14 de novembro de 2015
por esmael
15 Comentários

Banho de sangue em Paris reabrirá ‘guerra ao terror’

do Brasil 247

paris_terrorAssim como o 11 de Setembro de 2001 serviu como pretexto para a ‘Guerra ao Terror’, que levou à invasão do Iraque e à derrubada do regime de Saddam Hussein, numa iniciativa liderada pelo governo de George W. Bush, nos Estados Unidos, a sexta-feira 13 de ontem também deverá ter grandes repercussões no mundo.

A começar pelas liberdades individuais. Ontem, o presidente francês, François Hollande, decretou o fechamento de fronteiras e o estado de emergência, medidas inéditas desde a Segunda Guerra Mundial. Além disso, prometeu liderar uma “caçada implacável aos terroristas”.

Com os atentados em série de ontem, que provocaram um banho de sangue em Paris, a questão síria será colocada no centro dos debates internacionais. Há vários anos, os Estados Unidos vêm tentando derrubar, sem êxito, o regime de Bashar al-Assad, com sua política de apoio logístico, financeiro e material a grupos de oposição ao regime – o que criou, como subproduto, o Estado Islâmico.

5 de agosto de 2014
por esmael
6 Comentários

Unicef contabiliza mais de 400 crianças mortas e 2,5 mil feridas em Gaza

via Agência Brasil

Mais de 400 crianças morreram e 2,5 mil ficaram feridas nos bombardeios do Exército israelense em Gaza, indicou hoje o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), que calcula que 370 mil menores precisam urgentemente de ajuda psicológica para ultrapassar esta situação traumática.

O número de crianças mortas durante esta operação militar é 408 e supera o de menores mortos durante a [operação] Chumbo Fundido!, a ofensiva anterior de Israel, entre 2008 e 2009 – durante a qual 350 crianças morreram. Se se comparar a demografia de Gaza com a dos Estados Unidos seria como se 200 mil crianças norte-americanas tivessem morrido, disse à  imprensa Pernille Ironside, que dirige o gabinete do Unicef em Gaza.

Ironside assinalou que não há eletricidade no território palestino, controlado pelo movimento islâmico Hamas, e que os sistemas de água potável e de saneamento não funcionam, de modo que o risco de surgirem doenças transmissíveis e diarreia é iminente.

Há que ter em conta o tamanho da Faixa de Gaza. São 45 quilômetros de comprimento por seis a 14 [quilômetros] de largura e não há uma única família que não tenha sido diretamente afetada por alguma perda!, adiantou. A destruição é total. Usaram armas horríveis que provocam amputações terríveis. E isto aconteceu diante dos olhos das crianças, que viram morrer os seus amigos, os seus pais!, disse Ironside.

Por isso, o Unicef calcula que 370 mil menores precisam de ajuda psicológica para tentarem ultrapassar, de algum modo, o trauma vivido. Um menino ou uma menina que tenha hoje 7 anos de idade já passou por três ofensivas: a de 2008-2009, a de 2012 e a de agora!, assinalou a responsável da agência da ONU.

Ironside disse ainda que 142 escolas na Faixa de Gaza, incluindo 89 da Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinos, ficaram danificadas nos bombardeios israelenses, adiantando que três estabelecimentos de ensino da ONU foram alvo de ataques diretos.

Para responder ao disparo de foguetes palestinos contra seu território, Israel lançou em 8 de julho a Operação Margem Protetora, que já causou pelo menos 1.850 mortos palestinos. Do lado israelense morrer

24 de julho de 2014
por esmael
26 Comentários

Israel critica, mas Brasil mantém condenação ao terror em Gaza

O governo de Israel criticou a postura do governo brasileiro de convocar o embaixador em Tel Aviv para consultas e de! publicar duas notas em uma semana condenando a escalada da violência entre Israel e Palestina. Em comunicado à  imprensa, o Ministério das Relações Exteriores de Israel manifestou desapontamento! diante das críticas do Brasil.

Ato contínuo, o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, defendeu hoje (24) a posição do governo brasileiro que condenou energicamente o uso desproporcional da força! por Israel em conflito na Faixa de Gaza. Condenamos a desproporcionalidade da reação de Israel, com a morte de cerca de 700 pessoas, dos quais mais ou menos 70% são civis, e entre os quais muitas mulheres, crianças e idosos. Realmente, não é aceitável um ataque que leve a tal número de mortes de crianças, mulheres e civis”, disse o ministro. “E é sobre esse fato que essa nova nota fala!, ressaltou Figueiredo em entrevista.

O ministro lembrou que, na semana passada, o Itamaraty já havia divulgado nota condenando o movimento islâmico Hamas pelos foguetes lançados contra Israel, e também Israel pelo ataque à  Faixa de Gaza. Israel se queixa que, na última nota, não repetimos a condenação que já tínhamos feito. A condenação que já tínhamos feito continua somos absolutamente contrários ao fato de o Hamas soltar foguetes contra Israel. Isso se mantém. Não há dúvida. Não pode haver dúvida disso!, afirmou Figueiredo.

Ele acrescentou que a última nota do Itamaraty não omite nada que foi dito antes. “Ao contrário, a gente pede o cessar-fogo imediato. Cessar-fogo quer dizer o quê? [Cessarem] os ataques das duas partes. Não há cessar-fogo unilateral, não é isso que a gente pede. A gente pede que as duas partes parem os ataques. Isso permanece.!

via Agência Brasil, editado.

27 de Janeiro de 2014
por esmael
6 Comentários

Governo Dilma prepara plano contra terrorismo na Copa do Mundo

do Brasil 247
A ‘Copa das copas’, na expressão da presidente Dilma Rousseff, não poderá ser maculada pela violência das ruas. Essa é a determinação dentro do governo, que faz nesta terça-feira 28, em Brasília, uma reunião para estreitar a comunicação entre a Polícia Federal e as polícias estaduais. O encontro é regular e acontece todos os meses.

Ganha importância nesta rodada de planejamento, porém, porque houve recrudescimento de violências nas manifestações anti-Copa durante o final de semana, especialmente em São Paulo. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, está escalado como o técnico encarregado de fazer o time policial jogar duro mas sem ultrapassar os limites da legalidade.

Nesta segunda 27, a Fifa manifestou confiança no “modelo de segurança” a ser aplicado pelo governo federal durante a competição. A entidade máxima do futebol comemora o recorde de um milhão de ingressos vendidos antecipadamente para o evento. Os brasileiros ficaram com mais de 60% dos tickets, com os Estados Unidos em segundo lugar. A Fifa recebeu 9 milhões de pedidos para ingressos para a primeira fase da Copa, também um recorde em relação a mundiais anteriores. Um milhão de ingressos foram vendidos no ano passado.

“Estamos confiantes de que o conceito de segurança adotado pelas autoridades brasileiras vai garantir a segurança de torcedores, delegações e imprensa”, manifestou a entidade. “A Fifa respeita totalmente o direito de as pessoas protestarem de forma pacífica, sempre que os direitos dos demais também sejam respeitados. Mas condenamos qualquer forma de violência”.

Os conflitos em São Paulo aumentaram os sinais de alerta entre as autoridades. Há um ferido em estado grave em razão de um tiro disparado por um policial militar. O governo, ao buscar a centralização das ações, quer evitar repressão gratuita, revide ou qualquer espécie de descontrole entre as forças policiais. A informação de que homens da Polícia Militar de São Paulo atuaram no sábado com suas identificações cobertas preocupou as autoridades. Por outro lado, medidas como manter presos durante todo o Mundial os presos por desordem e vandalismo, como acontece em algumas situações na Europa