26 de outubro de 2015
por admin
1 Comentário

Greve nos bancos pode terminar hoje

Após três semanas de forte paralisação, os bancários podem decidir hoje pelo fim da greve nos bancos.

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou ao Comando Nacional da Greve a proposta de 10% de reajuste nos salários, participação nos lucros e piso; e 14% de reajuste para os vales refeição e alimentação. Além disso, os bancos vão abonar 63% das horas da greve dos trabalhadores de 6 horas diárias, e 72% dos trabalhadores de 8 horas.

Essa proposta apresentada no sábado (24) está sendo considerada positiva pelo comando nacional que está orientando pela aprovação e retorno ao trabalho. Sindicatos de todo o país devem realizar assembleias nesta segunda-feira para decidir se aceitam a proposta da Fenaban e encerram a paralisação.

Para o presidente do Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região, Elias Jordão, o movimento está forte, mas essa proposta da Fenaban, mesmo não sendo o ideal, representa o limite da negociação.

“Nós defenderemos a aprovação dessa proposta em assembleia como uma vitória da categoria. A negociação foi difícil e alcançamos ganhos reais, melhorando bastante a proposta original dos bancos” completou.

Para presidente da Contraf-CUT, Roberto Von der Osten, “os banqueiros tentaram impor uma derrota a categoria, inicialmente com um reajuste abaixo da inflação. A greve reverteu essa tentativa. Depois, a Fenaban queria, para punir os grevistas, o pagamento ou a compensação total das horas. Mais uma derrota para os bancos. Foi uma surpreendente vitória da unidade e da determinação da nossa categoria”, comemorou.

A assembleia de Curitiba será às 18 horas no Espaço Cultural e Esportivo dos Bancários, Rua Piquiri, 380 – Rebouças.

As informações são da Contraf-CUT e do Sindicato dos Bancários de Curitiba.  

21 de outubro de 2015
por admin
Comentários desativados em Bancários rejeitam proposta da Fenaban e greve nos bancos continua

Bancários rejeitam proposta da Fenaban e greve nos bancos continua

bancosA Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou a proposta de 7,5% de reajuste salarial ao comando nacional da greve dos bancários em negociação ontem, em São Paulo. A proposta foi prontamente rejeitada pelos trabalhadores que reivindicam o reajuste de 16%, e vão continuar em greve.

Roberto von der Osten, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT) e um dos coordenadores do Comando, reforçou que a categoria não aceita redução de salários.

“Sobre o ponto de vista da esperança que os bancários e as bancárias tinham de que hoje os banqueiros iam começar um debate do ganho real, foi frustrante. Hoje, apresentaram uma proposta de reajuste de 7,5%, que representa uma redução de salário. Nós avisamos para eles, nós não estamos aqui para discutir redução de salário”, explicou.

Para Roberto, a retomada da negociação foi positiva. “Demonstra uma vontade de acertar uma campanha que seja boa para os dois lados. Esperamos que os banqueiros realinhem sua posição e tragam para a gente uma proposta, que seja reposição da inflação mais um ganho real. É isso que esperamos ouvir amanhã”, disse. As negociações continuam nesta quarta-feira (21).