Requião sobre o BB: “Dilma parece mais entreguista que FHC”; assista

Requião questiona aumento do capital estrangeiro no Banco do Brasil; senador paranaense, em discurso, disse que governo Dilma parece muito mais liberal e entreguista do que o governo do Fernando Henrique Cardoso; E nós votamos, presidente Dilma, e trabalhamos pela senhora, porque era expectativa de todos que fizesse exatamente o contrário do que fazia o Fernando Henrique!, reclamou; assista ao vídeo.
Requião questiona aumento do capital estrangeiro no Banco do Brasil; senador paranaense, em discurso, disse que governo Dilma parece muito mais liberal e entreguista do que o governo do Fernando Henrique Cardoso; E nós votamos, presidente Dilma, e trabalhamos pela senhora, porque era expectativa de todos que fizesse exatamente o contrário do que fazia o Fernando Henrique!, reclamou; assista ao vídeo.
O senador Roberto Requião (PMDB-PR) questionou em discurso, nesta quarta (6), a presidente Dilma Rousseff sobre a abertura de participação estrangeira na composição acionária do Banco do Brasil. No começo, eram 5,5% de participações estrangeiras. Depois subiu para 12,5%. Depois subiu para 20%. E agora sobre para 30%!, afirmou.

Requião enfatizou que não se trata de aumento de capital, mas de venda de ações. Segundo ele, a medida vai servir de remessa de lucro para o exterior e para a predação do Brasil!.

Os depósitos judiciais e o dinheiro público no Brasil têm que ser necessariamente depositados em bancos públicos para se converter em empréstimos para o setor produtivo, para o país avançar!, disse.

Mas, se a senhora admite que 30% das ações estão em mãos de investidores estrangeiros e ainda temos os investidores nacionais, de repente o Banco do Brasil é um banco sob controle público com lucros fantásticos, mas que vai remunerar investidores estrangeiros, que apenas retiram capital do Brasil!, questionou o senador.

Requião citou ainda o leilão do Campo de Libra, a privatização dos portos, ferrovias e estradas para dizer que isto tudo me parece muito mais liberal e entreguista do que o governo do Fernando Henrique (Cardoso). E nós votamos, presidente Dilma, e trabalhamos pela senhora, porque era expectativa de todos que fizesse exatamente o contrário do que fazia o Fernando Henrique!.

Dilma exige que guarda de dados da internet fique no Brasil, diz João Arruda

Deputado João Arruda, presidente da Comissão que analisou o projeto do Marco Civil da Internet, informou ao blog que a presidenta Dilma não abre mão da guarda de dados dos usuários fique no Brasil; governo federal enxerga nos datacenters para armazenagem e gerenciamento de dados uma questão de soberania nacional; texto elaborado pela comissão presidida pelo parlamentar, será apreciado pela Comissão Geral da Câmara nesta quarta (6), assegura três pontos principais: a liberdade de expressão; a privacidade do usuário; e o ponto mais polêmico, a neutralidade da rede.
Deputado João Arruda, presidente da Comissão que analisou o projeto do Marco Civil da Internet, informou ao blog que a presidenta Dilma não abre mão da guarda de dados dos usuários fique no Brasil; governo federal enxerga nos datacenters para armazenagem e gerenciamento de dados uma questão de soberania nacional; texto elaborado pela comissão presidida pelo parlamentar, será apreciado pela Comissão Geral da Câmara nesta quarta (6), assegura três pontos principais: a liberdade de expressão; a privacidade do usuário; e o ponto mais polêmico, a neutralidade da rede.
O deputado federal João Arruda (PMDB-PR), que presidente a Comissão Especial que analisou o projeto do Marco Civil, será apreciado pela Comissão Geral da Câmara nesta quarta (6), informou nesta tarde ao blog que a presidenta Dilma Rousseff quer que os datacenters para armazenagem e gerenciamento de dados de usuários permaneçam em território nacional.

O relator na Câmara do projeto que cria o Marco Civil da Internet, deputado Alessandro Molon (PT-RJ), acatou o pedido da presidenta que, em outra ação para conter espionagem externa, publicou no Diário Oficial da União desta terça a obrigatoriedade do serviço público se comunicar através de e-mail 100% nacional — o Expresso — cuja tecnologia desenvolvida durante o governo de Roberto Requião (PMDB) no Paraná foi adotada pelo Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados).

Arruda disse que a Câmara deverá aprovar amanhã a melhor legislação de internet do mundo, pois o texto elaborado pela comissão presidida por ele assegura três pontos principais: a liberdade de expressão; a privacidade do usuário; e o ponto mais polêmico, a neutralidade da rede.

