Chefe da Comunicação de Bolsonaro se enrola cada vez mais

Publicado em 20 janeiro, 2020

O chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Fabio Wajngarten, está cada vez mais enrolado em conflito de interesses e suspeita de corrupção.

A agência de publicidade Artplan, que é cliente da empresa de Wajngarten, também é a que mais recebeu verbas da Secom no ano passado: R$ 70 milhões. Segundo a Folha de São Paulo, o valor é 36% maior do que o ano anterior.

Antes da nomeação Wajngarten, a agência que mais recebia verbas era a Calia Y2.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro foge de coletiva após pergunta sobre irregularidade na comunicação

Secretário de Comunicação de Bolsonaro recebe das emissoras de TV

CPMI das ‘fake news’ identifica os principais robôs bolsonaristas do Whatsapp

Secom publica nota atacando a Folha mas não explica nada

O escândalo envolvendo o chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), Fabio Wajngarten é que ele recebe, por meio de uma empresa da qual é sócio, dinheiro de emissoras de TV e de agências de publicidade contratadas pela própria secretaria. Isso sem falar dos ministérios e estatais do governo Bolsonaro.

Com informações da Folha de São Paulo.