Google Maps elimina Palestina dos mapas de buscas on line

O Google Maps eliminou a Palestina dos mapas que apresenta no site de buscas. Os Estados Unidos, sede da empresa, não reconhecem a Palestina como país. Mas 157 países reconhecem o estado palestino e seus direitos pela autodeterminação e soberania territorial.

Desde de terça-feira (14) que procurar pela palavra “Palestina” no Google Maps resulta em nada. Embora o site reencaminhe para uma imagem gráfica do Médio Oriente, o termo “Palestina” e o território que 157 nações reconhecem existir sumiu dos mapas.

O mesmo acontece com o termo “Cisjordânia”, território da Palestina. A denúncia foi feita pelo Sindicato de Jornalistas da Palestina.

O Google nega ter feito qualquer alteração nos mapas que exibe na Internet. Para o Sindicato dos Jornalistas da Palestina, esta é uma forma de “firmar o seu nome [de Israel] como Estado legítimo nas gerações futuras e abolir o nome da Palestina para sempre”. E acrescenta que “o movimento pretende falsificar a história, a geografia e o direito dos palestinos a sua pátria”.

No Twitter, o termo “Palestine Is Here” já se tornou assunto do momento nesta quinta-feira (16).

O sindicato exige da gigante tecnológica que elimine as mudanças no aplicativo e para isto se baseiam em que a medida é “contrária a todas as normas e convenções internacionais”.

A ação do Google Maps coincide com a nova ofensiva do Estado de Israel para anexar mais 30% das terras da Cisjordânia, para implantar novas colônias judaicas.