20 de Fevereiro de 2018
por esmael
1 Comentário

Cristiane Brasil joga a toalha e desiste do Ministério do Trabalho

A deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha do ex-mensaleiro e presidente nacional do PTB Roberto Jefferson, depois de 40 dias, jogou a tolha e desistiu de assumir o Ministério do Trabalho. Leia mais

9 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em Deputado Alex Canziani não aceita “substituir” Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho

Deputado Alex Canziani não aceita “substituir” Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho

O deputado Alex Canziani (PTB-PR), lembrado pela bancada do PTB na Câmara para “substituir” a colega Cristiane Brasil (PTB-RJ), jura que não aceitaria assumir por 40 dias o Ministério do Trabalho. Leia mais

8 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em Para superar fase Cristiane Brasil, deputado do PTB deverá assumir Ministério do Trabalho

Para superar fase Cristiane Brasil, deputado do PTB deverá assumir Ministério do Trabalho

O deputado Alex Canziani (PTB-PR) deverá assumir “transitoriamente” o cargo de ministro do Trabalho com o intuito de o PTB superar a fase Cristiane Brasil (PTB-RJ). Leia mais

7 de Fevereiro de 2018
por esmael
Comentários desativados em Da guerra: a lição do mensalão

Da guerra: a lição do mensalão

O jornalista Ricardo Cappelli escreve que o ex-presidente Lula disputará essa eleição mesmo que condenado, preso e impedido. Leia mais

3 de Fevereiro de 2018
por esmael
45 Comentários

Temer faz da filha de Roberto Jefferson “uma bandida”. Tudo que ele diz não querer

A deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), tacitamente, foi transformada em persona non grata no governo Michel Temer. A filha do ex-mensaleiro e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, não é mais útil por que entrou água na reforma previdenciária. “Minha filha não vai sair de bandida”, diz o pai coruja. O diabo é que a moça já foi “fritada” pelo Palácio do Planalto. Leia mais

3 de Janeiro de 2018
por esmael
7 Comentários

Cristiane Brasil, do PTB, no Ministério do Desemprego, para continuar ferrando os trabalhadores

A deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha do mensaleiro Roberto Jefferson, vai assumir o Ministério do Desemprego para continuar ferrando os trabalhadores do Brasil. Leia mais

28 de Fevereiro de 2016
por esmael
33 Comentários

Documentário “A Lista de Furnas” mostra corrupção de tucanos na estatal de energia; assista ao vídeo

por Kiko Nogueira, do DCM

O DCM apresenta o documentário sobre a Lista de Furnas que prometemos entregar em mais um projeto de crowdfunding.

Com direção do talentoso documentarista e produtor Max Alvim, ele é baseado nas matérias de Joaquim de Carvalho, um dos melhores repórteres do Brasil, colaborador dileto do Diário.

Está ali toda a gênese e as imbricações de um dos grandes escândalos do país — e um dos que mais sofreram tentativas de ser abafado.

O momento do lançamento é oportuno. No sábado, 27 de fevereiro, ficou-se sabendo que o ex-deputado federal Roberto Jefferson e mais seis pessoas foram indiciados pela Delegacia Fazendária (Delfaz) por crime de corrupção ativa e lavagem de dinheiro na estatal mineira.

O Ministério Público Estadual (MPE) levou dez anos para se mexer. Entre os envolvidos estão empresários, lobistas e políticos. Ficou faltando muita gente. Entre as ausências, a de Dimas Toledo, ex-presidente da empresa indicado por Aécio. Dimas não foi indiciado por ter mais de 70 anos e, portanto, contar com o benefício da prescrição.

Assista ao vídeo:

O que o documentário do DCM traz:

. O que é, para que servia e quem produziu a relação de 156 políticos e os respectivos valores recebidos na campanha eleitoral de 2002 do caixa 2 de empresas que prestaram serviços para Furnas.

