kit covid caveira tratamento precoce

Partidos anunciam ADI contra lei do tratamento precoce em Ponta Grossa (PR)

  • PT e PCdoB devem acionar Justiça contra “kit covid” no município de PG
  • Deputado Ney Leprevost perdeu pai que tomou medicamento em tratamento precoce

O Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) no município de Ponta Grossa (PR), região dos Campos Gerais, estão planejando entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Tribunal de Justiça (TJ) caso o projeto “kit covid” seja sancionado pela prefeita Elizabeth Schmidt (PSD).

A matéria foi aprovada em primeira discussão na semana passada e deve entrar na pauta hoje para segunda votação na Câmara de Vereadores.

“Entendemos que alguns tentem se agarrar a fórmulas milagrosas num momento tão difícil e com tantas mortes, mas estamos convictos de que o ‘kit covid’ não traz nenhum benefício e pode até piorar a situação de pessoas infectadas pelo novo coronavírus”, diz o presidente do PT pontagrossense, Nilson Neves.

“Fizemos uma reunião no sábado à tarde com os representantes dos dois partidos e a assessoria do deputado estadual Tadeu Veneri e decidimos que, caso a Câmara aprove e a prefeita sancione o projeto, vamos entrar na Justiça para impedir que recursos públicos sejam gastos com medicamentos ineficazes contra a covid-19. Estima-se que o Brasil é o país que mais se utilizou do kit covid, no entanto é também o segundo pais do mundo no ranking de óbitos, ou seja, a conta não fecha”, afirmou o presidente do PCdoB, Elton Barz.

Leia também

Tratamento precoce mata

O tratamento precoce para o tratamento da Covid é rejeitado por autoridades sanitárias do Brasil e do mundo. Segundo entidades médicas, como o Conselho Federal de Medicina (CFM), não é recomendado.

Nesta segunda-feira (19/4), durante audiência no Senado, o vice-presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Donizette Giamberardino Filho, esclareceu que “o Conselho Federal de Medicina não recomenda e não aprova tratamento precoce e não aprova também nenhum tratamento do tipo protocolos populacionais [contra a covid-19]”.

Recentemente, o deputado Ney Leprevost (PP-PR) disse em emocionado depoimento que seu pai —Luiz Antônio Leprevost— morreu por complicações após tomar medicamentos do ‘kit covid’, tais como a cloroquina e a hidroxicloroquina. O parlamentar já se colocou à disposição da CPI da Covid no Senado para reforçar a denúncia contra esse charlatanismo.

O pai de Leprevost teve os rins e o fígado comprometidos pelo tratamento precoce.