Boeing desiste de ‘comprar’ Embraer

A gigante norte-americana Boeing desistiu de comprar o setor de aviação comercial da Embraer, negócio avaliado em 5,2 bilhões de dólares. O prazo para que o acordo fosse selado terminou nesta semana. Portanto, a Embraer volta a ser uma fabricante brasileira de aviões.

A Boeing pagaria 4,2 bilhões à Embraer, ou o equivalente a 80% do total dos ativos, e os 20% restantes seriam a participação minoritária mantida pela companhia brasileira. Além disso, haveria a formação de uma joint-venture para produção do avião de uso militar KC-390.

A pandemia do coronavírus originou uma forte crise no setor aeronáutico, o que pesou também na decisão do cancelamento das negociações.

LEIA TAMBÉM:

Lula: “Bolsonaro já cometeu muitos crimes de responsabilidade”

STF suspende MP do compartilhamento de dados com IBGE

No “limite da barbárie”, diz Le Monde sobre evolução da pandemia no Brasil

Especialistas apontam que outro fator pode estar associado aos problemas financeiros que a Boing enfrenta. A companhia pediu U$ 60 bilhões em garantias de empréstimos do governo para o setor.