Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

14 de outubro de 2015
por admin
28 Comentários

Coluna do Rafael Greca: Curitiba inspira cuidados

Download

Rafael Greca*

Cresce entre os que amam Curitiba a certeza de que nossa cidade inspira cuidados. Deprimida, corroída, mofada, ameaçada por desleixo público, vítima de uma administração enferrujada e infrutífera, Curitiba suspira pelo tempo perdido.

Nos últimos 9 dias, observei 6 graves sinais de uma peste urbana que consome a qualidade de vida de Curitiba: 1) ciclista morto por inacreditável buraco no asfalto derramado pela prefeitura no Xaxim; 2) na rua XV, poste de ferro que abate cidadã, ensanguentando o calçadão; 3) ferrugem no Bondinho na mesma rua das Flores; 4) ratos à luz do dia nos gramados da Praça Tiradentes; 5) grades de proteção corroídas no parque Tanguá; 6) 300 ônibus velhos em circulação provocando até ação do Ministério Público.

É na Cidade que a vida se realiza. Não dá para separar nossa gente da nossa Cidade. Se Cidade vai mal, a gente curitibana sofre, padece.

A 3 de outubro, sábado, na rua David Town, no Xaxim, morreu Milton Ferreira de Oliveira (47) , ciclista, ao voar 40 metros depois de cair num buraco da ciclovia e em seguida topar em elevação no asfalto mal derramado – pela Prefeitura.

Uma depressão ou elevação inusitada no asfalto pode matar uma pessoa, então, cuidar das pessoas é também fazer bem feito o recape de pavimentos em ruas e ciclovias.

A 6 de outubro, terça-feira, visito a praça Liberdade, onde a rua Jari encontra a avenida da Integração, no Bairro Alto. Ali constato que o vestiário para os atletas – que fiz construir – não existe mais. Ruiu por abandono.

Casa em ruínas pode virar cracolândia, mocó de malfeitores, pode também desabar sobre as pessoas. Então, cuidar das pessoas é evitar ruína dos equipamentos públicos. Preservando-lhes a firmeza, a utilidade e a beleza.

A 9 de outubro, sexta feira, no centro de Curitiba, na rua XV com João Negrão, um poste de ferro fundido desmilinguiu-se, torcido, caindo aos pedaços sobre a curitibana Maria Ferreira Ribas (59), que saía do trabalho para almoçar.

Gravemente ferida, a sexagenária deu entrada na UTI do Hospital Evangélico com traumatismo craniano. Seu estado inspira cuidados.

Percorri o calçadão da rua XV, onde instalei os elegantes postes republicanos, quando dos 300 anos da cidade. Vi que a ferrugem e a corrosão ameaçam vários deles, e também a integridade do bondinho da rua das Flores, utilizado para biblioteca infantil.

U

2 de junho de 2014
por esmael
24 Comentários

Coluna do Marcelo Araújo: Fruet quebrou as pernas dos eleitores de Curitiba

"Cadê o anãozinho?", pergunta Marcelo Araújo, em sua coluna desta segunda, ao criticar o tamanho das ciclovias na capital; colunista afirma que, na campanha, um anãozinho que ficava deitando nas ciclofaixas reclamando que eram do tamanho da ciclovia, pois agora para caber nas ciclovias do prefeito Gustavo Fruet teria é preciso quebrar as pernas, igual fez com os eleitores quando disse que ele estava preparado...!; além da guerra aberta contra o Anão, o especialista de multas também conceitua hoje vias compartilhadas e sinalização das ruas na capital; leia o texto e compartilhe.

“Cadê o anãozinho?”, pergunta Marcelo Araújo, em sua coluna desta segunda, ao criticar o tamanho das ciclovias na capital; colunista afirma que, na campanha, um anãozinho que ficava deitando nas ciclofaixas reclamando que eram do tamanho da ciclovia, pois agora para caber nas ciclovias do prefeito Gustavo Fruet teria é preciso quebrar as pernas, igual fez com os eleitores quando disse que ele estava preparado…!; além da guerra aberta contra o Anão, o especialista de multas também conceitua hoje vias compartilhadas e sinalização das ruas na capital; leia o texto e compartilhe.

Marcelo Araújo*

O maior drama de um humorista, ou de quem tenta fazer graça, é as pessoas não rirem. Pior que piada sem graça é aquela que você tem que explicar, por estar muito acima da compreensão da platéia, por ter expressões desconhecidas, situações afetas a uma categoria específica ou porque são inteligentes demais. Temo que seja o que está acontecendo com a implantação das vias calmas, a exemplo da Av. Sete de Setembro. A abordagem não é uma crítica negativa, até porque devo reconhecer que as pessoas escolhidas pela Prefeitura para tratar do assunto bicicleta (entenda-se Miranda no IPPUC e Danilo Herek na Setran) são da melhor qualidade e comprometimento com a causa. O artigo de hoje é um convite à  reflexão. Leia mais