. Os principais nomes do esquema: gente como José Serra, então candidato a presidente, Geraldo Alckmin, candidato a governador de São Paulo, Aécio Neves, candidato a governador de Minas Gerais, e Sérgio Cabral, candidato a senador pelo Rio de Janeiro, além de candidatos a deputado, como, Alberto Goldman, Walter Feldman e Gilberto Kassab por São Paulo; Eduardo Paes, Francisco Dornelles e Eduardo Cunha pelo Rio de Janeiro; Dimas Fabiano, Danilo de Castro e Anderson Adauto por M

15 de setembro de 2015
por esmael
17 Comentários

Projeto na Câmara quer impedir candidatura de Lula nas eleições de 2018. Pode isso, Arnaldo?

volta_lulaA deputada Cristine Brasil (PTB-RJ), filha do delator do mensalão, Roberto Jefferson, que também puxou uma cana, apresentou uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) proibindo a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2018. Leia mais

23 de Fevereiro de 2014
por esmael
14 Comentários

Será que valeu a pena delatar, Jeff?

do Brasil 247
Vestido com indumentária a caráter e montado em sua moto Harley Davidson, o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB), 61 anos, elegeu dar um rolé neste domingo, 23, como um de seus últimos atos em liberdade. Condenado na Ação Penal 470 por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o delator do chamado esquema do mensalão” será preso nesta segunda-feira, 24, pela Polícia Federal a mando do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, e começará a cumprir em regime semiaberto os sete anos e 14 dias de sua pena.

Durante seu passeio de três horas e meia pelas estradas do entorno do município de Levy Gasparian, no Rio de Janeiro, é possível que Jefferson, sentindo o vento bater e o prazer de ir e vir chegar ao fim, tenha feito uma reflexão sobre o final da história que decidiu protagonizar em 2005, quando afirmou pela primeira vez ter existido um esquema de corrupção no primeiro governo Lula para garantir apoio ao governo no Congresso.

O que estará pensando Roberto Jefferson nestas horas antes de sua ida para a cadeia por denunciar um esquema de corrupção que ele mesmo veio negar depois? O petebista disse em suas alegações finais do julgamento da AP 470 que o mensalão foi uma construção retórica!.

Embora tenha sido condenado a cumprir a pena em regime semiaberto, Jefferson queria mais. Pediu para ficar em prisão domiciliar em Levy Gasparian, depois de tudo (sic), acho que consigo!. Entre os argumentos, alegou que na cadeia não poderia cumprir a dieta recomendada pelo seu médico, à  base de salmão, geleia real e suco com água de coco. Teve seu pedido negado por Joaquim Barbosa.

Quando resolveu detonar a bomba política no governo Lula, em 2005, Bob Jeff então cacique do PTB não admitia que o PT distribuísse uma mesada! de R$ 30 mil a parlamentares de partidos aliados, como o PP e PL. Mas durante a investigação do Ministério Público Federal, o então presidente em exercício do PTB confirmou ter recebido R$ 4 milhões e distribuído entre os deputados do partido. Teve seu mandato cassado por tempo depois.

Afeito a ver suas declarações bombásticas! estampadas na imprensa nacional, Jefferson chegou a dizer também que salvou o Brasil de José Dirceu, com a denúncia que gerou a condenação do ex-ministro da Casa Civil e de outras 24 pessoas, inclusive o próprio Jefferson.

A minha luta era com o Zé Dirceu. Ele me derrubou, mas eu salvei o Brasil dele. Ele não será presidente do Brasil. Caímos os dois!, disse Jefferson em 2012, então em pleno tratamento contra um câncer no pâncreas.

Na penitenciária da Papuda desde o dia 15 de novembro de 2013, José Dirceu já arrecadou aproximadamente R$ 1,1 milhão na vaquinha mantida por apoiadores, para pagar a multa de R$ 971.128,92, imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Lançada há 11 dias, as doações alcançaram mais de 100% do valor da multa, seguindo o exemplo de outros dois petistas condenados na Ação Penal 470, José Genoino e Delúbio Soares, que também superaram os valores de suas punições. A pena pecuniária de Dirceu, no entanto, foi de quase o dobro da imposta aos dois correligionários.

A multa determinada pelo Supremo a Roberto Jefferson é de R$ 720 mil. Ele imitou os petistas e também abriu sua vaquinha para arrecadar doações. Entre os companheiros que já se prontificaram a ajudar estão importantes líderes de seu partido, como o ex-presidente e senador Fernando Collor (AL), o senador Gim Argello (DF) e deputado Jovair Arantes (GO).

Em que pese sua reflexão pessoal sobre o saldo de tudo o que detonou, no discurso que quer deixar para os livros de história, Roberto Jefferson jamais se arrependerá de ter denunciado um suposto esquema de corrupção que teve consequências marcantes na política brasileira.

