8 de dezembro de 2015
por admin
12 Comentários

“Pessuti” de Dilma envia carta com queixas de ser “vice decorativo”

O vice-presidente da República, Michel Temer, enviou carta à presidenta Dilma Rousseff em que aponta “fatos reveladores” da desconfiança que o governo possui em relação a ele e ao PMDB.

Com a abertura do processo de impeachment pelo presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB), ficou notória a movimentação e a inquietação de Temer ante a possibilidade de assumir a presidência sem ter sido eleito para tal.

Em sua coluna de ontem aqui no Blog do Esmael, a senadora Gleisi Hoffmann (PT) apontou quem seriam os interessados em concretizar o golpe contra a presidenta Dilma Rousseff (PT). Segundo ela, o peemedebista “está perdendo a razão para a possibilidade de assumir o governo”.

Já o ex-ministro Ciro Gomes carimbou na testa do vice de Dilma a definição de que Temer seria o “capitão do golpe”, articulando o impeachment da presidenta nos bastidores do Congresso.

Por meio do Twitter, a assessoria de Temer informou que a carta foi enviada em “caráter pessoal” a Dilma, e que o vice-presidente se surpreendeu com a divulgação do texto, “em face da confidencialidade”. Ainda segundo os assessores, o vice exortou à reunificação do país, “como já o tem feito em pronunciamentos anteriores”.

Leia a carta na íntegra:

São Paulo, 07 de Dezembro de 2.015.

Senhora Presidente,

“Verba volant, scripta manent”. [As palavras voam, os escritos se mantêm]

Por isso lhe escrevo. Muito a propósito do intenso noticiário destes últimos dias e de tudo que me chega aos ouvidos das conversas no Palácio.

Esta é uma carta pessoal. É um desabafo que já deveria ter feito há muito tempo.

Desde logo lhe digo que não é preciso alardear publicamente a necessidade da minha lealdade. Tenho-a revelado ao longo destes cinco anos.

Lealdade institucional pautada pelo art. 79 da Constituição Federal. Sei quais são as funções do Vice. À minha natural discrição conectei aquela derivada daquele dispositivo constitucional.

Entretanto, sempre tive ciência da absoluta desconfiança da senhora e do seu entorno em relação a mim e ao PMDB. Desconfiança incompatível com o que fizemos para manter o apoio pessoal e partidário ao seu governo.
Basta ressaltar que na última convenção apenas 59,9% votaram pela aliança.

E só o fizeram, ouso registrar, por que era eu o candidato à reeleição à Vice.

Tenho mantido a unidade do PMDB apoiando seu governo usando o prestígio político que tenho advindo da credibilidade e do respeito que granjeei no partido.

Isso tudo não gerou confiança em mim, Gera desconfiança e menosprezo do governo.

Vamos aos fatos. Exemplifico alguns deles.

1. passei os quatro primeiros anos de governo como vice decorativo. a senhora sabe disso. perdi t

24 de novembro de 2014
por esmael
Comentários desativados em PMDB deve conversar com Dilma sobre reforma ministerial somente em dezembro, diz Temer

PMDB deve conversar com Dilma sobre reforma ministerial somente em dezembro, diz Temer

da Agência Brasil

temer.jpg

O vice-presidente da República, Michel Temer, disse que conversou com a presidenta Dilma Rousseff sobre a composição do ministério no segundo mandato, mas que as indicações de partido devem começar a ocorrer a partir do próximo mês. Leia mais

10 de junho de 2014
por esmael
22 Comentários

Mesmo com traição na bancada do PR, 69,7% aprovam aliança Dilma-Temer

Michel Temer continuará na vice de Dilma Rousseff, de acordo com a vontade de 69,7% dos convencionais do PMDB; bancada paranaense teria dado uma traidinha! básica, haja vista que prometera !“ e não entregou !” 100% dos votos à  repetição da coligação PT-PMDB; juventude hostilizou parlamentares peemedebistas que advogam pela coligação com o PSDB de Beto Richa. (Foto: Preto Almeida).

Michel Temer continuará na vice de Dilma Rousseff, de acordo com a vontade de 69,7% dos convencionais do PMDB; bancada paranaense teria dado uma traidinha! básica, haja vista que prometera !“ e não entregou !” 100% dos votos à  repetição da coligação PT-PMDB; juventude hostilizou parlamentares peemedebistas que advogam pela coligação com o PSDB de Beto Richa. (Foto: Preto Almeida).

A continuação da dobradinha Dilma-Temer foi aprovada nesta terça (10), em Brasília, por 69,7% dos delegados à  convenção nacional do PMDB. Votaram na eleição interna 592 peemedebistas de todo o país, segundo dados da organização do evento. Leia mais