3 de dezembro de 2016
por Esmael Morais
28 Comentários

Requião reclama de censura e ataque covarde da mídia comercial

requiao_voldemort_censuraO senador Roberto Requião (PMDB-PR), relator do PL que visa punir abuso de autoridade, denunciou neste sábado (3) censura e ataque covarde da mídia comercial. Leia mais

11 de setembro de 2016
por Esmael Morais
34 Comentários

Hoje tem novas manifestações pelas ‘Diretas Já’ em todo o país

fora_temer_diretas_jaA velha mídia continua escondendo os protestos que exigem a antecipação das eleições presidenciais já. Leia mais

29 de agosto de 2016
por Esmael Morais
11 Comentários

Primo de Beto Richa pegou 13 anos de cadeia por corrupção no governo do Paraná

abi_richaO lobista Luiz Abi Antoun (PSDB), primo do governador Beto Richa (PSDB), vai puxar 13 anos de cadeia em regime fechado. A decisão é do juiz Juliano Nanuncio, da 3ª Vara Criminal de Londrina, norte do Paraná. Leia mais

24 de novembro de 2015
por Esmael Morais
4 Comentários

Coluna do João Arruda: Quem tem medo de James Alberti?

João Arruda*

Download

O exílio é o regime semiaberto do preso de consciência. Você pode até sair por aí durante o dia, mas sabe que não vai dormir em casa. O jornalista James Alberti sabe muito bem disso. Faz sete meses que ele foi obrigado a fugir do Paraná para não ser morto. Desde então, vive como refém sem pedido de resgate, longe de quem ama e de quem o ama. Seu drama é pessoal, mas de grande alcance porque faz do jornalismo sério profissão de risco. É fato: quando se pesca peixe grande, a isca pode ser o próprio repórter.

James estava em Londrina, Norte do Paraná, no dia 9 de abril. Foi quando um funcionário do governo do estado avisou a chefia de redação da RPC TV que o jornalista era vigiado e que já tinham tentado executá-lo, forjando um assalto ou acidente, e que tentariam de novo. James precisou fugir. O motivo é sabido: o produtor da emissora afiliada da Rede Globo foi investigar uma rede de corrupção e pedofilia na Receita Estadual.

O esquema que James apurava já tinha levado à prisão cerca de 20 suspeitos. Entre eles, um primo do governador Beto Richa (PSDB), Luiz Abi Antoun, e um assessor do governador, Marcelo Caramori, que tem o nome de Beto Richa tatuado no braço direito. Também havia sido denunciado um parceiro do governador em corridas automobilísticas, o inspetor geral de fiscalização da Receita do Estado, Márcio de Albuquerque Lima.

Agora, a ironia: tanto o primo do governador, que exercia muita influência na administração até o escândalo vir a público, quanto o assessor que carrega a tatuagem “100% Beto Richa” respondem a inquérito em liberdade. Em contrapartida, ao revelar o esquema de pedofilia e corrupção, o jornalista perdeu o direito de ir e vir em seu próprio País.

É um ataque à sociedade e à imprensa do Paraná e do Brasil em favor de quadrilheiros que desviaram dinheiro dos impostos e que, com esse dinheiro público, organizavam orgias e compravam a virgindade de meninas pobres da região de Londrina. Há, inclusive, uma investigação para apurar se parte desse dinheiro desviado teria ido parar na campanha de reeleição do governador.

James Alberti é um jornalista distinto. Todos os grandes escândalos de corrupção da história recente do Paraná viraram notícia graças a seu trabalho. Foi dele a concepção e a direção da série “Diários Secretos”, sobre o esquema de desvio de dinheiro público na Assembleia Legislativa do Paraná por meio de funcionários fantasmas.

A série foi escolhida como um das dez mais impactantes da história do jornalismo investigativo pela associação internacional Global Investigative Journalism Network. Para a associação, a série “Diários Secretos” se compara à cobertura do caso “Watergate”, do jornal Washington Post, que resultou na queda do presidente americano Richard Nixon.

Quem tramou para silenciar James Alberti? Quem está investigando a ameaça? Por que não se fala mais no assunto? O governador Beto Richa bem que poderia colocar a polícia para dar respostas. No mínimo, para demonstrar isenção e respeito à liberdade de imprensa.

