Manifestantes e polícia entram em confronto na visita de Bolsonaro em Pádua, na Itália; foto: reprodução/Il Messaggero

Manifestantes e polícia entram em confronto na visita de Bolsonaro em Pádua, na Itália [vídeo]

O bicho pegou na visita do presidente Jair Bolsonaro ao Vêneto, região nordeste da Itália, durante um protesto de 200 pessoas gritando “Fora Bolsonaro” e “Fora daqui o assassino da Amazônia” e, em seguida, a Pádua, houve confronto entre 500 manifestantes jovens e policiais. Abaixo, assista ao vídeo.

A polícia usou escudos, cassetetes, gás lacrimogêneo e jatos d’água para conter a fúria dos manifestantes contrários à presença de Bolsonaro.

‘Salvini cretino, Bolsonaro assassino’, gritava a multidão em alusão ao senador italiano de ultradireita Matteo Salvini.

O confronto mais duro aconteceu na via Belludi, a estrada que leva à Basílica do Santo, a segunda parada do programa da visita de Bolsonaro, justamente nos mesmos momentos em que o presidente brasileiro, acompanhado por uma robusta escolta pessoal e carente por tudo … o tempo da máscara anti-Covid em seu rosto, ele se despediu do prefeito da Liga Norte de Anguillara.

Uma calorosa saudação no final de uma reunião de três horas à mesa da Villa Arca del Santo e paga do próprio bolso pela prefeita da Liga do Norte, Alessandra Buoso, para silenciar a polêmica sobre a tão disputada visita. Tanto disputado a ponto de sugerir aos seguranças que transferissem o evento da Prefeitura para a própria villa veneziana blindada no último momento.

“Estou feliz e entusiasmado por estar aqui”, disse Bolsonaro, lembrando que seus avós partiram daqui no final do século 19.

O presidente voltou a mentir a mentira que contou para o presidente da Turquia de que tem muito apoio popular no Brasil.

“Temos muito apoio popular”, disse ele, “apesar de tudo estamos fazendo um excelente trabalho que é certamente reconhecido pelo povo e não é reconhecido pelos meios de comunicação”, reclamou.

Muitos brasileiros que durante horas, sob a chuva, quiseram desafiar Bolsonaro no protesto autorizado montado na praça da igreja de Anguillara. Massimo Ramundo, padre comboniano que viveu 20 anos no Brasil, 12 dos quais na Amazônia, também faz parte deste grupo por vocação geográfica.

“A política de Bolsonaro”, declarou Ramundo, que agora opera em Verona na sede da revista Nigrizia, “vai contra tudo o que o Papa Francisco professa todos os dias”.

Bolsonaro sai pela porta dos fundos
De Anguillara, o presidente deveria ter ido diretamente para a Basílica do Santo em Pádua, mas as tensões entre a polícia e os manifestantes sugeriram uma nova mudança de itinerário. O carro de Bolsonaro e sua comitiva preferiram pular o centro da cidade e ir para um hotel descentralizado. E amanhã outras iniciativas de protesto acompanharão sua visita a Pistoia para homenagear os soldados brasileiros mortos na Segunda Guerra Mundial. Dom Fausto Tardelli não irá rezar no monumento que os homenageia, como era tradição. A Cúria enviou nota criticando Matteo Salvini, que confirmou presença na comemoração. A subsecretária para as Relações com o Parlamento, Caterina Bini, natural de Pistoia, anunciou que não vai participar.

Assista ao vídeo com o protesto Fora Bolsonaro na Itália

Com informações do Il Messaggero

Leia também

Bolsonaro anuncia novo aumento dos combustíveis e promete confiscar dividendos para conter preços aos consumidores

Bolsonaro fazia turismo em Roma enquanto líderes do G20 trabalhavam, diz jornal italiano

Zé de Abreu desperta os instintos mais primitivos dos bolsonaristas e ciristas nas redes sociais