Tucanos usam e abusam da censura na internet. Marco Civil e “Facebrás” neles!

Facebook, rede social com 76 milhões de usuários brasileiros, tem index de assuntos proibidos, dentre os quais críticas a políticos tucanos; PSDB e assemelhados, como Eduardo Campos, Richa e Aécio treinam nos "porões" ciberguerrilheiros para atacar adversários de 2014; no Paraná, além de censura, PT, Gleisi e Requião estão na mira dos "freelancers" que promovem difamação na internet; dois caminhos contra a censura e a favor da liberdade na rede: 1- aprovação nesta terça (5) do Marco Civil; e 2- criação do "Facebrás", uma rede social 100% brasileira.
Facebook, rede social com 76 milhões de usuários brasileiros, tem index de assuntos proibidos, dentre os quais críticas a políticos tucanos; PSDB e assemelhados, como Eduardo Campos, Richa e Aécio treinam nos “porões” ciberguerrilheiros para atacar adversários de 2014; no Paraná, além de censura, PT, Gleisi e Requião estão na mira dos “freelancers” que promovem difamação na internet; dois caminhos contra a censura e a favor da liberdade na rede: 1- aprovação nesta terça (5) do Marco Civil; e 2- criação do “Facebrás”, uma rede social 100% brasileira.
Na véspera da votação do Marco Civil da Internet, na Câmara Federal, o site “Brasil Diário” publicou hoje (4) entrevista com Thallis Cantizani, administrador da página Política no Face! (clique aqui). Segundo o entrevistado, o Facebook, sempre a mando dos tucanos, tem repetidas vezes censurado postagens críticas a Aécio Neves e José Serra.

A reportagem também lembra que o Palácio Iguaçu, sede do governo do Paraná, também treinava nos porões “ciberguerrilheiros” para detonar o senador Roberto Requião (PMDB) e a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), possíveis adversários do governador Beto Richa (PSDB) em 2014 (clique aqui para relembrar post publicado por este blog em setembro).

Outro paranaense defenestrado pelo Facebook em várias oportunidades foi o deputado Enio Verri, presidente estadual do PT. Suas postagens censuradas na rede social versavam sobre críticas a políticas neoliberais de Richa. O petista diz que não tem dúvidas de que o Facebook é tucano (clique aqui).

Thallis relata que sofreu duas censura no Facebook porque ousou falar sobre a filiação de Marina Silva ao PSB, e o segundo sobre a disputa presidencial. Foi um balde de água fria para nós que achávamos que a internet era um ambiente livre para o debate de ideias!, lamenta.

A meu ver, e de vários ativistas digitais, para combater a censura no Facebook e noutras redes sociais tem dois caminhos: 1- Marco Civil da Internet neles!; e 2- criação de um “Facebrás” (rede de relacionamento 100% nacional).

Leia a reportagem de Leonardo Simões, do site Brasil Diário:

Espionagem: Aliada ao Brasil, Alemanha pode dar asilo a Snowden

do Brasil 247

Mais do que simplesmente publicar seu manifesto, a revista Der Spiegel, a mais importante da Alemanha, tomou uma posição: defendeu que a chanceler à‚ngela Merkel conceda asilo diplomático a Edward Snowden, para que seja possível protegê-lo, mas também conhecer a fundo os detalhes da espionagem; em julho deste ano, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) defendeu que o Brasil fizesse o mesmo, mas o Itamaraty preferiu manter distância dessa hipótese; Dilma e Merkel apresentarão resolução conjunta nas Nações Unidas.
Mais do que simplesmente publicar seu manifesto, a revista Der Spiegel, a mais importante da Alemanha, tomou uma posição: defendeu que a chanceler à‚ngela Merkel conceda asilo diplomático a Edward Snowden, para que seja possível protegê-lo, mas também conhecer a fundo os detalhes da espionagem; em julho deste ano, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) defendeu que o Brasil fizesse o mesmo, mas o Itamaraty preferiu manter distância dessa hipótese; Dilma e Merkel apresentarão resolução conjunta nas Nações Unidas.
A revista alemã Der Spiegel foi a publicação escolhida por Edward Snowden, técnico da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos, a NSA, para publicar um manifesto onde afirma algo incontestável: dizer a verdade não pode ser considerado um crime (leia mais aqui).

