Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

18 de julho de 2014
por esmael
16 Comentários

Coluna do Ricardo Mac Donald: Depois da Copa… Mídia aplicou “171” no país

"Qualquer um que viajava a prestação para Miami, voltava dizendo: Imagina na Copa!", lembra em sua coluna desta sexta-feira Ricardo Mac Donald; colunista critica terrorismo midiático que apostava no caos nos aeroportos, polícia e black blocs se enfrentando nas ruas, PCC explodindo pontes, surto de dengue, falta de hotéis, etc.;  "Alguns [governos] até mesmo desestimularam a viagem ao Brasil", lamenta o capitão do time do prefeito Gustavo Fruet, que lembra ainda que até Curitiba sofreu nas mãos dos abutres da velha mídia; "Se não fosse a atitude firme do prefeito Gustavo Fruet e a pronta intervenção da Presidenta Dilma, a FIFA teria nos tratorado"; leia o texto e compartilhe.

“Qualquer um que viajava a prestação para Miami, voltava dizendo: Imagina na Copa!”, lembra em sua coluna desta sexta-feira Ricardo Mac Donald; colunista critica terrorismo midiático que apostava no caos nos aeroportos, polícia e black blocs se enfrentando nas ruas, PCC explodindo pontes, surto de dengue, falta de hotéis, etc.; “Alguns [governos] até mesmo desestimularam a viagem ao Brasil”, lamenta o capitão do time do prefeito Gustavo Fruet, que lembra ainda que até Curitiba sofreu nas mãos dos abutres da velha mídia; “Se não fosse a atitude firme do prefeito Gustavo Fruet e a pronta intervenção da Presidenta Dilma, a FIFA teria nos tratorado”; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald*

Agora que a Copa acabou podemos ver melhor o que aconteceu no Brasil.

Comparando com os eventos realizadas em outros países, nos espanta o que vivemos antes da Copa, quando ficamos sob um ataque da imprensa mundial só equiparado ao ataque do capital especulativo quando, no governo Sarney, teve calote no FMI. Leia mais

11 de julho de 2014
por esmael
20 Comentários

Maradona elogia Copa do Mundo: Brasil ganhou como país!

via Brasil 247

Celebridade esportiva mais controvertida do mundo, sem rivais nas escolhas políticas, dramas pessoais e capacidade de criar casos, o ex-jogador Diego Maradona é o torcedor número 1 da Argentina no Brasil. Ele está saboreando a ida da seleção de seu país, após 24 anos, a uma final de Copa do Mundo, além de estar se divertindo com a derrota da Seleção Brasileira, por 7 a 1, frente a da Alemanha. Estaria, em tese, numa situação para tripudiar do Brasil, mas sua opinião sobre o Mundial no País é bem diferente: – O Brasil perdeu em campo, mas ganhou como país, resumiu ele, na quinta-feira 10, no programa De Zurda (de esquerda), que faz para a emissora!  Telesur, da Venezuela.

Maradona indicou que a campanha de descrédito da capacidade de o Brasil organizar o Mundial, iniciada internamente, nas páginas da mídia tradicional, o deixou assustado, assim como a outros turistas: – O que se pintava é que seria um caos. Parecia que teríamos de comprar uma arma ao desembarcar por aqui, comparou. “Mas não foi nada disso”.

O ex-jogador circulou por diferentes cidades, sendo visto em jogos da Seleção da Argentina e de outras equipes. Ele não deixou de ser vaiado, algumas vezes, pelo público, em ofensas que faziam referência à  sua dependência química, enfrentada com um forte tratamento em Cuba. Por outro lado, foi saudado pelo cânticos de “Maradona é melhor que Pelé” entoados por milhares de argentinos que tomaram o País para acompanhar sua Seleção. Certamente a maior torcida estrangeira presente na Copa, os argentinos realizaram uma ‘invasão’ alegre e pacífica, premiada com a disputa da final da Copa.

Pelé, por outro lado, saiu da cena da Copa desde a terça-feira 8. Aquele deve ter sido talvez o dia mais triste da vida do “rei do futebol”. Naquela manhã, Edinho, seu filho, foi preso, em Santos, condenado a 33 anos de reclusão por lavagem de dinheiro e associação ao tráfico de drogas. à€ tarde, a equipe nacional sofreu a maior derrota de toda a sua história. O rei vinha acompanhando pessoalmente todos os jogos do Brasil no Mundial, mas agora está recolhido. Ele precisará ser forte para superar a tragédia familiar.

2 de julho de 2014
por esmael
41 Comentários

Fifa reconhece: Brasil realiza a Copa das Copas; velha mídia brasileira fica com cara de bunda

do Brasil 247
Intratável com o Brasil durante a preparação para a Copa do Mundo, Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa, mudou de tom ao falar sobre o desempenho do Mundial.

Em entrevista ao programa “Seleção SporTV”, o dirigente diz que o país irá cumprir com todos os requisitos para organização da competição.

Acho que, sem dúvida, é a melhor Copa do Mundo quando se fala em futebol. Desde a primeira fase, temos o maior número de gols de 1982. Temos muitas surpresas, como a Costa Rica. à‰ uma fantástica Copa do Mundo. Mas o que estamos vendo nas ruas, nas cidades onde estão acontecendo os jogos é o que todo mundo esperava do Brasil. Nós chegamos ao país do futebol, onde o futebol é uma religião. Esperamos algo singular, que vamos lembrar para sempre. Acho que o Brasil está no caminho para entregar tudo o que nós esperávamos!, disse.

O dirigente da Fifa diz que o sucesso da Copa superou, inclusive, os inúmeros problemas que foram apontados em meio aos preparativos:

à‰ hora de curtir o melhor do futebol e olhar quais os times que chegarão na semifinal e final. Acho que fora do campo tivemos alguns pequenos problemas dentro dos estádios. Muitas coisas precisavam ser finalizadas, mas assim que chegamos e começaram os jogos não tivemos problemas. Superamos aquilo que esperávamos. Tenho curtido a Copa do Mundo e não estou estressado. Acho que já vi 15 jogos viajando pelo Brasil e vou ver os próximos jogos para ter certeza que posso ficar feliz, assim como todos também deverão ficar!, completou.

Ele defendeu ainda o legado da Copa para o país: O prefeito de Manaus e o governador do Amazonas estão impressionados. Podem existir voos entre Madri e Manaus, diretos. Isso significa que Manaus ganhou com a Copa do Mundo, o turismo vai crescer. O mais importante é usar o estádio, não deixar que ele fique vazio. Mas, quando eu vejo Brasília, e as críticas que foram feitas. A quantidade de eventos feita entre a Copa das Confederações e a Copa do Mundo foi muito boa. Mesmo que o estádio não pertença a um clube, pode ser usado, com apoio da CBF e da iniciativa privada. A CBF pode garantir que a seleção não jogue só no Rio ou em São Paulo, mas também em Brasília e Manaus. O futebol brasileiro agora será jogado e