8 de agosto de 2014
por esmael
12 Comentários

Coluna do Ricardo Mac Donald: Regalias no judiciário

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, aborda a questão da Superestrutura do Estado, cujo tema se desdobrará em vários capítulos; colunista constata que o Brasil é o país que paga os melhores salários para o Judiciário, Ministério Público e Tribunais de Conta; nessas superestruturas estão os melhores salários, as maiores aposentadorias, regalias como 60 dias de férias e mais 20 dias de recesso no final do ano, auxílios variados, imunidade e estabilidade de emprego!, afirma. Mac Donald ainda chama à  reflexão: O País é suficientemente rico para suportar esse gasto e ainda fazer frente à s questões de Saúde, Segurança, Educação e Mobilidade?!; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, aborda a questão da Superestrutura do Estado, cujo tema se desdobrará em vários capítulos; colunista constata que o Brasil é o país que paga os melhores salários para o Judiciário, Ministério Público e Tribunais de Conta; nessas superestruturas estão os melhores salários, as maiores aposentadorias, regalias como 60 dias de férias e mais 20 dias de recesso no final do ano, auxílios variados, imunidade e estabilidade de emprego!, afirma. Mac Donald ainda chama à  reflexão: O País é suficientemente rico para suportar esse gasto e ainda fazer frente à s questões de Saúde, Segurança, Educação e Mobilidade?!; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald*

Quando se fala em organização do Estado, sempre se tem em mente o equilíbrio entre os Poderes e o seu funcionamento para o bem comum. Leia mais

11 de junho de 2014
por esmael
7 Comentários

STF decide: nem Camargo, nem Plauto, nem Pessuti no Tribunal de Contas

O cargo vitalício de Camargo é muito cobiçado no mundo da política, vale ouro; dois estavam de olho no na vaga de conselheiro do TCE: o deputado Plauto Miró (DEM) e o ex-governador Orlando Pessuti (PMDB); com "travamento" do cargão, Miró vai mesmo à  reeleição e diminui as chances de o TCE ser usado como barganha na convenção estadual do PMDB no próximo dia 20 de junho; empresário Max Schrappe é o autor do mandado de segurança que culminou com a decisão do ministro Gilmar Mendes.

O cargo vitalício de Camargo é muito cobiçado no mundo da política, vale ouro; dois estavam de olho no na vaga de conselheiro do TCE: o deputado Plauto Miró (DEM) e o ex-governador Orlando Pessuti (PMDB); com “travamento” do cargão, Miró vai mesmo à  reeleição e diminui as chances de o TCE ser usado como barganha na convenção estadual do PMDB no próximo dia 20 de junho; empresário Max Schrappe é o autor do mandado de segurança que culminou com a decisão do ministro Gilmar Mendes.

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), reviu sua própria decisão de abril e manteve afastado ontem o conselheiro Fábio Camargo do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A decisão, no entanto, congela a disputa pela vaga na Assembleia Legislativa do Paraná e garante o salário mensal de 28,7 mil ao ex-deputado. Leia mais

14 de Fevereiro de 2014
por esmael
32 Comentários

Segundo a velha mídia, Curitiba #NãoVaiTerCopa

Velha mídia aposta que Curitiba ficará de fora da Copa do Mundo; ontem, Tribunal de Contas recomendou suspensão de repasse de recursos públicos à  CAP/S.A., empresa privada que gerencia as obras na Arena da Baixada, por falta de prestação de contas; quando a capital paranaense fora escolhida como subsede do campeonato, Mario Celso Petraglia, presidente do Atlético, jurava que não botaria a mão em nenhum "tostão" público; hoje, conclusão da Arena depende de mais R$ 65 milhões do BNDES e custo total já bate na casa de R$ 330 milhões; diante de tanta trapalhada e contradições, segure a velha mídia, para quê black blocs e sua palavra de ordem #NãoVaiTerCopa?; assista ao vídeo.

Velha mídia aposta que Curitiba ficará de fora da Copa do Mundo; ontem, Tribunal de Contas recomendou suspensão de repasse de recursos públicos à  CAP/S.A., empresa privada que gerencia as obras na Arena da Baixada, por falta de prestação de contas; quando a capital paranaense fora escolhida como subsede do campeonato, Mario Celso Petraglia, presidente do Atlético, jurava que não botaria a mão em nenhum “tostão” público; hoje, conclusão da Arena depende de mais R$ 65 milhões do BNDES e custo total já bate na casa de R$ 330 milhões; diante de tanta trapalhada e contradições, segure a velha mídia, para quê black blocs e sua palavra de ordem #NãoVaiTerCopa?; assista ao vídeo.

Não é por causa de protestos violentos dos black blocs, que foram transformados em gatinhos inofensivos pela atenta torcida fanáticos do Clube Atlético Paranaense. A velha mídia nacional e local dá já dão Curitiba como fora da Copa do Mundo em virtude de impasse sobre o empréstimo de R$ 65 milhões para a conclusão da Arena da Baixada. Leia mais