15 de Março de 2014
por esmael
7 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: “Racismo: esta discussão não pode esfriar”

Ricardo Gomyde, neste sábado, retoma em sua coluna a questão do racismo nos estádios de futebol nas vésperas da Copa do Mundo; o organizador do campeonato mundial revela que o governo federal baterá duro contra o preconceito e antecipa medidas como relançamento do livro O Negro no Futebol Brasileiro!, publicado originalmente em 1947 pelo jornalista Mário Filho e elevado como um estudo clássico do esporte no País; a presidenta Dilma e o Ministério do Esporte também articulam junto à  Fifa e ONU a transformação do mundial na "Copa da Paz"; "O Brasil é fortemente miscigenado. Um branco que hostiliza um negro ou um negro que discrimina um branco deveriam saber que carregam em seu DNA genes que determinaram a cor da pele do outro", ensina o colunista; "Por isso vamos dar um cartão vermelho ao racismo durante a Copa"; leia o texto.

Ricardo Gomyde, neste sábado, retoma em sua coluna a questão do racismo nos estádios de futebol nas vésperas da Copa do Mundo; o organizador do campeonato mundial revela que o governo federal baterá duro contra o preconceito e antecipa medidas como relançamento do livro O Negro no Futebol Brasileiro!, publicado originalmente em 1947 pelo jornalista Mário Filho e elevado como um estudo clássico do esporte no País; a presidenta Dilma e o Ministério do Esporte também articulam junto à  Fifa e ONU a transformação do mundial na “Copa da Paz”; “O Brasil é fortemente miscigenado. Um branco que hostiliza um negro ou um negro que discrimina um branco deveriam saber que carregam em seu DNA genes que determinaram a cor da pele do outro”, ensina o colunista; “Por isso vamos dar um cartão vermelho ao racismo durante a Copa”; leia o texto.

Ricardo Gomyde*

Na última quinta-feira (13.03), a presidenta Dilma Rousseff e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, receberam o volante Tinga e o árbitro gaúcho Marcio Chagas. Mais do que mostrar solidariedade à s recentes vítimas de racismo em partidas de futebol, eles também reiteraram a disposição do governo federal em combater este tipo de crime e o preconceito de maneira geral. à‰ muito importante não deixarmos a discussão esfriar porque é necessária uma mudança de postura de toda a sociedade. Leia mais

8 de Março de 2014
por esmael
6 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: “Não ao racismo e à  intolerância no futebol!”

Ricardo Gomyde, neste sábado, lamenta em sua coluna recentes crimes de racismo nos campos de futebol do país e da América Latina; ele destaca a existência da Justiça Desportiva brasileira que prevê punições severas, mas também recomenda a Justiça comum nesses casos de injúria racial que podem resultar em reclusão de um a três anos, além de multa; Senhor Copa!, como é conhecido Gomyde, bate firme: criminoso tem que ser tratado como criminoso com todo o rigor da lei! ao destacar que o santista Arouca, jogando o paulista, e o árbitro Márcio Chagas da Silva, no Gauchão, foram xingados de macacos! pelos torcedores; Vamos fazer da Copa um momento de luta contra o racismo e a intolerância!!, conclama o colunista; leia o texto.

Ricardo Gomyde, neste sábado, lamenta em sua coluna recentes crimes de racismo nos campos de futebol do país e da América Latina; ele destaca a existência da Justiça Desportiva brasileira que prevê punições severas, mas também recomenda a Justiça comum nesses casos de injúria racial que podem resultar em reclusão de um a três anos, além de multa; Senhor Copa!, como é conhecido Gomyde, bate firme: criminoso tem que ser tratado como criminoso com todo o rigor da lei! ao destacar que o santista Arouca, jogando o paulista, e o árbitro Márcio Chagas da Silva, no Gauchão, foram xingados de macacos! pelos torcedores; Vamos fazer da Copa um momento de luta contra o racismo e a intolerância!!, conclama o colunista; leia o texto.

Ricardo Gomyde*

Lamentavelmente, voltamos a testemunhar nesta semana novos casos de racismo no futebol. Não faz nem um mês que o cruzeirense Tinga, jogando no Peru contra o Real Gagliasso pela libertadores, foi insultado por torcedores. A cada vez que o brasileiro tocava na bola, alguns peruanos imitavam um macaco. Desta feita, os casos aconteceram no Brasil e as vítimas foram o santista Arouca, jogando o paulista e o árbitro Márcio Chagas da Silva, no Gauchão. Leia mais