Brasil pode chegar a 500 mil mortos até metade do ano, diz cientista

O festejado cientista Miguel Nicolelis, professor da Universidade Duke (EUA), prevê uma hecatombe para os próximos três meses ao afirmar que o Brasil poderá chegar a 500 mil mortos até na metade do ano.

Segundo o cientista, essas previsões catastróficas poderão se confirmar não houver implantações de medidas restritivas imediatamente e uma ‘tsunami irá varrer o Brasil’.

O médico, neurocientista e professor catedrático da Universidade Duke já havia previsto que em março chegaríamos a três mil mortos diários pela covid, logo não é uma boa opção não ouvi-lo.

O cientista atribuiu as três mil mortes diárias à realização das eleições municipais em novembro, às festas de fim de ano, ao carnaval e à abertura indiscriminada do comércio.

De acordo com Nicolelis, além do colapso sanitário, já ocorre no país um colapso funerário.

Como saída, ele sugere o lockdown –sem lero-lero em nenhum estado– como fez Boris Johnson no Reino Unido. Ante ao anunciado colapso, o primeiro-ministro britânico fechou o país.

Para quem não está acostumado com o termo “hecatombe” empregado por Miguel Nicolelis, significa uma “destruição ou desgraça em grande escala”. Ou seja, o Brasil está sendo enviado rapidamente para sua destruição numa espécie de matadouro.

Quem é Miguel Nicolelis

Miguel Nicolelis é um médico e cientista brasileiro, de São Paulo. Ele é referência mundial na área de neurociência, vive na Carolina do Norte (EUA), onde lidera um grupo de pesquisadores do campo de fisiologia de órgãos e sistemas do corpo humano na Universidade Duke.