Bolsonaro pode enfrentar nova alta de preços nos combustíveis e desabastecimento

O presidente Jair Bolsonaro (PL) poderá enfrentar o inverno mais rigoroso de sua vida, analisa a colunista Malu Gaspar, do Globo.

O presidente cessante não tem a menor ideia de como reagir.

– No mercado, na Petrobras e provavelmente no Ministério de Minas e Energia, o cenário mais provável no segundo semestre para os combustíveis é uma nova escalada de preços e, no limite, até desabastecimento – escreve.

A paridade de preço internacional do petróleo pressiona para novos reajustes na gasolina, óleo diesel, gás de cozinha e etanol. Some-se ainda o risco de desabastecimento nos postos de combustíveis em brevíssimo tempo.

Além disso, o aumento do trigo e da soja também está no horizonte. Em, consequentemente, mais uma disparada da inflação.

Ou seja, a economia está detonando a possibilidade de reeleição para Bolsonaro – leia-se Paulo Guedes, ministro dos bancos, que ameaça continuar no cargo, caso o presidente ganhe mais um mandato [que Deus nos livre e guarde!].

Veja também  A quem favorece a criminalização da política e da advocacia?