O presidente Sindestiva, Izaias Junior, convocou uma assembleia geral para as 13h desta segunda-feira (06/12) com o objetivo de aprovar indicativo de greve geral na categoria.

40 mil estivadores podem deflagrar greve geral nos portos brasileiros nesta semana

O presidente do Sindicato dos Estivadores de Paranaguá (Sindestiva), Izaias Junior, convocou uma assembleia geral para as 13h desta segunda-feira (06/12) com o objetivo de aprovar indicativo de greve geral na categoria.

Os estivadores de todo o país se insurgem contra o Projeto de Lei 3.771/21, deputado federal Júlio Lopes (PP-RJ), que retira direitos dos trabalhadores portuários em geral, registrados e cadastrados legitimamente no OGMO (Órgão Gestor de Mão de Obra), trazendo possibilidade de contratação de trabalhador de fora do sistema legal –de maneira precarizada.

Segundo Izaias Junior, o PL do parlamentar fluminense pode colocar mais de 40 mil trabalhadores brasileiros na rua. Em Paranaguá e Pontal do Paraná, por exemplo, cerca de mil trabalhadores da estiva correm risco de perder o emprego se a proposta prosperar.

O presidente da Sindestiva afirma que o movimento paredista é nacional e tem articulação de outros 15 sindicatos por meio da Federação Nacional dos Estivadores (FNE).

Nesta terça (07/12) e quarta-feira (08/12), em Brasília, os dirigentes dessas entidades realizarão um encontro para deliberar sobre a greve geral nos portos.

A paralisação só não ocorrerá se o projeto de Júlio Lopes for retirado definitivamente de pauta, explicou o representante dos estivadores.

O PL 3.771/21 encontra-se na mesa diretora da Câmara (clique aqui para ler a íntegra).

Assista ao vídeo

Leia também

Vaza Porto: dossiê mostra esquema para derrubar presidente do Sindicato da Estiva de Paranaguá

Vem aí a ‘CPI do Porto de Paranaguá’ na Assembleia Legislativa do Paraná

URGENTE: Deputado governista denuncia corrupção no Porto de Paranaguá [vídeo]

Movimentação do setor portuário cresce 6,3% de janeiro a setembro de 2021

Foram 910,6 milhões de toneladas no período. As informações são do Painel Estatístico Aquaviário da ANTAQ

O setor portuário nacional (portos organizados + terminais autorizados) movimentou, de janeiro a setembro, 910,6 milhões de toneladas. Isso representou um crescimento de 6,3% em relação ao mesmo período de 2020. Os portos públicos movimentaram 312,5 milhões de toneladas, aumento de 6%. Já as instalações privadas contribuíram com 598,1 milhões de toneladas (+ 6,4%). As informações são do Painel Estatístico Aquaviário da ANTAQ.

Em relação aos perfis de carga, o granel sólido (58,5% do total) cresceu 2,4% em comparação com o mesmo período do ano passado, alcançando a movimentação de 532,6 milhões de toneladas. O granel líquido totalizou 234,7 milhões de toneladas (25,8% do total), apresentando, até setembro de 2021, aumento de 11,3% em relação aos nove meses do ano passado. A movimentação de carga conteinerizada alcançou 99,3 milhões de toneladas, participação de 10,9% e crescimento de 15,1%. A carga geral solta (4,8% do total) cresceu 12,2%, chegando a 44,1 milhões de toneladas.

Analisando apenas o terceiro trimestre, registrou-se decréscimo na movimentação. Entre as mercadorias que puxaram a queda, citam-se especialmente o milho, com redução de 41,6% em comparação com o mesmo período de 2020, a bauxita (-21,9%) e o açúcar (-21,2%).

O minério de ferro foi a carga mais movimentada no setor portuário nacional entre janeiro e setembro: 275,2 milhões de toneladas, alta de 7,15%. Em segundo, apareceram petróleo e derivados (208,4 milhões de toneladas, + 9,20%). Na terceira posição, figurou a soja — 99,4 milhões de toneladas, queda de 1,38%.