*João Arruda é deputado federal pelo PMDB, coordenador da bancada do Paraná no Congresso Nacional, escreve nas terças-feiras sobre “Os bastidores do poder em Brasília”.

Leia mais

20 de outubro de 2015
por Esmael Morais
5 Comentários

Parente do governador Beto Richa pode voltar para o xilindró no Paraná

abi_richaO lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB), corre o risco de voltar para a cadeia no Paraná. Nesta semana, retornou à ativa uma ação penal contra o parente do tucano investigado pela Operação Voldemort. ... 

Leia mais

1 de setembro de 2015
por Esmael Morais
24 Comentários

Sob protestos, Beto Richa institui “dízimo” para funcionários comissionados no Paraná

abi_richa_dizimoO governador Beto Richa formalizou ontem (31), durante reunião com secretários e dirigentes de estatais, a cobrança de “dízimo” de 2% do salário dos servidores comissionados. ... 

Leia mais

12 de agosto de 2015
por Esmael Morais
10 Comentários

Governador Beto Richa faz “vaquinha” para pagar despesas com advogados

richa_vaquinhaUm interlocutor tem procurado empresários em nome do governador Beto Richa (PSDB). A abordagem objetiva arrecadar fundos para o pagamento de despesas com advogados nas investigações da Lava Jato, Publicano e Voldemort. ... 

Leia mais

11 de agosto de 2015
por Esmael Morais
15 Comentários

“Tenda Digital” tenta segurar Gaeco nas investigações de corrupção no governo Richa

A promotora de Justiça Leila Schimiti, subitamente, no último fim de semana, foi transformada em vilã graças à parceria infernal entre a “Tenda Digital” e setores da velha mídia paranaense.

Nesta terça-feira (11), do nada, o jornal Gazeta do Povo produziu uma “belíssima” reportagem acerca da “redução de pessoas alcoolizadas ao volante devido à Lei Seca”. Para um bom entendedor, meia palavra basta…

Leila Schimiti é coordenadora do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), braço policial do Ministério Público do Paraná. Ela está à frente de investigações de pedofilia, corrupção e cobrança de propina na Receita Estadual do governo do Paraná.

Coincidentemente, um dos investigados, Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB), que esteve preso duas vezes, é apontado como “patrono” da tal “Tenda Digital”. Por isso o cavalo de batalha nas redes sociais e setores da velha mídia.

A “Tenda Digital” é um grupo clandestino formado por “cibercomissionados” que atuam no submundo a partir de comandos do Palácio Iguaçu. Os membros dessa organização criminosa seriam pagos com cargos DAS, ou seja, dinheiro público.

Ao demonizar a promotora Leila, a ideia é desqualificar os membros do Ministério Público nas investigações das operações Publicano e Voldemort.

O Gaeco já tem em mãos uma lista de “cibertucanos” da “Tenda Digital” que são lotados no Palácio Iguaçu, e-Paraná e Secretaria de Comunicação.

A promotora Leila Schimiti bateu seu carro em outros dois veículos, no sábado (8) à noite. Não houve feridos, mas a “Tenda Digital” e setores da velha mídia espalham que ela fora privilegiada no atendimento da ocorrência de trânsito. A Associação Paranaense do Ministério Público contesta essa versão (leia abaixo).

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA ASSOCIAÇÃO PARANAENSE DO MINISTÉRIO PÚBLICO

A ASSOCIAÇÃO PARANAENSE DO MINISTÉRIO PÚBLICO, entidade de classe que congrega promotores e procuradores de Justiça do Estado do Paraná, por força do disposto nos artigos 1º, alíneas “a” e “f” e 37, alínea “d”, do seu Estatuto Social, vem a público ESCLARECER os fatos ocorridos na Cidade de Londrina/PR, no dia 08 de agosto do corrente ano, envolvendo a promotora de Justiça Leila Schimiti.

