31 de julho de 2014
por esmael
2 Comentários

Site do TSE vira área de “pescaria” para desconhecidos institutos de pesquisa

Esquema consiste no registro de sondagens em todos os estados no Sistema de Registro de Pesquisas Eleitorais, mas não há certeza de que o instituto realizará as entrevistas prometidas na internet; site do TSE serve como chamariz de clientes interessados em comprar pesquisas. O público-alvo, nesses casos, são coligações, candidatos, partidos políticos, entidades de classe e empresas de comunicação; não há obrigatoriedade de o que está anotado na página do TSE seja cumprido à  risca; disputas pelo governo e Senado no Paraná, por exemplo, continuam no escuro; não há pesquisa divulgada desde a oficialização das candidaturas pelas convenções partidárias; entretanto, houve dois registros de levantamentos pelo desconhecido Instituto Veritá, de Uberlândia (MG).

Esquema consiste no registro de sondagens em todos os estados no Sistema de Registro de Pesquisas Eleitorais, mas não há certeza de que o instituto realizará as entrevistas prometidas na internet; site do TSE serve como chamariz de clientes interessados em comprar pesquisas. O público-alvo, nesses casos, são coligações, candidatos, partidos políticos, entidades de classe e empresas de comunicação; não há obrigatoriedade de o que está anotado na página do TSE seja cumprido à  risca; disputas pelo governo e Senado no Paraná, por exemplo, continuam no escuro; não há pesquisa divulgada desde a oficialização das candidaturas pelas convenções partidárias; entretanto, houve dois registros de levantamentos pelo desconhecido Instituto Veritá, de Uberlândia (MG).

O site oficial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) se transformou em local de “pescaria” para institutos de pesquisas desconhecidos em várias praças. Empresas utilizam a página do órgão para jogar a “tarrafa” e pescar clientes país afora. A estratégia à s vezes rende bons negócios, à s vezes bate na trave, mas o resultado vem das sucessivas tentativas. Leia mais