Inflação dispara em novembro e reduz poder de compra das famílias

Publicado em 6 dezembro, 2019
Compartilhe agora!


O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que calcula a variação de cesta de compras de famílias com renda até cinco salários mínimos, ficou em 0,54% em novembro deste ano. “Este foi o maior resultado para um mês de novembro desde 2015, quando o IPCA ficou em 1,01%”, informa o IBGE. Em novembro de 2018, houve deflação de 0,21%. Os dados foram divulgados, nesta sexta-feira (6), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O INPC teve um crescimento maior do que o registrado pela inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que subiu de 0,10% em outubro para 0,51% em novembro. Os alimentos e as bebidas puxaram a inflação para cima e afetaram o bolso das famílias mais pobres, principamente das que ganham até cinco salários mínimos.

O INPC acumula inflação de 3,22% no ano e de 3,37% em 12 meses. No acumulado de 12 meses, o INPC também ficou acima do IPCA, que registra 3,27% no período.

LEIA TAMBÉM:

Globo faz papelão no Jornal Nacional ao jurar que a economia vai bem no Brasil

Congresso já tem condições para aprovar o impeachment de Bolsonaro

Assista: Lula e Janja dançam juntos em comunidade Quilombola de Paraty

Em novembro, os produtos alimentícios tiveram alta de preços de 0,78%, de acordo com o INPC, enquanto os não alimentícios anotaram inflação de 0,44%.

*As informações são da Agência Brasil

Compartilhe agora!