31 de Março de 2015
por esmael
5 Comentários

Dilma dá posse a Edinho Silva na Secom e defende liberdade de expressão e imprensa

da Agência Brasil
31032015-_R0V6852-Editar

Ao dar posse hoje (31) ao ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, a presidenta Dilma Rousseff defendeu a liberdade de expressão e de imprensa e disse que seu governo tem esses direitos como princípios.

“Quem, como eu e todos da minha geração, viveu sob uma ditadura sabe o imenso valor da liberdade de expressão e de imprensa. Estamos comprometidos com o direito de se manifestar, de informar, de criticar. Somos contra a censura, a autocensura, as pressões, os lobbies e os interesses não confessados que podem coibir o direito a livre manifestação e à liberdade de imprensa”, disse a presidenta.

27 de Março de 2015
por esmael
1 Comentário

Dilma anuncia novos ministros da Comunicação, Educação e Turismo

Sociólogo e professor Edinho Silva, presidente do PT de São Paulo, vai ocupar a Comunicação Social; Renato Janine, da USP, assume a Educação; e Henrique Alves, ex-presidente da Câmara, ocupa o Turismo.

Sociólogo e professor Edinho Silva, presidente do PT de São Paulo, vai ocupar a Comunicação Social; Renato Janine, da USP, assume a Educação; e Henrique Alves, ex-presidente da Câmara, ocupa o Turismo.

A presidenta Dilma Rousseff (PT) anunciou nesta sexta-feira (27) os novos ministros da Educação, do Turismo e da Comunicação Social. Leia mais

9 de Março de 2014
por esmael
25 Comentários

Ibope revela que jornais e revistas estão no bico do corvo

Fatores relevantes da pesquisa sobre hábitos de consumo de mídia com 18 mil brasileiros, divulgada nesta semana pela Secretaria de Comunicação, do governo federal, são os péssimos resultados das revistas e dos jornais impressos; levantamento do Ibope deixa impressos no bico do corvo, cuja previsão de morte definitiva no Brasil é em 2027; tradicional revista semanal norte-americana Newsweek, uma espécie Veja dos Estados Unidos, por exemplo, teve sua última edição impressa publicada em 31 de dezembro de 2012, que agora só existe na versão eletrônica na internet, depois de 80 anos no papel; levantamento da Secom ajudará o poder público a direcionar verbas da publicidade; a internet deverá alcançar fatia de 15% dos investimentos este ano; com baixa estima, circulação em queda e declínio comercial, como as revistas e os jornais impressos irão sobreviver?

Fatores relevantes da pesquisa sobre hábitos de consumo de mídia com 18 mil brasileiros, divulgada nesta semana pela Secretaria de Comunicação, do governo federal, são os péssimos resultados das revistas e dos jornais impressos; levantamento do Ibope deixa impressos no bico do corvo, cuja previsão de morte definitiva no Brasil é em 2027; tradicional revista semanal norte-americana Newsweek, uma espécie Veja dos Estados Unidos, por exemplo, teve sua última edição impressa publicada em 31 de dezembro de 2012, que agora só existe na versão eletrônica na internet, depois de 80 anos no papel; levantamento da Secom ajudará o poder público a direcionar verbas da publicidade; a internet deverá alcançar fatia de 15% dos investimentos este ano; com baixa estima, circulação em queda e declínio comercial, como as revistas e os jornais impressos irão sobreviver?

O instituto Ibope fez levantamento a pedido da Secretaria de Comunicação Social (Secom), da Presidência da República, sobre os hábitos de consumo de mídia do público brasileiro. Constatou-se que os internautas ficam, em média, três horas e 39 minutos na internet, enquanto os telespectadores passam três horas e 29 minutos vendo TV. A televisão ainda continua bastante popular, pois tem a preferência de 76,4%. Leia mais

31 de Janeiro de 2014
por esmael
14 Comentários

Governo prepara ofensiva contra críticos da Copa do Mundo

da Agência Brasil, com Reuters e 247Preocupado com as manifestações contra a Copa do Mundo no Brasil, o Palácio do Planalto estuda um plano para deixar os gastos com o Mundial mais transparentes. Diante da reação popular e dos vários episódios de vandalismo, a avaliação do governo é que com a população melhor informada e esclarecida, as manifestações fiquem menos violentas.