No entanto, mais do que simplesmente publicar o texto de Snowden, enviado à  revista de forma criptografada, a Spiegel tomou uma posição editorial: defendeu, na capa, que a chanceler alemã Angela Merkel conceda o asilo diplomático a ele. Embora já tenha obtido esse benefício da Rússia, Snowden se adaptaria melhor à  Alemanha. Além disso, sua presença no país ajudaria a desvendar os segredos da espionagem norte-americana.

Caso Merkel tome essa decisão, ela poderá fazer por Snowden algo que esteve diante também do Brasil. Em julho deste ano, quando vieram à  tona as primeiras informações sobre a espionagem americana sobre o governo Dilma, alguns senadores defenderam que o Brasil lhe desse asilo diplomático.

“A reação mais lógica e mais séria em relação a essa história da espionagem americana seria imediatamente conceder asilo ao Snowden. E nós teríamos condição de saber, nós e o mundo, com mais seriedade e transparência, o que realmente significou a espionagem. O Snowden é um herói dos Estados Unidos. Amanhã ou depois, a história vai se lembrar do Snowden, e não do Obama, que foi quem acabou sendo responsável pela espionagem na internet no mundo inteiro. à‰ uma vergonha que alguns países latino-americanos tenham oferecido, e nós fiquemos enrolando esse assunto”, disse o senador Roberto Requião (PMDB-PR).

Internet é ferramenta social, não produto de mercado!, diz João Arruda

por Ivan Santos, do portal Bem Paraná

O deputado federal João Arruda (PMDB), em entrevista ao repórter Ivan Santos, do portal Bem Paraná, fala sobre a expectativa de o Congresso Nacional aprovar o Marco Civil da Internet; sobrinho do senador Roberto Requião (PMDB), o parlamentar prevê união! entre Pessuti e seu tio em torno da candidatura própria do partido; Arruda ainda vê dificuldades históricas! nas reeleições de governadores no Paraná, além de descer a borracha nos socialistas! Marina Silva e Eduardo Campos, possíveis aliados de Requião no estado; leia o texto.
O deputado federal João Arruda (PMDB), em entrevista ao repórter Ivan Santos, do portal Bem Paraná, fala sobre a expectativa de o Congresso Nacional aprovar o Marco Civil da Internet; sobrinho do senador Roberto Requião (PMDB), o parlamentar prevê união! entre Pessuti e seu tio em torno da candidatura própria do partido; Arruda ainda vê dificuldades históricas! nas reeleições de governadores no Paraná, além de descer a borracha nos socialistas! Marina Silva e Eduardo Campos, possíveis aliados de Requião no estado; leia o texto.
O deputado federal João Arruda preside a comissão especial da Câmara Federal que trata do marco civil da internet, assunto que ganhou ainda maior importância com a revelação de que os Estados Unidos estariam utilizando a rede mundial de computadores para espionar outros países. Como tal, ele defende a proposta da comissão de consagrar em lei o que chama de neutralidade! da rede, contra a posição das empresas de telecomunicações, que segundo Arruda, querem estabelecer uma espécie de apartheid! social, ao restringirem o acesso à  internet à  população de menor poder aquisitivo.

O parlamentar também é sobrinho do senador Roberto Requião e um dos defensores da candidatura própria do PMDB ao governo do Estado em 2014. E apesar do racha! no partido, onde boa parte da bancada da legenda na Assembleia Legislativa defende o apoio a reeleição do atual governador Beto Richa (PSDB), ele acredita que essa tese acabará prevalecendo. Até porque, afirma, apesar de Requião e do ex-governador Orlando Pessuti !“ outro que reivindica a vaga de candidato !“ terem rompido relações, isso não significa que o interesse dos dois não vai convergir lá na frente. Eles não precisam se conversar. Mas os seus interesses podem se conversar!, explica Arruda, em entrevista ao Bem Paraná.

Leia a íntegra da entrevista de João Arruda:

Requião diz que professores eram mais felizes em seu governo

Requião afirma que priorizou no seu mandato como governador (2003-2010) a área da educação, "ao contrário do que acontece agora, no atual administração". O senador diz que elevou para 30% os gastos do orçamento com educação e conseguiu modernizar o ensino e corrigir distorções salariais históricas; o ex-governador lamenta que os educadores tenham de ficar na expectativa de receber, na sexta (4), salários e promoções atrasados que somam R$ 50 milhões; para o peemedebistas, os professores eram mais felizes em seu governo.
Requião afirma que priorizou no seu mandato como governador (2003-2010) a área da educação, “ao contrário do que acontece agora, no atual administração”. O senador diz que elevou para 30% os gastos do orçamento com educação e conseguiu modernizar o ensino e corrigir distorções salariais históricas; o ex-governador lamenta que os educadores tenham de ficar na expectativa de receber, na sexta (4), salários e promoções atrasados que somam R$ 50 milhões; para o peemedebistas, os professores eram mais felizes em seu governo.
O senador Roberto Requião (PMDB) escolheu a comparação como método para provar, segundo ele, que seu governo foi melhor do que está sendo o de Beto Richa (PSDB) para a educação pública. Para o ex-governador, os professores eram muito mais felizes na sua gestão.