Entretanto, vendo se aproximar cada vez mais os 2.569 dias em que verá o sol nascer quadrado, Jeff deu a dica da sua reflexão neste domingo, ao retornar do passeio sobre sua Harley Davidson: estou desfrutando dos momentos finais da minha liberdade. Quanto a vocês [jornalistas], curtam a sua, porque ela é o bem supremo da vida!.

6 de Fevereiro de 2014
por esmael
6 Comentários

Vaquinha do delator Roberto Jefferson terá Collor, Gim e Jovair

do Brasil 247O delator do chamado ‘mensalão’, Roberto Jefferson, pretende seguir o caminho dos petistas condenados na Ação Penal 470 e pedir ajuda para pagar a multa de R$ 724 mil a que foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Alguns nomes que estão na lista do ex-deputado do PTB são importantes líderes do partido, como o ex-presidente Fernando Collor (AL), o senador Gim Argello (DF) e o deputado Jovair Arantes (GO).

“Ligo para o Collor, para o Gim, para o Jovair. Peço ao Benito para arrecadar. O Collor não vai se negar, tenho certeza. Meus companheiros não vão me faltar”, declarou Roberto Jefferson ao jornal O Estado de S.Paulo. “Mas, primeiro, vou tentar liquidar (a multa) da minha parte, talvez pedir um parcelamento”, acrescentou o ex-deputado.

A ideia, no entanto, não é lançar um site, como fizeram os petistas José Genoino e Delúbio Soares. Juntos, os dois arrecadaram pela internet cerca de R$ 1,7 milhão para pagar suas multas. “Não vou fazer lista em site. Não sei e não quero fazer. O PT tem facilidade em arrecadar, todos que têm mandato contribuem mensalmente com o partido. No PTB, os deputados não dão um centavo ao partido”, disse Jefferson.

Apesar de réu confesso e sem mais direito a recursos pela condenação de sete anos e 14 dias de prisão, Roberto Jefferson continua solto. Ele aguarda do presidente do STF, Joaquim Barbosa, a decisão sobre se poderá cumprir pena em regime domiciliar. Sua defesa argumenta que, por conta da recuperação de uma cirurgia que retirou um câncer no pâncreas, o ex-deputado tem uma dieta rígida, que não poderia ser seguida na cadeia.

A dieta que inclui salmão e geleia real, amplamente divulgada pela imprensa no ano passado, foi repetida por Jefferson nesta quarta-feira 5: “ridicularizaram minha dieta, mas é o que tenho que seguir diariamente. Não tenho condição de ficar em um presídio com o que eu como: arroz, pão, massa integrais, queijo magro, proteína, salmão, geleia real”, disse.

Sobre a prisão dos outros condenados, Jefferson disse que o ex-ministro José Dirceu não tem que “sofrer mais que os outros” !“ o petista pediu autorização para trabalhar, mas foi o único que não obteve resposta de Barbosa. O ex-deputado do PTB também disse ser favorável à  prisão domiciliar de Genoino, que sofre de uma doença do coração.

Uma vantagem, ao menos, Jefferson tem. Conta, até o momento, com a aparente simpatia de Joaquim Barbosa, que não dá qualquer sinal de que pretende prendê-lo.

15 de dezembro de 2013
por esmael
7 Comentários

Aécio defende prisão domiciliar para mensaleiros. E agora Barbosa?

do Brasil 247

"Será que vão dar prisão domiciliar para o Roberto? Espero que sim. Não torço pelo infortúnio de ninguém", disse o senador Aécio Neves (PSDB-MG); hoje, completa-se o primeiro mês de liberdade do delator do chamado "mensalão", desde que foram presos os primeiros réus; em relação a José Genoino, ex-presidente do PT, Aécio também defendeu o mesmo benefício; "política não está acima da questão humanitária", disse ele.

