21 de agosto de 2014
por Esmael Morais
3 Comentários

OIT e UGT lançam Fórum Tripartite contra o Trabalho Escravo

Representantes sindicais do Brasil, Argentina e Paraguai estarão reunidos em Foz do Iguaçu nesta sexta-feira(22), à s 15 horas, no plenário da Câmara de Vereadores a fim de oficializarem a instalação do Fórum Tripartite contra o Trabalho Escravo. O evento concretiza uma série de reuniões realizadas ao longo do ano na sede do Sinecofi (Sindicato dos Comerciários de Foz do Iguaçu), representado pelo seu presidente, vereador Zé Carlos Neves, quando estiveram reunidos líderes sindicais nacionais e internacionais.

O encontro tem como pauta a oficialização do ingresso do Brasil como membro do Fórum Tripartite (Brasil, Argentina e Paraguai) no enfrentamento de problemas comuns aos membros fronteiriços: trabalho escravo, exploração de menores, crescimento do trabalho informal, falta de representatividade legal ao trabalhador, entre outros. O ato representa o fortalecimento da representatividade dos trabalhadores, em busca de políticas e ações multilaterais para fazer valer a produção e o trabalho e garantir o funcionamento da proteção social!, destaca o sindicalista Zé Carlos.

O presidente nacional da UGT !“ União Geral dos Trabalhadores, Ricardo Patah, em seu discurso na Conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Genebra, alertou: Nós não aceitamos nenhum retrocesso quanto à s conquistas obtidas. Não aceitamos também que a crise econômica atual sirva de desculpas para solapar direitos trabalhistas e sociais. O momento exige uma alternativa que valorize a produção, o trabalho decente, a rede de proteção social, a qualidade de vida e a transição para uma economia sustentável. Para tanto, os governos e as instituições multilaterais devem abandonar o receituário único com o qual vem sendo gerenciada a crise, repleto de medidas centradas na austeridade fiscal para os povos e para a economia real. O resultado é mais recessão, mais desemprego, menos renda, menos consumo, menos produção, menos investimento e o aumento do desespero social!.

O presidente da FECEP – Federação dos Empregados no Comércio do P Leia mais