4 de novembro de 2015
por admin
17 Comentários

Coluna do Alvaro Dias: A falta de rigor com os gastos públicos

Download

Alvaro Dias*

O governo fez, ao longo dos anos, um grande esforço para ocultar o tamanho do rombo nas contas públicas. Mas é impossível esconder o quanto a incompetência de gerenciamento custou caro ao povo brasileiro.

A dificuldade de caixa do governo ficou ainda mais evidente depois que o Tribunal de Contas da União (TCU) identificou as pedaladas fiscais e a concessão de suplementação de verbas sem a devida autorização legislativa.

O governo identificou um buraco no Orçamento desse ano de mais de R$ 50 bilhões, mas o próprio Tesouro Nacional admite que esse valor pode dobrar. A causa desse monumental deficit nas contas públicas é a irresponsabilidade na condução dos gastos. O governo não teve criatividade e ousadia para fazer as reformas e não estabeleceu nenhum mecanismo rigoroso de controle das contas, gastando muito mais do que poderia.

Outra causa é a impotência do governo em relação ao crescimento da dívida pública. Em vez de frear o endividamento, o governo alimentou a gastança com medidas de facilitação a estados, municípios e empresas estatais.

Com essa irresponsabilidade na administração da dívida, ela se transformou em um monstro que consome sete por cento do PIB e metade da receita pública só com juros e serviços de rolagem

O ajuste fiscal anunciado com pompa pela equipe econômica vem se mostrando tímido diante da grandeza do endividamento público. É um ajuste que apenas cuida de arrecadar mais e sacrificar o contribuinte; o que é uma contradição porque aumentar impostos significa aumentar as dificuldades já existentes, como inflação, desemprego, e baixo crescimento do País. É um ajuste de com contas do governo com a sociedade.

O governo se acostumou com a manipulação dos números e a falsificação da realidade, ocultando a verdade sobre as contas públicas do País há muito tempo. Com isso, preparou uma bomba relógio de efeito retardado que agora explode no colo dos brasileiros.

Nós sempre fomos defensores das reformas de profundidade, porque só elas têm potencial de tirar o País do buraco.

A reforma administrativa anunciada foi uma encenação que não reduziu gastos. Sem as reformas, a crise vai se agravando com um cenário de economia empacada.

O governo não pode continuar a Leia mais