“Será que vão dar prisão domiciliar para o Roberto? Espero que sim. Não torço pelo infortúnio de ninguém”, disse o senador Aécio Neves (PSDB-MG); hoje, completa-se o primeiro mês de liberdade do delator do chamado “mensalão”, desde que foram presos os primeiros réus; em relação a José Genoino, ex-presidente do PT, Aécio também defendeu o mesmo benefício; “política não está acima da questão humanitária”, disse ele.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), provável candidato do PSDB à  sucessão presidencial, defendeu explicitamente a concessão da prisão domiciliar a Roberto Jefferson, o delator do chamado “mensalão”. Leia mais

11 de dezembro de 2013
por esmael
4 Comentários

Jefferson, especialista em caixa 2, pede “bom senso” ao Supremo

do Brasil 247Não dá para não dizer que o ex-deputado Roberto Jefferson não ser atrevido. Mesmo na condição de culpado pela Ação Penal 470, após ter confessado o recebimento de R$ 4 milhões, em nome do PTB, pelo esquema de caixa 2, ele está distribuindo conselhos ao Supremo Tribunal Federal por meio de seu blog.

“Que prevaleça o bom senso” é a nota que ele postou na manhã desta quarta-feira 11, procurando dirigir-se aos juízes horas antes de ter início a sessão plenária para deliberar sobre o modelo de financiamento de campanhas eleitorais.

Especialista em caixa 2, como ele mesmo demonstrou em suas confissões ao STF, Jefferson defende, é claro, a manutenção do modelo atual, pelo qual os partidos podem prover suas campanhas com recursos públicos e, também, privados. Está em análise no tribunal a mudança para que o financiamento público se torne a única fonte de receita nas eleições. A iniciativa é da Ordem dos Advogados do Brasil, que considera a mudança fundamental para a melhor separação entre a classe política e os interesses de grandes grupos econômicos.

Na nota postada em seu blog — Jefferson aguarda em seu sítio o decreto de prisão que o STF ainda não emitiu contra ele -, faz a introdução tradicional do “sem entrar no mérito” para demonstrar uma sincera preocupação com o destino das eleições de 2014 e o ânimo dos eleitores em financiar os candidatos. Um perfeito advogado da própria causa!

Abaixo, a nota de Roberto Jefferson:

Que prevaleça o bom senso

Supremo deve julgar hoje ação movida pela OAB, sob inspiração petista, questionando artigos da lei que autoriza a doação de recursos de pessoas físicas e jurídicas nas campanhas eleitorais. Sem entrar no mérito, caso o pleno do STF considere as doações privadas inconstitucionais, como ficarão as eleições de 2014? Mais grave ainda: o contribuinte, que já paga o horário eleitoral no rádio e TV e o Fundo Partidário, vai querer bancar o santinho e o carro de som dos candidatos? Francamente. Creio no bom senso dos ministros de nossa mais alta Corte.

29 de novembro de 2013
por esmael
36 Comentários

Barbosa concede a Jefferson privilégio negado a Genoino. Por quê?

do Brasil 247O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, deu a Roberto Jefferson, delator do chamado “mensalão”, um benefício não concedido a José Genoino. Antes de decidir se ele irá ou não para a prisão, uma junta médica irá examiná-lo. Leia abaixo o noticiário da Agência Brasil:

André Richter
Repórter da Agência Brasil

Brasília !“ O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, determinou hoje (29) que uma junta médica avalie o estado de saúde do presidente licenciado do PTB, Roberto Jefferson. Ele foi condenado a sete anos e 14 dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em regime semiaberto, na Ação Penal 470, o processo do mensalão.

Uma junta médica do Instituto Nacional do Câncer, do Rio de Janeiro, deve ser composta em 24 horas. Segundo Barbosa, os médicos deverão esclarecer se Jefferson pode cumprir a pena em uma penitenciária ou deve cumprir prisão domiciliar. No ano passado, Jefferson passou por cirurgia para a retirada de um tumor no pâncreas.

Segundo Barbosa, o regime domiciliar pode ser concedido ao condenado, mas ele deverá provar a gravidade da doença. Considerando o relatório médico apresentado pelo sentenciado nos embargos de declaração, que dá conta de tratamento por neoplasia maligna da cabeça do pâncreas!, à  qual se seguiram incremento de deficiência nutricional crônica de que era portador! e episódios intermitentes de febre aferida!, mostra-se condizente com as finalidades da execução penal o pronto exame do pedido feito pelo sentenciado Roberto Jefferson, antes de dar início à  execução da sua pena!, decidiu o presidente.

Na fase de julgamento dos recursos contra as condenações, a defesa de Jefferson pediu ao Supremo que a pena fosse substituída por prisão domiciliar, mas o pedido não foi analisado. Para Barbosa, “as formalidades legai