Candidato a reitor derrotado na UFPR recebe mensagem: “Retira, Horácio”

A Universidade Federal do Paraná realizou a maior consulta à comunidade interna da sua história; tendo encerrado na semana passada com a vitória da Chapa 2, dos professores Ricardo Marcelo Fonseca e Graciela Bolzón de Muniz para Reitor e Vice.

E a vitória nem foi apertada; muito pelo contrário. Os professores Ricardo e Graciela obtiveram 85% dos votos válidos, vencendo nas três categorias de votantes: docentes, servidores técnico-administrativos e estudantes.

Considerando os números absolutos, antes da aplicação da fórmula da paridade, nada menos que 91,1% dos 17.255 votos válidos foram para a Chapa 2.

A UFPR tem uma tradição desde o fim da ditadura militar em que os candidatos derrotados retiram seus nomes, para que a lista encaminhada ao MEC tenha apenas os vencedores, impedindo a intervenção federal.

Mas parece que a Chapa 1, do professor Horácio Tertuliano dos Santos Filho (Departamento de Engenharia Elétrica) e da professora Ana Paula Mussi Szabo Cherobim (Departamento de Administração Geral e Aplicada), não está disposta a cumprir a tradição.

A pressão para que a democracia prevaleça está grande e criativa. Nesse tuíte de Thiago Hansen aparece uma tele-mensagem, daquelas de envergonhar, digo, homenagear o/a destinatário/a. Confira:

Que a Chapa 1 flertava com o bolsonarismo, já era sabido. Resta saber se eles terão a cara de pau de tentar ser nomeados interventores da universidade mais antiga do Brasil.

UFPR reelege reitor com 85% dos votos válidos

Professores Ricardo Marcelo Fonseca e Graciela Bolzón de Muniz foram reeleitos com 85% dos votos válidos da UFPR.

A maior consulta à comunidade interna já realizada na história da Universidade Federal do Paraná (UFPR) terminou na quarta-feira passada (2) com a mais expressiva vitória já obtida por um candidato a reitor da instituição desde 1985, quando ocorreu a primeira consulta.

A Chapa 2, dos professores Ricardo Marcelo Fonseca e Graciela Bolzón de Muniz, obteve 85% dos votos válidos (excluindo nulos e brancos) e venceu nas três categorias de votantes: docentes, servidores técnico-administrativos e estudantes. Considerando os números absolutos, antes da aplicação da fórmula da paridade, nada menos que 91,1% dos 17.255 votos válidos foram para a Chapa 2.

A grande participação da comunidade da UFPR foi recebida pelo professor Ricardo Marcelo e pela professora Graciela como um atestado de legitimidade do processo. Nunca antes o número de votantes foi tão expressivo. Comparando com os números de 2012 (quando votaram 14.918 pessoas), o aumento foi de 20,5%. Mesmo em tempos de pandemia, a participação também foi maior que em 2016, quando votaram 17.045 pessoas (aumento de 1,2%).

“Essa participação massiva não é uma vitória apenas nossa, da Chapa 2, mas da UFPR como um todo. Ela mostra que a comunidade interna quer participar da definição dos rumos da universidade, e disse isso de forma eloquente – sobretudo considerando as condições excepcionais que estamos vivendo por causa da pandemia,”, avalia o professor Ricardo.

A vitória expressiva sobre a Chapa 1, por sua vez, confirma que a comunidade da UFPR reconhece o trabalho realizado por Ricardo Marcelo, Graciela e equipe à frente da Reitoria desde 2016. “Como falamos inúmeras vezes ao longo da campanha, temos muito ainda a fazer e melhorar.

Mas o resultado indica que a comunidade reconheceu o avanços da nossa gestão e confiou nas propostas que apresentamos. Acredito que entendeu também que uma campanha tem que ser feita de propostas e debates sérios, longe de tentativas forçadas de transformar esse processo em um debate ideológico, que efetivamente não é”, afirma Ricardo Marcelo.

Para a professora Graciela, o resultado traz grande responsabilidade e também o sentimento profundo de gratidão: “Eu e o professor Ricardo estamos extremamente gratos pela forma respeitosa como fomos recebidos ao longo da campanha em todos os campi e setores da UFPR. Agradecemos pelo reconhecimento, pelas contribuições e, agora, por esse resultado tão expressivo, que nos motiva a trabalhar ainda mais”.

Números
A consulta para a Reitoria da UFPR foi realizada integralmente pela internet, das 7 horas de terça-feira (01/09) às 18 horas desta quarta-feira (02/09). Todo o processo foi organizado e realizado pela Comissão Paritária de Consulta (CPC), formada por representantes das entidades que representam os docentes (APUFPR), os servidores técnico-administrativos (Sinditest-PR) e os estudantes (DCE).

A Chapa 2 teve a maioria dos votos nas três categorias. Considerando o total de votos, obteve 81% entre os docentes, 74% entres os servidores técnico-administrativos e 94% dos votos dos estudantes. Se a conta excluir os votos nulos e brancos, os percentuais foram, respectivamente, de 83%, 77% e 95%.

MEC precisa respeitar a vontade das urnas

A comunidade da UFPR é formada por cerca de 30 mil pessoas, entre professores, alunos e servidores, e tem orçamento previsto de R$ 1,5 bilhão para este ano. O peso político da universidade é evidente, haja vista a instituição ter sido a primeira criada no País em 1912.

De acordo com fontes do Blog do Esmael, a comunidade da UFPR teme o resquício do autoritarismo do Ministério da Educação (MEC), pois, recentemente, na gestão de Abraham Weintraub, a pasta queria cancelar as eleições para reitor e planejou nomear os dirigentes da universidades federais.