Trabalhadores dos Correios podem entrar em greve no dia 30

Publicado em 14 janeiro, 2020
Compartilhe agora!


A Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (FENTECT) preparou um calendário de mobilização para o mês de janeiro. A queda de braço entre a categoria e a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) gira em torno do aumento da coparticipação dos ecetistas de 30% para 50% no custeio do plano de saúde da categoria, o Postal Saúde.

O percentual de 30% foi definido no julgamento do dissídio coletivo da ECT. Com o Judiciário em recesso, as federações e sindicatos acreditam que o aumento na coparticipação foi uma estratégia para que os ecetistas saiam do plano de saúde, uma vez que foi dado um prazo para que os trabalhadores se manifestem.

O plano de saúde é um dos obstáculos para que a estatal seja privatizada. A estatal está na lista da privatização de Paulo Guedes.

A Federação Nacional dos Trabalhdores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) orienta que os trabalhadores não assinem nada e nem saiam do plano de saúde. A assessoria jurídica da entidade está tomando as devidas providências para barrar esse ataque e entrando com um pedido de liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) e no TST.

LEIA TAMBÉM:

Governo tira R$ 14 bilhões da economia ao frear valorização do salário mínimo

Governo tira R$ 14 bilhões da economia ao frear valorização do salário mínimo

Justiça suspende privatização da Copel Telecom

Nesta quarta (15) e quinta-feira (16) haverá reuniões da federação e de seus sindicatos, respectivamente. No dia 29, será votado o estado de greve com o indicativo para assembleia dos trabalhadores dos Correios, cuja paralisação deverá ocorrer no dia seguinte, 30.

O presidente bolsonarista dos Correios, o general Floriano Peixoto, pressiona os trabalhadores e seus dependentes para que deixem o plano de saúde.

Compartilhe agora!