Requião observa que os professores da rede estadual de ensino do Paraná estão na expectativa pelo pagamento, na próxima sexta-feira (04), da folha complementar para dar início à  amortização de quase R$ 50 milhões de dívida aos professores e funcionários da educação. O pagamento deveria ter ocorrido no último dia 13 de setembro, mas não aconteceu.

O senador recorda que priorizou no seu mandato como governador (2003-2010) a área da educação, “ao contrário do que acontece agora, no atual administração”. Requião disse elevou para 30% os gastos do orçamento com educação e conseguiu modernizar o ensino e corrigir distorções salariais históricas.

Requião denuncia “molecagem” da Globo; assista ao vídeo

da Agência Senado

No último domingo, jornal O Globo publicou: Embargos infringentes podem beneficiar 84 parlamentares no STF!; segundo o senador do PMDB-PR, a matéria coloca no mesmo saco! todos os que são réus de ações penais no Supremo; reportagem inclui Requião como um dos possíveis beneficiados!, já que o é processado naquele tribunal por calúnia contra o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.
No último domingo, jornal O Globo publicou: Embargos infringentes podem beneficiar 84 parlamentares no STF!; segundo o senador do PMDB-PR, a matéria coloca no mesmo saco! todos os que são réus de ações penais no Supremo; reportagem inclui Requião como um dos possíveis beneficiados!, já que o é processado naquele tribunal por calúnia contra o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.
Em discurso nesta quinta-feira (26), o senador Roberto Requião (PMDB-PR) criticou o jornal O Globo pela publicação, no último domingo (22), da matéria Embargos infringentes podem beneficiar 84 parlamentares no STF!. Na opinião do senador, a matéria coloca no mesmo saco! todos os parlamentares que são réus de ações penais no Supremo.

!“ Estou aqui com O Globo, jornal fundado pelo Irineu Marinho, posteriormente dirigido por Roberto Marinho e atualmente dirigido pelos netos do Irineu, os filhos do Roberto, que se dedicam, como verdadeiros moleques, a fazer molecagem na imprensa !“ disse.

Requião: venda de Libra é pior que espionagem

do Brasil 247

Dossiê apresentado pelo senador do PMDB-PR à  Presidência, ao Ministério Público e ao TCU diz que desistência da BP e da Exxon no leilão é apenas fachada já que ainda participam através de subsidiárias e que foi uma estratégia para forçar o governo do Brasil a facilitar ainda mais os editais; parlamentar denuncia ainda que software da empresa de Dick Cheney, ex-vice presidente dos EUA nos governos Bush, para gestão de dados dos campos de petróleo do Brasil permite vantagem aos americanos; peemedebista tenta viabilizar candidatura ao governo do Paraná com um discurso nacionalista.
Dossiê apresentado pelo senador do PMDB-PR à  Presidência, ao Ministério Público e ao TCU diz que desistência da BP e da Exxon no leilão é apenas fachada já que ainda participam através de subsidiárias e que foi uma estratégia para forçar o governo do Brasil a facilitar ainda mais os editais; parlamentar denuncia ainda que software da empresa de Dick Cheney, ex-vice presidente dos EUA nos governos Bush, para gestão de dados dos campos de petróleo do Brasil permite vantagem aos americanos; peemedebista tenta viabilizar candidatura ao governo do Paraná com um discurso nacionalista.
O senador Roberto Requião (PMDB-PR) encaminhou na sexta-feira à  Presidência da República, ao MPF e ao TCU um dossiê que aponta irregularidades na Agência Nacional do Petróleo !“ ANP, especialmente no Edital do Leilão de áreas do Campo Petrolífero de Libra. O parlamentar tenta viabilizar sua candidatura ao governo do Paraná com um discurso nacionalista.

O texto composto de sete pontos diz que a agência está sendo usada para cometer vários atentados à  soberania nacional, dominada por dirigentes e funcionários instalados pelo genro de FHC, David Zylberstein.