A ideia é mostrar quanto custou cada arena e as obras de infraestrutura do mundial e até compará-las com as que foram feitas em outros países. A estratégia de comunicação ainda está sendo montada e será apresentada à  presidenta Dilma Rousseff nos próximos dias.

Leia reportagem da Reuters sobre a ofensiva do governo:

Governo prepara ofensiva contra críticas à  Copa do Mundo

Por Jeferson Ribeiro

BRASàLIA, 31 Jan (Reuters) – Preocupado com o movimento “não vai ter Copa” e com as críticas sobre a organização e os gastos para realização da Copa do Mundo, o governo prepara uma ofensiva com foco publicitário para reagir e transformar o evento em dividendo político para a presidente Dilma Rousseff, disse uma fonte do Executivo nesta sexta-feira.

O plano vem sendo estudado por várias áreas do governo nas últimas semanas e deve ser apresentado a Dilma nos próximos dias. Segundo a fonte, que falou sob condição de anonimato, a presidente definirá a amplitude das ações.

“Nós temos que esclarecer quanto está sendo gasto com os estádios, quanto está sendo gasto com infraestrutura, que é muito mais, dizer qual a importância da Copa para o Brasil”, disse a fonte a jornalistas.

Apesar de reconhecer o atraso na reação do governo, meses após as manifestações em diversas cidades do país em junho do ano passado, durante a Copa das Confederações, o membro do Executivo considera que é possível, com mais transparência, reduzir as críticas aos gastos com a preparação para o Mundial.

“Essa campanha pode ajudar a isolar ou reduzir a presença (nas manifestações) daqueles que são contra a Copa”, disse.

O orçamento consolidado da Copa do Mundo aponta gastos de 25,5 bilhões de reais com a realização do evento, incluindo obras de infraestrutura como aeroportos e corredores de ônibus, mas também a reforma ou construção das 12 arenas do Mundial. Desse total, 3,7 bilhões são provenientes da iniciativa privada.

O investimento em estádios chega a 8 bilhões de reais, dos quais apenas 133,2 milhões são de investimento privado, de acordo com a matriz de responsabilidade da Copa.

O movimento “não vai ter Copa”, que começou nas redes sociais, chegou à s ruas este mês com diversas manifestações convocadas pelo país. A maior parte delas não reuniu muitas pessoas, mas em São Paulo os protestos terminaram em tumulto e um dos manifestantes foi baleado pela Polícia Militar.

Na avaliação do Executivo, as manifestações voltarão durante a Copa, em junho e julho deste ano, e o governo tem que explicar claramente o que está investindo no evento para “evitar que meias-verdades” impulsionem os protestos, d

31 de Janeiro de 2014
por esmael
3 Comentários

Traumann, mais um ministro paranaense na equipe de Dilma

Traumann, novo ministro Secretaria de Comunicação Social do Palácio do Planalto, é paranaense de Rolândia, Norte; mesmo com saída de Gleisi da Casa Civil, estado do Sul mantém três ministros na equipe de Dilma; paranaense vai comandar orçamento de cerca de R$ 2 bilhões; expectativa é que haja redirecionamento de boa parte do bolo publicitário para a mídia virtual em contraponto ao privilégio da velha mídia !“ a quem a ex-ministra Helena Chagas era ligada.

Traumann, novo ministro Secretaria de Comunicação Social do Palácio do Planalto, é paranaense de Rolândia, Norte; mesmo com saída de Gleisi da Casa Civil, estado do Sul mantém três ministros na equipe de Dilma; paranaense vai comandar orçamento de cerca de R$ 2 bilhões; expectativa é que haja redirecionamento de boa parte do bolo publicitário para a mídia virtual em contraponto ao privilégio da velha mídia !“ a quem a ex-ministra Helena Chagas era ligada.

O Paraná continuará com três ministros paranaenses na equipe da presidenta Dilma Rousseff, pelo menos nesta primeira fase da reforma ministerial anunciada ontem, mesmo com a saída de Gleisi Hoffmann da Casa Civil. Leia mais