Chefe da Secom de Bolsonaro mentiu para Comissão de Ética Pública

O chefe da Scretaria de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, omitiu da Comissão de Ética Pública da Presidência informações sobre as atividades de sua empresa;  e os contratos mantidos por ela com TVs e agências de propaganda que têm contratos com a Secretaria.

Em um questionário de oito páginas, assinado por ele em maio do ano passado, ele omitiu o ramo de atuação das companhias dele e de familiares, bem como os negócios mantidos por elas antes e no momento em que ocupou a função pública.

LEIA TAMBÉM
Chefe da Comunicação de Bolsonaro se enrola cada vez mais

Pedro Bial apanha nas redes sociais por atacar ‘Democracia em Vertigem’

Democracia em Vertigem é um ‘alerta’ contra a extrema-direita, diz Petra Costa

Governo Bolsonaro tenta sabotar documentário brasileiro indicado ao Oscar

A lei de conflito de interesses obriga os integrantes do alto escalão do governo descreverem detalhadamente todos os seus bens e suas atividades profissionais.

Ao esconder seus negócios, Wajngarten mentiu para a Comissão que poderia vetar sua nomeação para o cargo.

Ele é chefe da Secom que distribui as verbas de publicidade para as TVs e agências de propaganda. Essas mesmas empresas fazem pagamentos para a empresa de Fabio.

As informações são da Folha de São Paulo.