou 32,7 pontos, crescendo mais de um de um dia para o outro, o que mostra um recuo de 15% na comparação.

No Brasil todo, a presença de Jair Bolsonaro à reeleição foi vista por 43 milhões de brasileiros, enquanto a de Ciro será possível verificar somente nesta quarta-feira (24/08).

Economia

O desempenho de Ciro Gomes na bancada do JN alcançou cerca de 5,7 milhões de pessoas apenas na Grande São Paulo, segundo o Ibope.

O próximo entrevistado pelo Jornal Nacional, na quinta (25/08), é o ex-presidente Lula. A expectativa é que ele quebre a internet, o aparelho do Ibope que mede a audiência e o recorde de telespectadores na TV Globo. O petista é o líder em todas as pesquisas de intenção de votos.

Quaest Pesquisa mediu a febre nas redes sociais

A Quaest Pesquisa monitorou as redes sociais durante a entrevista de Ciro Gomes no Jornal Nacional. Os dados da empresa revelam que, na média, 2 milhões de pessoas foram impactadas com postagens sobre a sabatina enquanto a Globo exibia o telejornal.

Os três momentos em que Ciro recebeu mais apoio nas redes foram:

  1. quando se apresentou como a solução para reconciliar o Brasil;
  2. quando sugeriu um novo modelo de governo fora do presidencialismo de coalização; e
  3. ao falar de soluções para chuvas e desastres.

Os três momentos em que Ciro Gomes se saiu pior foram:

  1. quando falou do isolamento do PDT;
  2. quando igualou Lula e Bolsonaro; e
  3. quando disse que seria impossível falar em acabar com desmatamento, que precisaria do zoneamento do território ecológico.

Na média, Ciro obteve 54% de menções positivas, contra 46% de menções negativas considerando todo o período da entrevista.

Segundo a Quaest, as palavras mais citadas pelas pessoas que comentaram a entrevista de Ciro Gomes foram ‘reconciliar o Brasil’, ‘renda mínima’, ‘Bonner e Renata’.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.

LEIA TAMBÉM