Considerando que a divulgação realizada por alguns meios de comunicação não corresponde à plena realidade dos fatos, importante esclarecer que a APMP procedeu ao acompanhamento do ocorrido desde o seu início, podendo assegurar que todas as medidas legais cabíveis foram adotadas pelas autoridades competentes para o seu adequado registro e posterior apuração. Não houve qualquer tentativa de interferência da aludida agente ministerial, ou de quaisquer outros integrantes do Ministério Público, com o objetivo de obstar ou dificultar a atuação das autoridades.

A APMP destaca, ainda, que a presença, no local da ocorrência, de outros membros da Instituição, deu-se em virtude de solicitação desta Associação e de designação expressa do Sr. Procurador-Geral de Justiça, com vistas a permitir a fiel observância do comando contido no art. 152, III da Lei Complementar nº 85/99, além de garantir a lisura do trabalho policial e a preservação das demais prerrogativas institucionais.

Digno de registro, ainda, que a promotora de Justiça Leila Schimiti emitiu no Leia mais

15 de julho de 2015
por Esmael Morais
25 Comentários

Além do governador Beto Richa, Gaeco pede investigação da secretária de Administração por fraude em licitação

Dinorah_RichaPromotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) pediram nesta quarta-feira (15) abertura de investigação da secretária de Estado da Administração e Previdência, Dinorah Nogara, nos crimes praticados na Operação Voldermort. Como ela tem foro privilegiado, a solicitação foi encaminhada ao procurador-geral de Justiça, Gilberto Giacoia, chefe do Ministério Público do Paraná. ... 

Leia mais

12 de junho de 2015
por Esmael Morais
18 Comentários

Garganta Profunda de Londrina: “Conselhos para o rei que está nu”

carvalho_richa_abiO principal informante do Blog do Esmael no terceiro andar do Palácio Iguaçu, que compreende o gabinete de Beto Richa (PSDB), nesta chuvosa sexta-feira 12, Dia dos Namorados, com riqueza de detalhes, descreve como eram as passagens do governador pela cidade de Londrina, a Capital do Café, e as viagens internacionais que ele fez com as famílias do primo Luiz Abi e do amigo Luiz de Carvalho – ambos coincidentemente presos no dia de ontem pelo Gaeco e Polícia Federal, respectivamente, por motivos diferentes.

Garganta Profunda de Londrina, codinome do X-9 palaciano, observa que Abi e Carvalho foram abandonados à própria sorte e não tiveram nenhuma palavra de conforto de Beto Richa. “Quando o velho José Richa nos deixou, sabe quem estava com ele no hospital em São Paulo? O Luis Abi”, recorda o informante.
Conhecedor de sua psique, a quem julga estar nu, Garganta Profunda de Londrina dá um conselho de graça para o governador do PSDB: “Peça uns três meses de licença. Não precisa ter medo da Cida e do Ricardo”.

Nos tempos de Prefeitura, no primeiro mandato de Beto, Abi e Carvalho formava um “trio de ferro” com o secretário Ezequias Moreira, o homem da sogra.

Leia a íntegra do relatório e do conselho ao governador Beto Richa: Leia mais

12 de junho de 2015
por Esmael Morais
23 Comentários

Após dica de ‘Garganta Profunda’, primo do governador Beto Richa se entrega ao Gaeco

abi_gaeco_richaO lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB), se entregou à polícia por volta das 22 horas desta quinta-feira (11). Ele estava foragido há um dia. ... 

Leia mais

11 de junho de 2015
por Esmael Morais
20 Comentários

Garganta Profunda de Londrina cria roteiro exclusivo para encontrar primo de Richa foragido da polícia

richa_gaeco_abiGarganta Profunda de Londrina, homem do Palácio Iguaçu, assíduo frequentador do 3º andar do Palácio Iguaçu, altruísta que é, fez um roteiro para o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) encontrar o lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB), foragido da polícia desde ontem (10).

O parente do governador tucano é acusado de comandar uma quadrilha que desvia recursos da Receita Estadual e de fraudar licitações no governo do Paraná.

Para quem chegou agora, Garganta Profunda de Londrina é um informante do Blog do Esmael dentro do Palácio Iguaçu. A seguir, leia o roteiro exclusivo:

Abi foragido? Vamos ajudar o Gaeco a encontrá-lo: Leia mais